José Augusto ChagasNascer e Morrer:Educação Consciencial do Espírito25/05/2013
8 DE DEZEMBRO DE 2003 Ao desperdir-me dePedro Henrique, que seencontrava na UTI, eleme disse:- Pai, vai com Deus. Eupense...
NASCER E MORRER Nascer (do infinitivo latino nascĕre) :1. vir ao mundo, dar à luz2. começar a ter vida exterior Morrer (...
NASCER E MORRER Quantas pessoas nascem diariamente em todo omundo?Quase 3 por segundo – ou 180 por minuto. Quantas pesso...
POPULAÇÃO PLANETARIA56,00020%24,00080%EncarnadosDesencarnados2,00033%4,00067%Encarnados emRegeneração -MissionariosEncarna...
EVIDÊNCIAS DA VIDAANTES DA VIDA A Dra. Helen Wambach em seu livro Vida antes da Vida apresenta oestudo de 750 casos de pa...
EVIDÊNCIAS DA VIDADEPOIS DA VIDA O Dr. Raymond Moody relata no livro Vida antes da Vida, umestudo realizado na década de ...
EVIDÊNCIAS DA VIDADEPOIS DA VIDA No King´s College de Londres está acontecendo uma revoluçãono mundo da tanatologia, o es...
EVIDÊNCIAS DA MEDIUNIDADE No Brasil, a mediunidade de Chico Xavier foi estudada pelo Dr. PauloRossi em 1991. Chico Xavier...
NASCER, VIVER,MORRER, RENASCER AINDA, PROGREDIRSEMPRE, TAL É A LEI. Nascer e morrer são diferentes etapas biológicas vive...
EDUCAÇÃO DO ESPÍRITO Entendemos por educação o desenvolvimentodas potencialidades do Espírito eterno. Não podemos, pois,...
PROCESSO DE APRENDIZAGEM Quando o indivíduo age (procedimento) utiliza asestruturas mentais que já possui, que reagirá co...
ESFORÇO DE ADAPTAÇÃOAçãoExperiênciasNovaEstruturaEstruturaAnteriorAssimilaçãoAcomodação Toda atividade mental se processa...
14André LuizPara Freud, o id, o ego eo superego são funções da mente em diferentesníveis de consciência.FreudPSIQUISMO HUM...
EVOLUÇÃO CONSCIENCIALInteração com omundo espiritualEvolução do Espíritopelo esforço próprioInteração com o meiosocialAtra...
 Cada ser humano é responsável pela busca do seu equilíbrio, dasua harmonia. O Espiritismo auxilia no tratamento daconsci...
Tendencias doPassadoEnfermidadesObsessõesExpansão da CriseDesordens FísicasJustificativasAuto-piedadeMáscarasAcommodaçãoSe...
 As pessoas apegam-se aos sentimentos inferiores como se fosseum bem. É um tipo de posse que não querem perder porque est...
 Hans Selye dividiu toda reação de Estresse em três estágios. O primeiroestágio, é a chamada Reação de Alarme, durante a ...
SÍNDROME GERAL DE ADAPTAÇÃO
 Seyle propôs que as doenças de adaptação são predominantementeconsequências do excesso de reações de submissão. Isto po...
VONTADE INTELIGENTE Quando a vontade for insuficiente para debelar assituações danosas para a pessoa, como os víciosdiver...
SOLIFICANDO VIRTUDES Pestalozzi procurava desenvolver atividades práticascom o objetivo de solidificar o conhecimento adq...
CONCLUSÃO Por esta razão necessitamos nascer, morrer, renascer,voltar a morrer e ainda renascer, até que, pelarepetição, ...
ALGUNS ANOS DEPOIS EM SÃO PAULO... Certa noite, eu participava de um trabalho de atendimentoespiritual. Ao final dos trab...
of 25

Nascer e morrer educacao consciencial do espirito

Published on: Mar 3, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Nascer e morrer educacao consciencial do espirito

  • 1. José Augusto ChagasNascer e Morrer:Educação Consciencial do Espírito25/05/2013
  • 2. 8 DE DEZEMBRO DE 2003 Ao desperdir-me dePedro Henrique, que seencontrava na UTI, eleme disse:- Pai, vai com Deus. Eupensei em dizer... vaipara o inferno...masDeus chegou para mim edisse: Pedro, muda odisco..então eu disse: vaicom Deus... para o bemeu digo sim, para o maleu digo não. Esta foi praticamentenossa última conversa,pois Pedro viria adesencarnar no diaseguinte. Entretanto, estaspalavras ficarão parasempre como marcaindelével da presença deDeus em seu coração. Se este era um objetivopara a encarnação, elefoi alcançado.
