Natalnas Asas doArco-íris
Era uma vezuma cidadecinzenta.
As casas, asruas, as árvorese o rio, eramcinzentos…Todo o céu queenvolvia acidade eracinzento…
As pessoas vestiam-se com roupas emtons de cinzento e osseus rostos eramtristes e carrancudos.Andavam sempreagitadas, dema...
Jerónimo vivia nacidade cinzenta e,tal como as outrascrianças, sentia-semuito triste.
O Natal estava achegar e sempre queele pedia aos paispara o ajudarem aescrever a carta aoPai Natal, a respostaera:“Não ten...
Jerónimo nãocompreendia…O que poderia sermais importante doque o Natal?
Sentado nopeitoril da janela ecom o narizencostado aovidro, Jerónimoolhava o céu eobservava asnuvens quepasseavamlentament...
-São tão lindas ! - comentava o menino, apontando para uma nuvembem lá no alto.-Aquela parece mesmo um leão a fazer o pino...
De repente, umenorme elefanteapareceu esculpidonas nuvens.
Jerónimo olhava fascinado.Seria possível? As nuvens estariam a convidá-lo para brincar?Decidiu aceitar o desafio e embarca...
Ariela era uma pequena fada, muito bonita, de asastransparentes, que voava graciosamente entre o céu ea terra.
Era muito alegre e amava anatureza com toda a suabeleza e cor.Por essa razão, ficou muitocuriosa quando soube daexistência...
A pequena fada olhava,com ternura, para orosto do pequenoJerónimo e pensava noque poderia fazer paratornar especial o Nata...
De imediato, ouviram-se vários assobios emuníssono que seconfundiram com osopro do vento.Milhares de pequenasfadas, transf...
De repente ao ritmo doassobio do vento, osmesmos pontos de luzdesapareceram no céu.Ariela sorriu. As fadas jáconheciam os ...
Ariela pensou,pensou…e sorriu.Depois, bateu as suasdelicadasasas transparentese voou ligeira até aocéu!
Era véspera de Natal.Jerónimo acordou, abriu ajanela do seu quarto e ficoumaravilhadoEstava a nevar.Mas não era uma nevequ...
Flocos de todas ascores desciamlentamente do céuazul, transformandotoda a cidadecinzenta numapaleta colorida.Jerónimo viu ...
Aos poucos as ruasforam-se enchendode pessoas de todasas idades, quevestiam roupas detodas as cores…
…e que conversavam,corriam, saltavam,brincavam e riam.E a neve ia caindo emflocos leves ecoloridos.
Lá no alto, sentadasnas nuvens, Ariela eas outras pequenasfadas moldavam osflocos de neve,pincelando-osdelicadamente com a...
De vez em quando, atiravampequenos flocos umas às outrasnuma brincadeira alegre edivertida.
Ariela viu o pequenoJerónimo e os seuspais fazerem umenorme boneco deneve azul com olhosverdes, bocavermelha, chapéupreto,...
A cor voltou aoscorações! – pensouAriela.De repente, olhou ohorizonte e sorriu.O seu ouvido apuradoouviu, lá ao longe, oti...
Natal nas Asas do Arco Íris
of 26

Natal nas Asas do Arco Íris

Published on: Mar 3, 2016
Published in: Education      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Natal nas Asas do Arco Íris

