APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CURSO DE ENDODONTIA
 Clóvis Stephono P. Bueno Glauber José Alencar Pereira Ivana Mello de Medeiros Jacy Quintella Arrouxelas Lucas Lôbo F...
O objetivo deste estudo foi investigar os diâmetros apicais de canais radiculares de raízes de diferentesgrupos dentário...
 Foram selecionados aleatoriamente 180 dentes de humanos extraídos armazenados em formol a 10% . Vinte dentes foram se...
 Cada raiz foi seccionada horizontalmente em 1, 2, 3, 4 e 5 mm do ápice radicular, atingindo um total de 1.181 se...
 Os diâmetros foram analisados por 2 examinadores.O canal era tido como oval longo quando o tamanho do raio do maior diâ...
A avaliação e as comparações foram feitas descritivamente. Osnúmeros e porcentagens das diferentes formas dos canais sec...
 Na Tabela I consta os diâmetros dos canais a 1, 2 e 5 mm do ápice para todos os grupos de dentes. As ocorrênc...
TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL ...
TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL ...
TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL ...
TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL ...
TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL ...
TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL ...
TABELA II- Porcentagem de canais ovais longos (raio do maior diâmetro ≥ 2xo tamanho do raio do menor diâmetro ) entre 1 e ...
TABELA II- Porcentagem de canais ovais longos (radio do maior diâmetro ≥2x o do menor ) entre 1 e 5 mm do ápice. Dente/ c...
 Os cálculos da conicidade (taper) apical dos canais foram apresentados na Tabela IV. Em alguns grupos, a conicidad...
TABELA IV – “TAPER” DOS CANAIS RADICULARESCanais Dentes Taper (mm/mm) Taper (mm/mm) Superiores ...
TABELA IV – “TAPER” DOS CANAIS RADICULARESCanais Dentes Inferiores Taper (mm/mm) sentido VL Taper (mm/mm) ...
 Com os resultados deste estudo anatômico, pode-se concluir que em aproximadamente um quarto dos ápices radiculares(25...
Prevalência e extensão de canais ovais longos na Endodontia
of 21

Prevalência e extensão de canais ovais longos na Endodontia

Resumo de artigo (Wu et al OS.OM.OP.OR.OE -2006) sobre prevalencia e extensão de canais ovais longos encontrados no terço apical dos diferentes grupos dentários.
Published on: Mar 4, 2016
Published in: Education      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Prevalência e extensão de canais ovais longos na Endodontia

  • 1. APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CURSO DE ENDODONTIA
  • 2.  Clóvis Stephono P. Bueno Glauber José Alencar Pereira Ivana Mello de Medeiros Jacy Quintella Arrouxelas Lucas Lôbo Ferro Patrícia Araújo de Albuquerque Silvia Amélia Vasconcelos de Albuquerque Profª. Inês Jacyntho Inojosa
  • 3. O objetivo deste estudo foi investigar os diâmetros apicais de canais radiculares de raízes de diferentesgrupos dentários de humanos, além de determinar a prevalência e extensão de canais ovais longos. .
  • 4.  Foram selecionados aleatoriamente 180 dentes de humanos extraídos armazenados em formol a 10% . Vinte dentes foram selecionados para cada grupo : incisivos , caninos, pre-molares e molares superiores e inferiores . Nenhuma informação foi dada sobre a idade dos dentes . A patência de cada canal foi confirmada pela inserção de uma lima 08 através do forame Dentes com forame maior do que 1mm , foram excluídos.
  • 5.  Cada raiz foi seccionada horizontalmente em 1, 2, 3, 4 e 5 mm do ápice radicular, atingindo um total de 1.181 secções. Os cortes foram colados em lâmina de vidro. Os diâmetros foram medidos nas 5 secções transversais de cada dente, com um microscópio de medição, com
  • 6.  Os diâmetros foram analisados por 2 examinadores.O canal era tido como oval longo quando o tamanho do raio do maior diâmetro fosse no mínimo o dobro do tamanho do raio do menor diâmetro. x 2x
  • 7. A avaliação e as comparações foram feitas descritivamente. Osnúmeros e porcentagens das diferentes formas dos canais seccionados em comprimentos variados foram relatados em tabelas para cada grupo de dente.
