PRÊMIO
Advogadas brasileiras conquistaram honraria em disputa
com dezenas de finalistas de países da América Latina.
Confi...
of 1

PRESS Reconhecimento feminino no direito

Published on: Mar 4, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - PRESS Reconhecimento feminino no direito

  • 1. PRÊMIO Advogadas brasileiras conquistaram honraria em disputa com dezenas de finalistas de países da América Latina. Confiraentrevistacomavencedoradacategorialíderdofuturo Reconhecimento femininonodireito Asganhadorasdaedição2015doprêmioquereconhecejuristasdepaíseslatinos CORREIO BRAZILIENSE • Brasília, domingo, 3 de janeiro de 2016 • Trabalho • 9 O Brasil conquistou nove das 17 categorias do prêmio. Entre os ganhadores, é possível encontrar escritórios de advocacia e profissionais juristas. Confira as advogadas premiadas: Prêmiosapersonalidades » Advogada do ano (conselho corporativo): Magda Kiehl - Accor, Brasil » Advogada mentora do ano (conselho corporativo): Monica Ailt - Intel, Brasil » Prêmio de prática privada especial, excelente contribuição à arbitragem, promovido pela CAM-CCBC: Selma Lemes - Selma Lemes Advogados, Brasil » Líder do futuro (prática privada): Su Jung Ko - TozziniFreire, Brasil » Liderança na profissão - advogada mentora do ano: Roberta Leonhardt - Machado, Meyer, Sendacz e Opice, Brasil » Conselho corporativo especial por notável contribuição para fomento à promoção da mulher no direito: Renata Garrido - Procter & Gamble, Brasil Prêmiosaempresas » Melhor empresa para promover o avanço das mulheres (recrutamento, retenção e promoção): Accenture, Brasil »Responsabilidadesocialcorporativa/ programaprobonodoano(práticaprivada): SiqueiraCastro-Advogados,Brasil » Empresa de excelência na ajuda ao avanço das mulheres (recrutamento, retenção e promoção): TozziniFreire, Brasil Saibamais Acesseositewww.chambersandpartners.com. Predominância brasileira S eis advogadas brasileiras ganharam troféus na quarta edição do prêmio Chamber Women in Law 2015: La- tin America, promovido no Brasil pela primeira vez. A condecoração é sim- bólica, não há remuneração financeira, mas levar para casa uma homenagem da Chambers & Partners — uma das publi- cações mais bem-conceituadas do mer- cado jurídico — é honraria mais que sufi- ciente. A organização conduz uma pes- quisa anual sobre o desempenho das principais empresas jurídicas e seus pro- fissionais em várias regiões do mundo. A advogada-sênior do TozziniFreire Advogados, Su Jung Ko, 34 anos, recebeu o título de líder do futuro. Ela concorreu com 14 finalistas de 14 países da América Latina. A categoria congratula mulheres que contribuíram para o desenvolvimen- to de líderes na América Latina. Advoga- da empresarial especializada em relações comerciais com nações da Ásia, a coreana se mudou para o Brasil aos 14 anos, cur- sou direito na Universidade de São Paulo (USP) e fez mestrado em direito interna- cional na Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos. Ela liderou iniciativas na comunidade para divulgar a cultura coreana,por meio dainstituiçãoNetworkofKorean-American Leaders, que promove treinamentos para incentivar a formação de líderes.Em entre- vista ao Correio, Su fala sobre a vitória, o papelinspiradorpara jovensgarotas,proje- toseplanosfuturos.Confira: Qualfoisuareaçãoaoser nomeadaaoprêmio? Apesar de saber que estava entre as finalis- tas, a sensação foi de surpresa, felicidade e gratidão — tudo junto! A indicação do meu nome ao prêmio, feita pelo escritório, significou o reconhecimento de um traba- lho que desenvolvo junto da comunidade imigrante no Brasil como advogada. Quetrabalhofoiresponsável pelasuanomeação? Desenvolvo um papel de liderança em associações que têm como preocupação a formaçãodelídereseadivulgaçãodacultura coreananoBrasil.Acredito que meu comprometi- mentocomdireitosdeimi- grantestenhacontribuído para ganhar o prêmio. Eu mesmaestiveemsituação ilegalnopassadoporfaltadeconhecimento dalegislaçãolocaledoidiomae,infelizmen- te, conheci profissionais que se aproveita- vam da fragilidade de estrangeiros,prome- tendo ajudar a regularizar a situação, mas pegando o dinheiro sem cumprir o combi- nado. Resolvi minha situação com muita pesquisaeajudadosoutros.Essaexperiên- ciapessoalfoifundamentalparaqueeume tornasseumaprofissionalcujofoconãoestá sóemmim,mastambémnasociedade.Co- moimigrantecoreana,eumesintonaobri- gação de retribuir o que recebi deste país maravilhoso: educação, amigos, oportuni- dade de trabalho e perspectiva de cresci- mento.Acabeifazendodireitoporumavon- tadedeajudaraspessoascomomeuconhe- cimentoedetornaroBrasil—eomundo— umlugarmelhor. Oquevocêsentiuquando soubequehaviaganhado? A sensação foi de gratidão e de espe- rança. O prêmio significou o reconheci- mento de toda a luta pela minha comu- nidade. Sempre quis contribuir para que houvesse mais amor às raízes e lí- deres que se dedicassem à sociedade. Fiquei agradecida a todos que sempre apoiaram minhas iniciativas, como mi- nha família, meus chefes, professores, amigos e clientes. Quaissãoseusplanos? Quero consolidar mi- nha carreira de advogada empresarial e continuar investindo nas ativida- des de serviço à socieda- de, em especial, educa- ção e formação de líde- res. Meu pai tem um pe- queno jornal focado na comunidade coreana que funciona co- mo ferramenta de integração em São Paulo. Ele é minha inspiração para tam- bém usar meus recursos para ajudar quem está ao meu redor: alunos de direi- to, empreendedores, interessados no in- tercâmbio de negócios e de cultura entre o Brasil e a Ásia e os Estados Unidos. Querecadovocêpodedeixarparamulheres queestãocomeçandoacarreira? Gostaria que essas jovens tivessem a confiança de que existem mentoras — como eu — que poderão apoiá-las. É fundamental que elas continuem se de- dicando à carreira e à comunidade para se tornarem referências como profissio- nais e líderes. Qualaimportânciadoprêmioem âmbitonacionaleparaoreconhecimento dotrabalhodasmulheres? É reconhecimento de que, no Brasil, existem empresas que promovem o de- senvolvimento feminino em plenitude semcomprometersuacarreiraedequehá mulheres que desenvolvem um trabalho de excelência. Eu sou uma delas. O prêmio servirá de apoio para que outras entidades dos setores público e privado possam in- vestir em diversidade de gênero e no de- senvolvimento feminino. >>entrevista SUJUNGKO Líderdofuturo Edi Pereira/Divulgação Paula Un Mi Kim/Divulgação

Related Documents