PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigaç...
of 9

Previne Edição Nº 09 - Cuidado com o Combustível!

Published on: Mar 4, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Previne Edição Nº 09 - Cuidado com o Combustível!

  • 1. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!1SERIPA IImaio de 2013“É Full, Comandante?” Muito cuidado com essa pergunta! Mais do que abastecera aeronave, deve-se atentar para os cuidados que envolvem a operação earmazenamento de combustíveis de aviação.Observando-se as cores das amostras de gasolina de aviação (AVGAS) na figuraabaixo, qual estaria “apropriada” para utilização?Amostras deAVGASNão é muito difícil perceber que a amostra mais escura está fora dos padrõesnormais de cor previstos para aAVGAS (verde ou azul). No entanto, foi retirada do filtrodecantador de combustível de uma aeronave que, após realizar um reabastecimento,apresentou falha do motor em voo. O combustível estava contaminado!Lidar com combustíveis de avião requer cuidados especiais. Não é somenteabastecer e pronto, o voo já está garantido! Da drenagem dos tanques aoabastecimento das aeronaves, passando pelo manuseio e armazenamento, o ideal éque os procedimentos previstos sejam cumpridos à risca.Cuidado com o combustível !ano 2 - Edição nº 09
  • 2. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!2SERIPA IImaio de 2013ano 2 - Edição nº 09Prezado Comandante/Mantenedor:“O senhor tem se preocupado com a qualidade do combustível que utiliza? Temrealizado a drenagem diária do combustível conforme o previsto? Tem solicitado o testedo combustível antes do abastecimento? Com que frequência tem acompanhado osabastecimentos? Durante os abastecimentos e destanqueios verificou se a aeronaveestava aterrada adequadamente?”Conforme dados divulgados pelo CENIPA, entre 2002 e 2011, acidentesaeronáuticos tipificados como falha de motor em voo representaram 23,2% do total dasocorrências aeronáuticas, no âmbito da aviação civil brasileira.Parte desse percentual de falha de motor em voo está relacionado aprocedimentos de abastecimento mal sucedidos e utilização de combustíveiscontaminados por água, microorganismos e outros.Diversas ocorrências de solo também estão relacionadas a condições insegurasenvolvendo combustíveis de aviação. Durante os procedimentos de abastecimento edestanqueio de combustível, um aterramento incorreto e/ou falhas nos procedimentosde segurança poderão causar princípios de incêndio capazes de produzir danos àspessoas e aeronaves.Vidas humanas foram ceifadas e prejuízos altíssimos recaíram sobre operadorese proprietários de aeronaves simplesmente devido à ausência de cuidados básicoscom o manuseio, armazenagem e procedimentos de abastecimento/destanqueio decombustíveis.Em março de 2008, uma aeronave SR22 CIRRUS (que utiliza gasolina deaviação), acidentou-se em decorrência de ter sido abastecida com 265 litros dequerosene de aviação (JET A-1). Instantes após a decolagem do aeródromo deJacarepaguá-RJ, a aeronave caiu vitimando as quatro pessoas que estavam a bordo.
  • 3. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!3SERIPA IImaio de 2013ano 2 - Edição nº 09A aeronave foi abastecida com querosene (JET A-1) ao invés de gasolina de aviação(AVGAS)Fonte: CENIPANuma outra ocorrência, em março de 2010, a não realização dadrenagem do combustível antes do primeiro voo do dia contribuiu para que aaeronave apresentasse falha de motor em voo devido à presença de água nocombustível. O piloto e o passageiro saíram ilesos e a aeronave ficougravemente danificada.Aeronave acidentada.Fonte:CENIPAA ocorrência envolvendo a aeronave EMB 202A, em 2011, dentre outrosfatores, teve o inadequado armazenamento de combustível como fatorcontribuinte. O etanol utilizado pela aeronave não atendia às especificaçõesda Agência Nacional do Petróleo (ANP). De acordo com o resultadoencontrado após a análise do combustível, as amostras estavam “nãoconformes” para os aspectos de massa específica e teor alcoólico. Ocombustível estava sendo acondicionado em recipientes fora das especificaçõeselencadas pela NBR 15216, a qual trata do armazenamento de líquidosinflamáveis e combustíveis.Presença de água no interior da válvuladistribuidora de combustível (Aranha)
  • 4. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!4SERIPA IImaio de 2013ano 2 - Edição nº 09Aeronave após a ocorrência.Fonte: CENIPAOutro aspecto relacionado à operação com combustíveis é a eletricidadeestática. Um exemplo disso foi o incêndio ocorrido, em 2011, envolvendo umaaeronave Sêneca. Ao realizar destanqueio do combustível, no interior do hangar,devido à atmosfera favorável e falhas nos procedimentos de aterramento esegurança, a aeronave incendiou-se quase que completamente. Neste evento,houve apenas danos materiais.Estado da aeronave após o incêndioFonte: CENIPAPara detalhes técnicos envolvendo combustíveis de aviação, devem serconsultadas as legislações NBR 15216 e NBR 13310, que tratam sobre oarmazenamento de líquidos inflamáveis, combustíveis e das características doscaminhões tanques de abastecimento, respectivamente. Aliado a isso, temos aindaas Fichas de Informação e Segurança de Produto Químico (FISPQ) quecomplementam as informações sobre controle de qualidade dos produtos químicos,dentre eles os combustíveis de aviação.Vale a pena consultar!Em detalhe, os recipientes utilizados paraarmazenamento do etanol.