  • 8.  Na Tabela I consta os diâmetros dos canais a 1, 2 e 5 mm do ápice para todos os grupos de dentes. As ocorrências do canal oval longo estão apresentadas na Tabela II. Em 1181 secções transversais avaliadas, um canal oval longo foi identificado em 293 (25%) secções transversais. Os outros 75% foram mais circulares ou ligeiramente ovais.
  • 9. TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL MÉSIO-DISTAL CORTES 1mm 2mm 5mm 1mm 2mm 5mm DENTES SUP. INCISIVO 0.34 0.47 0.76 0.30 0.36 0.54 (0.15- (0.19- (0.30-1.20) (0.14-0.59) (0.17-0.72) (0.27-0.99) CENTRAL 0.69) 0.94) INCISIVO 0.45 0.60 0.77 0.33 0.33 0.47 (0.27-0.83) (0.30-1,18) (0.46-1.30) (0.19-0.54) (0.17-0.51) (0.24-0.76) LATERAL CANINOS 0.31 0.58 0.63 0.29 0.44 0.50 (0.16-0.58) (0.31-0.89) (0.41-1.26) (0.11-0.50) (0.24-0.57) (0.29-0.67)
  • 10. TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL MÉSIO-DISTAL CORTES 1mm 2mm 5mm 1mm 2mm 5mm PRE MOLAR SUP. 1 canal 0.37 0.63 1.13 0.26 0.41 0.38 (0.16-1.35) (0.27-1.26) (0.47-2.24) (0.14-0.37) (0.23-0.67) (0.29-0.49) Canal 0.30 0.40 0.35 0,23 0,31 0.31 (0.23-0.33) (0.12-0.67) (0.29-1.16) (0,20-0,27) (0.07-0.52) (0.20-0.62) Vestibular Canal 0.23 0.37 0.42 0.17 0.26 0.33 (0.17-0.29) (0.26-0.80) (0.23-0.67) (0.17-0.19) (0.20-0.51) (0.18-0.50) Palatino
  • 11. TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL MÉSIO-DISTAL CORTES 1mm 2mm 5mm 1mm 2mm 5mm MOLAR SUP. 1 canal na 0.43 0.46 0.96 0.22 0.32 0.29 raiz MV (0.09-0.99) (0.34-0.96) (0.34-2.67) (0.13-0.39) (0.13-0.53) (0.15-0.56) Canal MV 0.19 0.37 0.46 0.13 0.27 0,32 da raiz MV (0.12-0.26) (0.29-0.91) (0.23-1.11) (0.08-0.18) (0.11-0.41) (0.16-0.50) Canal MP 0,19 0.31 0.38 0.16 0.16 0.16 da raiz MV (0.14-0.23) (0.22-0.60) (0,19-1.21) (0.15-0.16) (0.09-0.23) (0.09-0.35) Canal DV 0.22 0.33 0.49 0.17 0.25 0.31 (0.07-0.73) (0.18-1.33) (0,24-1.54) (0.07-0.39) (0.15-0.31) (0,20-0.60) Canal 0.29 0.40 0.55 0.33 0.40 0.74 Palatino (0.09-0.45) (0.12-0.59) (0,31-0.91) (0.11-0.72) (0.27-0.94) (0,31-1.45)
  • 12. TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL MÉSIO-DISTAL CORTES 1mm 2mm 5mm 1mm 2mm 5mm DENTES INFERIOR. INCISIVOS 0.37 0.52 0.81 0.25 0.25 0.29 (0.13-0.80) (0.28-0.98) (0.29-1.80) (0.12-0.33) (0,12-0.51) (0.19-0.49) CANINOS 0.47 0.45 0.74 0.36 0.36 0.57 (0.18-0.75) (0.28-0.71) (0.48-1.68) (0.18-0.72) (0,28-0.63) (0.34-0.85)
  • 13. TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL MÉSIO-DISTAL CORTES 1mm 2mm 5mm 1mm 2mm 5mm PRE MOLAR INFERIOR 1 canal 0.35 0.40 0.76 0.28 0.32 0.49 (0.20-0.80) (0.29-1.01) (0.52-1.67) (0.16-0.54) (0,17-0.67) (0.26-0.80) Canal 0.20 0.34 0.36 0,23 0.29 0.41 (0.20-0.62) (0.27-0.62) (0.20-1.05) (0,23-0.28) (0.28-0.48) (0.30-1.10) Vestibular Canal 0.13 0.32 0.37 0.37 0.21 0.17 (0.12-0.15) (0.24-0.38) (0.16-1.08) (0.16-1.08) (0.17-0.34) (0.12-0.54) Palatino
