ALCINO RODRIGUESPORQUÊ SAIR DAZONA DE CONFORTO?Se fizer o que sempre fez simplesmente vai chegar aonde semprechegou! Alarg...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt2AUTORALCINO RODRIGUES Coach Profiss...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt3INTRODUÇÃODecidi escrever este e-boo...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt4O QUE É A ZONA DE CONFORTO?Por Zona ...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt5Se queremos aprender algo ou mudar q...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt6PORQUÊ SAIR DA ZONA DE CONFORTO?"De ...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt7uma vida naquele emprego chato só po...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt8erros, mas a partir desses erros voc...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt97FORMAS DE SAIR DA ZONA DE CONFORTO4...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt10Reconhecendo quais são as actividad...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt11desenvolvimento, comece a vislumbra...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt126. Tome uma posiçãoTodos nós já lá ...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt13CONCLUSÃOAs áreas do mundo exterior...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt14Não há necessidade de nos doarmos a...
ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt15Se é uma pessoa acomodada na sua zo...
of 15

Porquê sair da zona de conforto

Published on: Mar 4, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Porquê sair da zona de conforto

  • 1. ALCINO RODRIGUESPORQUÊ SAIR DAZONA DE CONFORTO?Se fizer o que sempre fez simplesmente vai chegar aonde semprechegou! Alargue horizontes, parta para a mudança positiva e descubra oseu melhor Ser! Primeiro estranha-se; depois entranha-se…
  • 2. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt2AUTORALCINO RODRIGUES Coach Profissional Certificado, actua emBusiness, Career, Life, Sports Coaching andCoaching for Young. Formador em várias Áreas deDesenvolvimento Pessoal, Gestão de Conflitos,Liderança e Motivação, Inteligência Emocional,Marketing, Webmarketing, Gestão de Websites eWebdesign. Empresário e Consultor em Webdesign,Marketing e Webmarketing. Formação em Coaching e ProgramaçãoNeuro-Linguística, Comunicação, Public Speaking,Marketing, Psicologia Desportiva. Orador e Dinamizador de Equipas.Pode-me encontrar por aí…http://www.arcoaching.ptinfo@arcoaching.ptalcino.rodrigues@live.com.pthttps://www.facebook.com/alcinorodrigues.coachinghttp://www.linkedin.com/in/alcinorodrigueshttp://www.slideshare.net/AlcinoRodrigues1https://twitter.com/alcinorod
  • 3. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt3INTRODUÇÃODecidi escrever este e-book após uma formação para miminspiradora e desafiante de Liderança e Motivação, que ministrei numaempresa da área de produção e manufactura de peças e produtos emestanho, em que a quase totalidade dos trabalhadores eram homenssimples, rudes até, quase sem formação escolar (o 6º ano eram ashabilitações máximas e de poucos), que estavam desanimados com oseu trabalho, o patrão estava desanimado com o trabalho deles, elescom a atitude do patrão, e onde reinava um ambiente muito difícil.Eram pessoas que só tinhamaprendido praticamente aquela arte,a de trabalhar peças maravilhosas emestanho, como as que vemos naimagem. Pessoas oriundas deambientes socioculturais difíceis, comdificuldades económicas e derelacionamentos interpessoais, e queinicialmente não participavam.Em suma, naquela formação, mais do que eles próprios saírem dasua zona de conforto, eu próprio saí, e de que maneira, da minha zonade conforto, como formador e orador num ambiente conforme o quedescrevi. Não foi fácil “puxar por eles” mas o feedback que recebi foiexcelente. Tive o sentimento de que foram embora para casa um poucodiferentes, e que no final da formação sentiram que valeu a pena.Sair da zona de conforto leva-nos a experimentar coisas nuncaantes experimentadas, elevar o nosso conhecimento, melhorar a nossacapacidade relacional e a desenvolvermo-nos como Seres fantásticosque já somos. Ficar na zona de conforto, tempo sem fim, faz-nos sentiramorfos, com a nossa vida estagnada, sem alegria, sem momentosextraordinários para recordar e para nos lembrar que, qualquer que sejaa tarefa, a experiência, a acção a tomar, nós somos capazes. Nós somoscriadores infinitos e originais e nada nos “pode deitar abaixo” se nósquisermos.