  • 5. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!5SERIPA IImaio de 2013ano 2 - Edição nº 09ALGUMAS DICAS ENVOLVENDO COMBUSTÍVEIS DEAVIAÇÃO1 – Não fumar no interior de hangares ou durante destanqueios e/ou abastecimentosde aeronaves.2 - Verificar com frequência o estado da borracha de vedação dos bocais deabastecimento dos tanques. Caso estejam ressecadas ou danificadas poderãocontribuir para a entrada de água nos tanques.3 - Realizar a drenagem diária do combustível utilizando recipiente transparente,conforme especificado pelo fabricante da aeronave. Observar se há presença de águano fundo do recipiente. Se constatar a presença de água, sujidades ou limo, submetera amostra à análise.4 – Solicitar ao abastecedor o teste para comprovação da qualidade do combustível.5 –Acompanhar os abastecimentos.6 – Durante abastecimentos e destanqueios, atentar para o correto aterramento a fimde que sejam evitados princípios de incêndio devido à eletricidade estática.7 – Utilizar EPI / EPC e portar extintor de incêndio (adequado e em condições de uso)durante abastecimentos e destanqueios de combustíveis.8 – Não utilizar ou reutilizar combustível destanqueado.Referência:http://www.cenipa.aer.mil.br/ - acessado em 05/04/2013
  • 6. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!SERIPA IIPREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS É DESTAQUE EMSALVADORMais de 70 profissionais da aviação civil e militar participaram da Jornada dePrevenção de Acidentes Aeronáuticos em Salvador – BA, ocorrida nos dias 12 e 13 deabril. O ciclo de palestras sobre segurança de voo promovido pelo Segundo Serviço deInvestigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos – SERIPA II – foi realizado noauditório da INFRAERO doAeroporto Internacional de Salvador.Para elevar o nível de segurança de todas as atividades relacionadas à aviação,foram enfatizados o panorama estatístico da segurança de voo no âmbito da aviaçãocivil, a importânciada comunicação nas corporações e a doutrina de manutenção.A jornada contou com a presença de diversos representantes de companhias detáxi-aéreo, escolas de formação de aeronautas e operadores aeropoliciais, comotambém de aviadores e controladores de tráfego aéreo do Comando daAeronáutica.A equipe do SERIPA II também realizou palestras para 110 cadetes da Academiade Polícia Militar da Bahia. Aos futuros oficiais foi apresentado o funcionamento doSIPAER, que enfatizou os procedimentos de ação inicial de investigação de acidentesaeronáuticos e procurou esclarecer a importância da ação coordenada entre a políciamilitar e os investigadores do Comando daAeronáutica no cenário de um acidente.as ferramentas gerenciais de prevenção de acidentes aeronáuticos,maio de 2013ano 2 - Edição nº 096
  • 7. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!7SERIPA IImaio de 2013AGENDAano 2 - Edição nº 09PRÓXIMOS EVENTOS:Ÿ 18/05 - Campina Grande-PB - JORNADA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTESAERONÁUTICOS.Ÿ 15/06 - Teresina-PI - SEMINÁRIO REGIONAL DE PREVENÇÃO DE ACIDENTESAERONÁUTICOS.JORNADA DE PREVENÇÃODE ACIDENTES AERONÁUTICOSCampina Grande-PBA prevenção de acidentes aeronáuticos, além de ser um desejo de todo cidadão, faz parte dacultura de grupo dos profissionais da aviação.Com o objeto de preservar vidas humanas e transmitir conhecimentos a respeito de temas afetosà Segurança Operacional, visando tornar a atividade aérea mais segura, temos a satisfação deconvidá-lo(a) para participar da Jornada de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos.Data:18 de maio de 2013Local: Auditório da Escola Superior de Aviação Civil-ESACAv. Luiza Bezerra Motta, 200Bairro: Catolé - Campina Grande-PBHorário: das 09:00 às 12:30hTraje: Civis: Esporte FinoMilitares: 7ºA ou correspondenteInscrições GRATUITASVagas limitadasEntrega de CertificadosINFORMAÇÔES:eventos@seripa2.aer.mil.brREALIZAÇÃO: APOIO:A pré-inscrição poderá ser efetuada até o dia 16 de maio de 2013, por meio do endereçoeletrônico . A confirmação de participação na jornada ocorrerá pormeio do endereço eletrônico cadastrado no momento da pré-inscrição.eventos@seripa2.aer.mil.br