  • 14. TABELA I – Média dos diâmetros dos canais em mm a 1, 2, e 5 mm do ápice . VESTÌBULO-LINGUAL MÉSIO-DISTAL CORTES 1mm 2mm 5mm 1mm 2mm 5mm MOLAR INFERIOR 1 canal na 0.45 0.80 2.11 0.22 0.30 0.29 raiz MV (0.06-0.60) (0.37-1.45 ) (0.48-2.89) (0.11-0.54) (0.14-0.55) (0.17-0.50) CMV / raiz 0.40 0.42 0.64 0.21 0.26 0.32 mesial (0.20-0.52) (0.28-0.77) (0.41-1.26) (0.19-0.39 ) (0.18-0.38) (0.24-0.42) CML/ raiz 0.38 0.44 0.61 0.28 0.24 0.35 mesial (0.32-0.67) (0,24-1.08) (0.12-0.89) (0.23-0.37) (0.16-0.42) (0.12-0.63) Canal 0.46 0.50 1.07 0.35 0.34 0.59 Distal (0.28-1.69) (0.23-l.73) (0.58-2.78) (0.18-0.69) (0.18-0.61) (0.33-0.82)
  • 15. TABELA II- Porcentagem de canais ovais longos (raio do maior diâmetro ≥ 2xo tamanho do raio do menor diâmetro ) entre 1 e 5 mm do ápice. Dente/ corte Superiores Em alguns grupos dentários a ocorrência de canais ovais longos a 5mm do ápice foi ≥ 50%
  • 16. TABELA II- Porcentagem de canais ovais longos (radio do maior diâmetro ≥2x o do menor ) entre 1 e 5 mm do ápice. Dente/ corte Inferiores Em alguns grupos dentários a ocorrência de canais ovais longos a 5mm do ápice foi ≥ 50%
  • 17.  Os cálculos da conicidade (taper) apical dos canais foram apresentados na Tabela IV. Em alguns grupos, a conicidade no sentido mésio/distal foi de 0 a 0,02 mm/mm .
  • 18. TABELA IV – “TAPER” DOS CANAIS RADICULARESCanais Dentes Taper (mm/mm) Taper (mm/mm) Superiores sentido VL sentido MD Incisivo Central 0.11 0.06 Incisivo Lateral 0.08 0.04 Canino 0.08 0.05 Pre molar 1 canal 0.19 0.03 PM Canal Vestib. 0.03 0.02 PM Canal Palat. 0.05 0.04Molar 1 canal raizMV 0.13 0.02 Molar CMV /raizMV 0.07 0.05 Molar CMP /raizMV 0.05 0 Canal DV 0.07 0.04 Canal Palatino 0.07 0.10
  • 19. TABELA IV – “TAPER” DOS CANAIS RADICULARESCanais Dentes Inferiores Taper (mm/mm) sentido VL Taper (mm/mm) sentido MD Incisivos 0.11 0.01 Canino 0.07 0.05 Pre molar 1 canal 0.10 0.05 PM Canal Vestib. 0.04 0.05 PM Canal Palat. 0.06 0 Molar 1 canal / raiz 0.42 0.02 mesial Molar CMV/ mesial 0.06 0.03 Molar CML/mesial 0.06 0.02 Canal Distal 0.15 0.06 Média 0.1 _+ 0.08 0.04 +_ 0.02
  • 20.  Com os resultados deste estudo anatômico, pode-se concluir que em aproximadamente um quarto dos ápices radiculares(25%) o maior diâmetro do canal radicular é no mínimo ≥2 vezes o tamanho do menor diâmetro; esta discrepância pode complicar os procedimentos de limpeza , modelagem e obturação do canal radicular.