  • 4. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt4O QUE É A ZONA DE CONFORTO?Por Zona de Conforto podemos entender de formar diversas, comvariadas explicações mas na verdade é o conceito base de qualquer tipode evolução, aprendizagem e transformação. É um conjunto de acções,comportamentos e pensamentos, que uma pessoa está habituada a tere que não lhe produzem qualquer tipo de ansiedade, medo ou risco. Éuma zona onde nenhum indivíduo se sente ameaçado.Na zona de conforto, as pessoas têm constantemente um certotipo de comportamento, um padrão até, que lhe dá um desempenhoconstante, porém limitado e com uma ligeira sensação de segurança.Segurança essa que é falsa, uma vez que, quando ocorrem grandesmudanças, quem está muito confortável leva um choque maior, e estarámenos preparado para sobreviver do que os outros.Toda a gente necessita de saber operar fora da sua zona deconforto, para realizar avanços, melhorar o seu desempenho, seja eleno trabalho, seja na vida pessoal, etc. A Zona de Conforto é umatemática bastante debatida por psicólogos e investigadores em váriasáreas da psicologia.De uma forma simples a Zonade Conforto (interior em branco)define-se por tudo aquilo queestamos acostumados a fazer,pensar ou sentir.É o habitual e conhecido paranós próprios. Inclui experiênciaspositivas e negativas,comportamentos construtivos edestrutivos.É tudo aquilo que sabemos neste momento.
  • 5. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt5Se queremos aprender algo ou mudar qualquer coisa, em nóspróprios ou na nossa vida, é necessário sairmos do conhecido eaventurarmo-nos no desconhecido. Isto compreende sempre o risco denão sabermos o que se irá passar ou se seremos competentes paracontrolar a situação. Desta forma a tendência natural é refugiarmo-nossempre naquilo que controlamos: a nossa experiência até à data, queassim se conserva no nosso amparo e limitação. Quanto maisexperiências se adquirem mais motivos se tem para nos mantermos nanossa já "vasta" zona de conforto.Aprender implica sempre um risco, na medida em que a nossaautoconfiança nos coloca dúvidas acerca daquilo que aprendemos.“Será que conseguimos realmente aprender o que precisamos deaprender? Será que irei saber aplicar esses conhecimentos no futuro?”Este pressuposto é transversal a indivíduos e a colectivos. Asequipas, as organizações e inclusivamente os países têm a sua zona deconforto. Na sua zona de conforto encontram-se as coisas que sedizem, aquilo que não se pode dizer, o que estamos acostumados apensar e aquilo que não podemos pensar, a nossa maneira de actuar, denos organizar, de liderar, de nos expressarmos, de sentir, etc...Todos os passos que se dáfora da zona de conforto fazemcom que esta se expanda. Comose arrastássemos connosco oseu limite.Ao fazer, pensar ou sentiralgo novo, ampliamos a nossazona de conforto.Basta uma palavra paradefinir tudo isto: CRESCER1."A vida começa no final da tua zona de conforto..." Neale Donald Walsch
  • 6. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt6PORQUÊ SAIR DA ZONA DE CONFORTO?"De vez em quando é preciso subir a um galho perigoso porque é lá que estão as frutas!" Will RogersPor que é que devemos deve sair da zona de conforto? Porquê, selá é tão quentinho, acolhedor e “confortável”? Porquê se lá sabemos oque se passa, controlamos as coisas e não nos incomodamos muito?Eu consigo pensar em três boas razões:1. A primeira é que seremos obrigados a sair da zona de confortoum dia, por mais que resistamos, por mais que não queiramos, seráinevitável. E quando isso acontecer estaremos preparados para lidarcom o desconhecido?Ninguém passa a vida inteira sem encontrar dificuldades, sem terproblemas. Ninguém passa uma vida inteira feliz e contente, sempre nomesmo ambiente, com os mesmos amigos (até porque alguns estão depassagem e novos aparecerão), ninguém consegue aguentar passar