  • 8. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!8SERIPA IImaio de 2013ano 2 - Edição nº 09DIVULGAÇÃO OPERACIONAL Nº 02/SERIPA II/2012SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃODE ACIDENTES AERONÁUTICOS DATA: 10/10/2012Esta ferramenta tem como finalidade divulgar as informações ou os conhecimentosde interesse da Prevenção de Acidentes Aeronáuticos a toda comunidade da aviaçãobrasileira visando à Segurança de Voo.O uso desta divulgação para qualquer propósito diferente da Prevenção de acidentespoderá induzir a interpretações errôneas e trazer efeitos adversos ao Sistema deInvestigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER).HISTÓRICO:A aeronave Caravan, modelo C 208B, encontrava-se em voo de cruzeiro, no FL 080, com 10(dez) pessoas a bordo, quando, segundo relato do comandante, houve perda de potência do motor,fato que o obrigou a realizar um pouso de emergência em uma rodovia próxima. O piloto e os novepassageiros saíram ilesos e não houve danos na aeronave nem a terceiros.ANÁLISE:Durante os procedimentos de investigação deste incidente grave, verificou-se a possibilidadede ter ocorrido, durante o voo de cruzeiro, um embandeiramento da hélice não comandado pelo piloto.Analisando-se o sistema de controle de passo da hélice, do motor modelo PT6A-114/114Aque equipaas aeronaves CARAVAN C-208, observa-se que na parte traseira da Válvula Beta, a base do engatetipo forquilha, Beta Clevis, deve ficar nivelada com a face frontal da porca da própria Válvula Beta,conforme detalheAda figura 502 do CESSNA Model 208 Maintenance Manual, Cap 76-10-03.OCORRÊNCIA/SITUAÇÃODATA: 02/07/2012 LOCAL: Aracatu- BA AERONAVE: Cessna 208B – Grand CaravanASSUNTO: Falha do Motor em Voo
  • 9. PreviNEBoletim Informativo de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Região NordesteSegundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticosprevenção, iNvestIGAÇÃO, Cuidar da Aviação é a nossa obrigação!!!9SERIPA IImaio de 2013ano 2 - Edição nº 09Caso a regulagem da Válvula Beta esteja fora deste parâmetro, ou seja, com abase do engate tipo forquilha, Beta Clevis, desnivelada, adiantada, em relação à facefrontal da porca, o mecanismo interno da Válvula Beta ficará numa posição limítrofe nosentido de permitir a drenagem do óleo do atuador da hélice por intermédio da VálvulaPiloto do Governador da referida hélice.A pré-regulagem do sistema de controle de passo da hélice na condição descritaacima, coloca-o numa condição iminente de falha quando consideradas aspossibilidades de desgaste e desregulagem dos outros componentes do referidosistema, decorrentes de uma operação normal continuada do motor.Nesta ocorrência, há indícios de que o suposto embandeiramento da héliceocorreu em virtude da regulagem inadequada da base do engate tipo forquilha, BetaClevis, que se encontrava desnivelada, adiantada, em relação à face frontal da porcada válvula Beta, somado ao desgaste, natural, de outro componente do sistema decontrole do passo de hálice, o bloco de carvão.Tal regulagem, feita em desacordo com o estabelecido no Manual deManutenção da aeronave, também foi encontrada em outras três aeronavessubmetidas aos serviços de manutenção realizados pela mesma oficina mantenedorada aeronave envolvida no incidente grave em questão.AÇÕES RECOMENDADAS:AOS OPERADORES DAS AERONAVES C208: aperfeiçoar seus mecanismosde supervisão, visando a assegurar o fiel cumprimento do Programa de Manutençãoestabelecido pelo Fabricante do motor que equipa suas aeronaves.AOS MANTENEDORES DAS AERONAVES EQUIPADAS COM O MOTORPT6A-114/114A: observar o fiel cumprimento do Maintenance Manual 76-10-03 EngineRigging – adjust/tests, para efeito da regulagem da válvula Beta.CONTATOSProdução:Seção de Prevenção do SERIPA IISeção de Prevenção: (81) 2129-7303E-mail: previne@seripa2.aer.mil.brLayout: S2 Brenon

Related Documents