  • 1. Natalnas Asas doArco-íris
  • 2. Era uma vezuma cidadecinzenta.
  • 3. As casas, asruas, as árvorese o rio, eramcinzentos…Todo o céu queenvolvia acidade eracinzento…
  • 4. As pessoas vestiam-se com roupas emtons de cinzento e osseus rostos eramtristes e carrancudos.Andavam sempreagitadas, demasiadoocupadas e semtempo paraconversar, rir oupassear.
  • 5. Jerónimo vivia nacidade cinzenta e,tal como as outrascrianças, sentia-semuito triste.
  • 6. O Natal estava achegar e sempre queele pedia aos paispara o ajudarem aescrever a carta aoPai Natal, a respostaera:“Não tenho tempo.Há coisas maisimportantes em quepensar”.
  • 7. Jerónimo nãocompreendia…O que poderia sermais importante doque o Natal?
  • 8. Sentado nopeitoril da janela ecom o narizencostado aovidro, Jerónimoolhava o céu eobservava asnuvens quepasseavamlentamente sobrea cidade.
  • 9. -São tão lindas ! - comentava o menino, apontando para uma nuvembem lá no alto.-Aquela parece mesmo um leão a fazer o pino! E aquela parece…um coelho a jogar à bola! Será que há alguma que pareça umelefante a andar de patins? - questionava com um ar pensativo.
  • 10. De repente, umenorme elefanteapareceu esculpidonas nuvens.
  • 11. Jerónimo olhava fascinado.Seria possível? As nuvens estariam a convidá-lo para brincar?Decidiu aceitar o desafio e embarcar naquele jogomaravilhoso… desconhecendo que eram as artes mágicas deAriela que modelavam as nuvens ao sabor dos seus pedidos.
  • 12. Ariela era uma pequena fada, muito bonita, de asastransparentes, que voava graciosamente entre o céu ea terra.
  • 13. Era muito alegre e amava anatureza com toda a suabeleza e cor.Por essa razão, ficou muitocuriosa quando soube daexistência daquela cidadecinzenta.Porque teria perdido a cor?Como seriam os seushabitantes?As crianças seriam felizes?Ariela voava sobre a cidade,tentando encontrar umaexplicação para aqueleestranho lugar, quando ouviuas palavras de Jerónimo. Parao alegrar, resolveu brincar comele, modelando as nuvens fofasque embelezavam o céu.
  • 14. A pequena fada olhava,com ternura, para orosto do pequenoJerónimo e pensava noque poderia fazer paratornar especial o Nataldas crianças daquelacidade cinzenta.Então, Ariela começou aassobiar.
  • 15. De imediato, ouviram-se vários assobios emuníssono que seconfundiram com osopro do vento.Milhares de pequenasfadas, transformadasem pontos de luz,espalharam-se portodas as casas dacidade.Os adultos, sempreocupados, nadaviram.
  • 16. De repente ao ritmo doassobio do vento, osmesmos pontos de luzdesapareceram no céu.Ariela sorriu. As fadas jáconheciam os desejos detodos os meninos da cidadecinzenta e iriam transmiti-losao Pai Natal.As crianças não ficariamsem presentes!E os adultos? Como poderiaajudá-los?Eles tinham-se esquecido dacor… da sua essência, dasua beleza, da sua alegria,da sua magia.Sem cor a vida é triste evazia.
  • 17. Ariela pensou,pensou…e sorriu.Depois, bateu as suasdelicadasasas transparentese voou ligeira até aocéu!
  • 18. Era véspera de Natal.Jerónimo acordou, abriu ajanela do seu quarto e ficoumaravilhadoEstava a nevar.Mas não era uma nevequalquer.
  • 19. Flocos de todas ascores desciamlentamente do céuazul, transformandotoda a cidadecinzenta numapaleta colorida.Jerónimo viu overde nas árvores, oprateado na água dorio, o amarelo nasflores, as cores doarco-íris nas casas,o dourado nosenfeites de Natal…
  • 20. Aos poucos as ruasforam-se enchendode pessoas de todasas idades, quevestiam roupas detodas as cores…
  • 21. …e que conversavam,corriam, saltavam,brincavam e riam.E a neve ia caindo emflocos leves ecoloridos.
  • 22. Lá no alto, sentadasnas nuvens, Ariela eas outras pequenasfadas moldavam osflocos de neve,pincelando-osdelicadamente com astintas do poder dafantasia e lançando-osno ar com um soprosuave.
  • 23. De vez em quando, atiravampequenos flocos umas às outrasnuma brincadeira alegre edivertida.
  • 24. Ariela viu o pequenoJerónimo e os seuspais fazerem umenorme boneco deneve azul com olhosverdes, bocavermelha, chapéupreto, nariz cor-de-laranja...Davam abraços esoltavam gargalhadas!A fada viu, ainda, aspessoas a entoaremcânticos natalícios…… e a desejaremumas às outras um“Feliz Natal”!
  • 25. A cor voltou aoscorações! – pensouAriela.De repente, olhou ohorizonte e sorriu.O seu ouvido apuradoouviu, lá ao longe, otilintar dos sininhos dotrenó do Pai Natal!