  • 7. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt7uma vida naquele emprego chato só por causa do dinheiro que ganha eninguém consegue viver uma vida sem enfrentar mudanças, quantomais não seja pela morte de um familiar próximo.2. A segunda razão é que, como seres humanos que somos,advogo que procuramos sempre formas de nos melhorar e evoluir, quera nível intelectual, quer a nível emocional. No nosso interior possuímosa capacidade, a intenção e o desejo poderoso de melhorar nosso Ser.Digamos fazer um upgrade a nós próprios. No entanto só conseguimosfazer isso com movimento, experimentando e testando, falhando erecomeçando novamente.Aceite um desafio: experimente. Algo novo. Dê mais um passo.Estamos tolhidos há muito tempo. A sociedade reprime-nos econdiciona-nos para que sejamos apenas mais um. E se pudermos serum que faz a diferença? Se pudermos ser algo de significativo paraalguém ou para alguns, ou até para muitos?Enquanto crianças, muitos de nós formos reprimidos do direito deexperimentar. Como adultos continuamos na mesma; continuamo-nos aprivar desse direito, desse impulso.2. "A sua zona de conforto... -->> Onde a magia acontece...Agora chegou a altura de experimentar. Permitir-se encontrarcoisas novas. Deixe-se tentar por algo novo. Naturalmente irá cometer
  • 8. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt8erros, mas a partir desses erros você descobrirá quais são os seusvalores.Com certeza que existirão algumas coisas não iremos gostarmuito. Isso é normal, pois dessa forma ficaremos a saber um poucomais sobre o que Somos, quem Somos e o que não gostamos.Outras coisas iremos adorar. Essas coisas estarão alinhadas comos nossos valores, com quem Somos e contribuirão com a descobertade coisas importantes e enriquecedoras para nossa vida.3. A terceira razão pela qual você deve sair da sua zona deconforto é simplesmente a que a sua vida se tornará muito maisinteressante. Ninguém quer uma vida monótona e previsível. Sequisesse não estaria a ler este e-book.Quem leva uma vida sempre segura e previsível nunca saberá apessoa excepcional que realmente é. O poder ilimitado que tem. Ascompetências escondidas que nunca descobriu. Torne desafiadoras ascircunstâncias da sua vida para que sua grandeza possa emergir àsuperfície.3. Sair da Zona de Conforto também tem o mesmo significado que "Sair fora da caixa!"
  • 9. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt97FORMAS DE SAIR DA ZONA DE CONFORTO4. "Se queres passar para um nível completamente diferente na tua vida, deves descobrir a tua Zona de Conforto e praticarfazendo coisas que não são confortáveis." T. Harv EkerAs pessoas iniciam a sua procura por segurança e estabilidadelogo a partir do seu nascimento. Para atender a essas necessidadesnaturais, assim como a um equilíbrio emocional que permita lidar comas circunstâncias da vida quotidiana, é preciso obviamente estabelecerlimites pessoais e profissionais, mas o que é que acontece quandoanseia pela sua liberdade, quando descobre o grande muro queconstruiu lentamente durante toda a sua vida?Sair da sua zona de conforto é fundamental para Viver, paraflorescer. É essencial para ter uma vida plena, para realizar seus sonhose levar uma vida notável, ou no mínimo tentar.
