Edvaldo Santos,
Diretor Centro de Inovação da Ericsson
A Inovação Aberta tem sido fundamental para os grandes avanços te...
Os resultados são significativos e explicam, de certa forma, a
agilidade e quantidade de inovações tecnológicas que o mun...
of 2

Inovação aberta: O modelo de P&D do século XXI

A Inovação Aberta tem sido fundamental para os grandes avanços tecnológicos dos tempos atuais. Em seu livro Open Innovation: The New Imperative for Creating and Profiting from Technology, Henry Chesbrough, referência mundial sobre o tema, demonstra como o mundo corporativo vem adotando, há algumas décadas, esse processo de colaboração focado no compartilhamento e troca de ideias e experiências e integrando pesquisadores internos e externos às empresas. Mas nunca essas premissas foram tão importantes como no século XXI.
Published on: Mar 4, 2016
Published in: Technology      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Inovação aberta: O modelo de P&D do século XXI

  • 1. Edvaldo Santos, Diretor Centro de Inovação da Ericsson A Inovação Aberta tem sido fundamental para os grandes avanços tecnológicos dos tempos atuais. Em seu livro Open Innovation: The New Imperative for Creating and Profiting from Technology, Henry Chesbrough, referência mundial sobre o tema, demonstra como o mundo corporativo vem adotando, há algumas décadas, esse processo de colaboração focado no compartilhamento e troca de ideias e experiências e integrando pesquisadores internos e externos às empresas. Mas nunca essas premissas foram tão importantes como no século XXI. O aumento da disponibilidade e da mobilidade de recursos humanos altamente qualificados e em locais diferentes é uma das vantagens para a adoção do processo de desenvolvimento de P&D baseado em Inovação Aberta. É também o caminho mais rápido e eficaz de se buscar o modelo de negócio adequado aos produtos e serviços das empresas.
  • 2. Os resultados são significativos e explicam, de certa forma, a agilidade e quantidade de inovações tecnológicas que o mundo contemporâneo tem presenciado. Cada vez mais estamos diante de desenvolvimentos tecnológicos com períodos de tempo menores entre os laboratórios de pesquisa e de desenvolvimento, das empresas e dos parceiros, e os produtos na rua. Nessa onda, os códigos abertos de livre acesso, inspirados e que complementam o conceito de inovação aberta, têm também favorecido o crescimento do número de inovações tecnológicas à disposição da sociedade. Nesse cenário, os investimentos em Inovação Aberta têm aumentado a cada ano nos centros de P&D dos grandes players de segmentos estratégicos como infraestrutura, telecomunicações, petróleo, gás e automobilismo, por exemplo. O intercâmbio de ideias e os processos de desenvolvimento em P&D, reunindo funcionários e colaboradores das universidades e institutos de pesquisa, têm se mostrado eficientes para a competitividade e a atualização das empresas. No momento em que o Plano Brasil Maior, lançado pelo Governo Federal em Abril de 2012, visa “atrair para o País centros de P&D de empresas estrangeiras, assegurando a transferência de tecnologia e registro de patentes geradas no Brasil”, as experiências de grandes empresas, que já desenvolvem P&D no País, sob os preceitos da Inovação Aberta, merecem ser consideradas e seguidas. Ainda que a prática da Inovação Fechada seja utilizada por algumas empresas, observamos que a adoção da Inovação Aberta é cada vez mais estratégica: a competição entre as empresas a partir de sua utilização está no domínio do processo de criação e gerenciamento do ecossistema de inovação. Esse processo deve ter critérios objetivos de seleção de parceiros, com práticas e ferramentas de compartilhamento de conhecimento, além de considerar eventual distribuição geográfica das equipes e contar com práticas eficientes de governança e coordenação de projetos para, desta forma, assegurar o alcance das metas estipuladas. Além disso, é necessário transformar o conhecimento em produtos que ofereçam vantagem competitiva e que sejam desenvolvidos no tempo e dentro dos parâmetros de custo determinados pelo mercado. Com essa metodologia, todos ganham: as empresas com aumento de competitividade, redução de custos, aumento do seu estoque de conhecimento e aceleração da curva de aprendizado. Os parceiros, universidades e institutos de desenvolvimento também ganham ao terem acesso ao conhecimento tecnológico e aplicações que geram valor imediato para sociedade. Por outro lado, toda a indústria é submetida a um ambiente de negócio mais competitivo, estimulando que todos se desenvolvam mais rapidamente e de forma mais eficaz. E, por fim, esse ambiente de desenvolvimento tecnológico mais rápido e competitivo proporciona à população o acesso a produtos mais baratos por conta dos benefícios da produção em escala mundial. ERC-12:000345 Upt © Ericsson AB 2012 Telefonaktiebolaget LM Ericsson SE-126 25 Stockholm, Sweden Telephone +46 8 719 0000 Fax +46 8 18 40 85 www.ericsson.com

Related Documents