  • 3. NASCER E MORRER Nascer (do infinitivo latino nascĕre) :1. vir ao mundo, dar à luz2. começar a ter vida exterior Morrer (do infinitivo latino morrere) :1. passar do estado vivo para o estado morto; falecer
  • 4. NASCER E MORRER Quantas pessoas nascem diariamente em todo omundo?Quase 3 por segundo – ou 180 por minuto. Quantas pessoas morrem?102 por minuto. Onde nascem mais?Na Índia, que faz 33 partos por minuto e deve ultrapassara população da China em 2035. Quem nasce mais?Os homens (são 105 para cada 100 mulheres). Quem morre mais?Os homens. A violência é apontada como principal motivo.(Fonte: ONU e ong Vida Humana Internacional)Aumento da população:78 por minuto4,680 por hora112,320 por dia1,347,840 por ano
  • 5. POPULAÇÃO PLANETARIA56,00020%24,00080%EncarnadosDesencarnados2,00033%4,00067%Encarnados emRegeneração -MissionariosEncarnadosDoentes emSofrimento6,00025%6,00025%12,00050%DesencarnadosCondutoresElevadosDesencarnadosMedianos emRegeneraçãoDesencarnadosDoentes emSofrimentoLirios de Esperança – Ermance Dufaux , 2005Valores em Milhões
  • 6. EVIDÊNCIAS DA VIDAANTES DA VIDA A Dra. Helen Wambach em seu livro Vida antes da Vida apresenta oestudo de 750 casos de pacientes, que com a utilização de hipnose,relataram experiencias reais vividas antes do nascimento. Ela concluiuque: “90% dos pacientes vislumbram, sem nenhuma dúvida, imagens devidas passadas. Estou convencida de que é chegada a hora de estudar comrigor a realidade da reencarnação” . Dr. Ian Stevenson, falecido em 2007, era um dos pesquisadores maisconhecidos na área da reencarnação. Ele atuava na Universidade daVirgínia. Ele estudou milhares de casos em crianças nos Estados Unidos,na Inglaterra, Tailândia, Birmânia, Turquia, Líbano, Canadá, Índia etc.Primeiro, ele verificava toda a informação sobre a vida anterior dacriança. Depois, identificava o desencarnado que a criança dizia ter sidona vida anterior. Mais tarde, confirmava os fatos da vida passada dodesencarnado que coincidiam com as lembranças das crianças.
  • 7. EVIDÊNCIAS DA VIDADEPOIS DA VIDA O Dr. Raymond Moody relata no livro Vida antes da Vida, umestudo realizado na década de 70, envolvendo mais de umacentena de indivíduos que experimentaram a morte clínica ereviveram. Os relatos de suas experiências são semelhantesem seus detalhes e fornecem evidências da sobrevivência doEspírito depois da morte. O Dr. Kenneth Ring, da Universidade de Connecticut e SharonCooper, da Universidade de Nova York, fizeram um estudo dedois anos sobre as experiências de quase-morte em deficientesvisuais, com resultados espantosos. Os resultados forampublicados no livro Mindsight (1999), o qual comprovou que 31pessoas cegas que passaram pela experiência de quase-mortedescreveram a experiência de terem podido ver pela primeiravez em suas vidas, dando detalhes de procedimentos médicosna mesa cirúrgica.
  • 8. EVIDÊNCIAS DA VIDADEPOIS DA VIDA No King´s College de Londres está acontecendo uma revoluçãono mundo da tanatologia, o estudo científico sobre a morte. Opesquisador e médico Peter Fenwick está fazendo experimentosdetalhados sobre um fenômeno que acontece entre as 24 e 48horas antes e depois da morte e também no momento da morte.“Esses acontecimentos ocorrem com muita frequência e emgrande porcentagem dos casos e afirmam que a consciência édiferente do cérebro”, conclui Dr. Fenwick. O médico oncologista Jeffrey Long, autor do Evidências da vidaapós a morte, dirige a fundação de pesquisa sobre experiênciade quase-morte que tem mais de 2.500 estudos de casos. “Minhaárea profissional está baseada em pesquisas sobre experiênciasde quase-morte. Em minha opinião, as experiências de quase-morte proporcionam uma das maiores evidências científicas davida após a morte”, diz Jeffrey Long.