  • 10. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt10Reconhecendo quais são as actividades e filosofias que estãodentro da sua zona de conforto permite-lhe começar a contemplar aideia de ultrapassar aquela cerca, a fim de experimentar as maravilhasda vida e do mundo que você nunca pensou que fosse "para você."Aquela linha invisível que divide o conforto e os sonhos deve serquebrada para aproveitar tudo que a vida tem para oferecer.Ficam aqui 7 dicas úteis para o ajudar a sair da sua zona deconforto:1. Conquiste o seu maior medoPense naquele medo momentâneo que faz correr a suaadrenalina. Sim, esse mesmo. Seja algo simples ou profundamenteenraizado, comece a criar um plano para o superar. Viver a vida sem umgrande medo permiti-lo-á ter uma existência livre; longe do forte apertoque o medo na maior parte das vezes configura.2. Faça algo fora do normalO “Afastamento” é a chave para abrir as portas para novasexperiências. Provocar-se a si próprio fazendo algo fora da "norma", ouaté mesmo da sua rotina diária normal, é uma oportunidade deacrescentar uma qualidade energizante ao comum e habitual. Vocênunca sabe o que a vida tem reservado para si a menos que você seponha lá fora. Fora da zona.Siga em frente, dando o primeiro mergulho. Essa imersão vairevitaliza-lo.3. Atravesse a fronteiraOs limites são instituídos pela sociedade, pela família e pela suaprópria mente, por motivos vários. Eles podem, ou não, servir os seusmelhores interesses. Isso cabe-lhe a si determinar. Uma vez descobertasquais as fronteiras que são ou não são boas para o seu próprio
  • 11. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt11desenvolvimento, comece a vislumbrar novos caminhos e vá avante.Algumas das melhores oportunidades esperam-no do outro lado desseslimites fictícios, as quais muitas vezes não são reclamadas por causa dasua trepidação pessoal. E quando há trepidação não se vê, não se ouvee não se sente muito bem…4. Estabeleça novas ligaçõesTodos os dias interagimos com dezenas de pessoas,desconhecendo as diversas e fascinantes histórias de vida que cada umacarrega com ela. Conheça alguém novo, seja um completo estranho ouuma pessoa que pode já conhecer de vista. Verá que à visão quepartilham consigo será surpreendente.A partir do momento emque se começa a vincular compessoas no seu mundo e além,terá uma perspectiva clara sobrea forma de como estamos todosligados de uma forma ou deoutra. Robert Randall, no livro"O Poder de Cura da Conexão",destaca a necessidade das pessoas se reconectarem, num universogeralmente desconectado.5. Actue numa frente não-familiarA familiaridade gera conforto. Em vez de ficar sentado a pensarem todas as coisas incríveis que gostaria de fazer na sua vida,simplesmente aja. Ações criam momentos e geram felicidade tangível.O desconhecido é assustador, já que tem a hipótese de poderesmagar a nossa alma mas também nos pode elevar a alturas novas eincríveis. Então esmague os seus medos e finalmente dê o salto. Faça ascoisas que sempre foi sonhando, mas sempre teve muito medo deperseguir, até agora. Uma vez que foi feito sentir-se-á liberto.
  • 12. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt126. Tome uma posiçãoTodos nós já lá estivemos – você sente-se menosprezado oudeixado de parte por colegas de trabalho, familiares ou amigos. Vocêfica muito assustado para conseguir responder, com medo dasimplicações danosas que isso lhe pode trazer. Isso não é verdadeiropara todas as situações, mas quando perceber que as condições sãoadequadas, você pode e deve, tomar uma posição, por si mesmo.Deixar as pessoas passar por cima de si só vai perpetuar os problemas alongo prazo.Isso também pode se traduzir na tomada de uma posiçãorelativamente a uma crença específica, seja filosófica ou ideológica.Permanecendo comprometido com seus valores essenciais,expressando-os de forma consistente, trará satisfação e auto-aceitação- as duas chaves para levar uma existência plena.7. Conclua o último passoAs coisas acontecem, a vida continua, mas há sempre aqueleprojecto que tem de ser terminado ou um conjunto de emoções quedeveriam ter sido expressas. Faça-o. Não espere e contemple-oindefinidamente. Quanto mais você analisar se deve ou não avançar,seja lá o que for, mais a sua mente vai empilhar os pontos negativos porcima dos positivos. Faça do amarrar as pontas soltas uma prioridade,não importa o quão desconfortável o faça sentir, e siga em frente.
  • 13. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt13CONCLUSÃOAs áreas do mundo exterior e/ou interior onde nos sentimosconfiantes, tranquilos e confortáveis, enfim, confiantes nas nossascapacidades, são as nossas zonas de conforto. Onde temos aquelassensações boas que todos almejamos sentir a todo o momento.Acabamos de sair da nossa zona de conforto, sempre que estamosindecisos, ansiosos ou depressivos. Seja por motivos de aprendizagem,negligência, falta de competências ou experiência anterior, apermanência na zona de conforto representa um grande entraveao desenvolvimento pessoal. Por isso o abandono da zona confortávelsó nos traz bons motivos, como o desafio pessoal, que representa odesejo de crescer e procurar os nossos próprios sonhos, que nos fazemenfrentar medos, lidar com fracassos e voltar à carga, todas as vezes.Vencer desafios é diferente de ultrapassar problemasEncarar os problemas como desafios é uma atitude positivaperante uma situação. Quando descobrimos que a maior parte dascoisas que queremos e não temos se encontram fora da nossa zona deconforto, devemos ter humildade de perceber que para o obtermos vaiser preciso sentir, intuir, pensar, planear etc., e sem dúvida agir, paraconseguirmos vencer os desafios. Mas este tipo de atitude é um poucocomo aprender a ler, pois uma vez feita muito dificilmente voltamos aesquecê-la.A realização e as metasA cada vez que delineamos uma meta, seja esta de que dimensãofor (material, social, psicológica, física, emocional ou espiritual) e aconseguimos realizar, tornamo-nos pessoas mais felizes e realizadas.A única coisa da qual podemos ter certeza nas nossas vidas, é quetudo é incerto.
  • 14. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt14Não há necessidade de nos doarmos a pressas óbvias ou riscosnegativistas, mas podemos nos permitir correr riscos positivos embusca da evolução, do crescimento pessoal e do progresso. Nãopodemos apenas escolher ter uma vida calma, sem nenhumaperturbação, pois algum dia, nalgum lugar, algo nos fará passar por umteste para o qual não estaremos preparados e que preferíamos não terde enfrentar.Corra riscos…Não espere eternamente por um momento em que tenhagarantias de sucesso. Não queira ouvir coisas do tipo "Eu não disse? Jásabia que isto ia acontecer!".Depois de errar, levante-se, limpe a terra das mãos, o pó dascalças e ajeite o casaco!Lembre-se da letra da música “Fix you” dos Coldplay: “But if younever try, youll never know, just what youre worth”.5. Se nunca tentares, nunca irás saber... aquilo de que és capaz!Encare os desafios e saia da zona de confortoHá pessoas que estão completamente insatisfeitas com oemprego, com o seu relacionamento ou até com a sua própria formafísica mas no entanto preferem não fazer nada para mudar, pois sentemmedo do que o "novo" pode trazer. O “novo” é o desconhecido e muitagente não gosta do desconhecido porque é algo que não controla.
  • 15. ALCINO RODRIGUES © 2013 | www.arcoaching.pt | Contacte o autor em: info@arcoaching.pt15Se é uma pessoa acomodada na sua zona de conforto, acrediteque está na hora de mudar!Nada muda se nada mudar. Parece ridículo e redundante mas averdade é simples: se não fizer nada para mudar a mudança nãoacontece sozinha… Se o medo de falhar for maior que a vontade devencer, você não vai ousar e não vai errar, mas também não acerta edeixa muitas vezes de alcançar a sua verdadeira felicidade."Fazemos isto para nos prepararmos para a insegurança que asmudanças acarretam e ganhamos novas perspectivas relativamente ànossa vida que vão fazer com que os nossos sentimentos, as nossasemoções e as nossas atitudes sejam positivas. Alimentamos a nossaforça interior.Se uma pessoa tem asensação de estar estagnada,parada no tempo, desmotivada enão consegue descortinar ocaminho para o sucesso naquiloque faz, então deve arregaçar asmangas, seguir outro caminho. Osprimeiros passos serão talvezconhecer-se melhor, desenvolver-se pessoalmente, aprender tudosobre si e escutar o que diz a sipróprio. Desta forma elevará a suaautoconfiança, auto-estima e auto-imagem, alimentará a sua coragem etornar-se-á mais equilibrado, seguro e motivado.Porquê sair da zona de conforto?Porque sim!Grato pela atenção!Alcino Rodrigues

Related Documents