  • 9. EVIDÊNCIAS DA MEDIUNIDADE No Brasil, a mediunidade de Chico Xavier foi estudada pelo Dr. PauloRossi em 1991. Chico Xavier ficou conhecido pelo seu trabalhogratuito, pelo qual publicou mais de 400 livros recebidos de mais de600 autores espirituais, e também recebia cartas de pessoas jáfalecidas. O estudo do Dr. Paulo Rossi confirmou que 93,3% das pessoas quevisitavam Chico Xavier não o conheciam; 62,2% das mensagensmostraram mais de seis fatos reais cada uma e 71,1% continhaminformações detalhadas sobre pessoas falecidas, que foramposteriormente confirmadas como verdadeiras por suas famílias. Rossi concluiu que as informações reveladas por Chico Xavier de fatoprovêm de Espíritos de pessoas mortas e não são resultado dequalquer classe de fraude.
  • 10. NASCER, VIVER,MORRER, RENASCER AINDA, PROGREDIRSEMPRE, TAL É A LEI. Nascer e morrer são diferentes etapas biológicas vivenciadaspelo corpo físico durante a encarnação do Espírito. A criança de hoje é o Espírito eterno, que venceu inúmerasetapas evolutivas através dos milênios. O Espírito evolui através do esforço próprio, com o trabalho desi mesmo. O Espírito conserva após a morte do corpo físico, todas asaquisicões adquiridas durante a encarnação, através doperispírito e, ao renascer em novo corpo físico não perderá opatrimônio adquirido. Nenhum processo educativo pode ignorar que somos Espíritosimortais, criados por Deus, nascendo, vivendo, morrendo, pararenascer e evoluir sempre.Educação do Espírito – Introdução à Pedagogia Espírita - Walter Oliveira Alves
  • 11. EDUCAÇÃO DO ESPÍRITO Entendemos por educação o desenvolvimentodas potencialidades do Espírito eterno. Não podemos, pois, prescindir de analisar aevolução, tanto em seu aspecto espiritual comomaterial, para chegarmos a uma compreensãoreal do desenvolvimento e do processo deaprendizagem, uma vez que o corpo físico é oorgão de manifestação do Espírito e instrumentode sua interação com o meio.Educação do Espírito – Introdução à Pedagogia Espírita - Walter Oliveira Alves
  • 12. PROCESSO DE APRENDIZAGEM Quando o indivíduo age (procedimento) utiliza asestruturas mentais que já possui, que reagirá com oprocedimento presente formando nova estrutura.(Psicologia da Inteligência – Cap. 1 – Jean Piaget) Piaget acrescenta que este processo de modificaçãointerior, que é um processo de adaptação, ocorreatravés da assimilação, que consiste na absorção deexperiências novas às estruturas interiores e daacomodação que consiste na modificação interior, queacomoda seu funcionamento, para readaptar-se anovas experiências.Educação do Espírito – Introdução à Pedagogia Espírita - Walter Oliveira Alves
  • 13. ESFORÇO DE ADAPTAÇÃOAçãoExperiênciasNovaEstruturaEstruturaAnteriorAssimilaçãoAcomodação Toda atividade mental se processa pela assimilação eacomodação em níveis gradualmente crescentes, numavançar progressivo, construindo gradativamente novasestruturas em níveis cada vez mais maiores, ou seja,partindo do que já se tem dentro de si, constroi-se algoem nível um pouco superiorEducação do Espírito – Introdução à Pedagogia Espírita - Walter Oliveira Alves
  • 14. 14André LuizPara Freud, o id, o ego eo superego são funções da mente em diferentesníveis de consciência.FreudPSIQUISMO HUMANONo livro No Mundo Maior, André Luiz apresenta a explanação do EspíritoCalderaro, comparando nosso cérebro com um castelo de três andares. Noprimeiro, subconsciente, simbolizamos nosso passado, com todo arquivo denossas experiências anteriores. No segundo, consciente, está nossopresente, onde estamos trabalhando atualmente na construção de nossofuturo. No terceiro, superconsciente, está o ideal, a meta superior a seralcançada, o nosso futuro.
  • 15. EVOLUÇÃO CONSCIENCIALInteração com omundo espiritualEvolução do Espíritopelo esforço próprioInteração com o meiosocialAtravés de diferentes estágios de reencarnação, o Espírito modifica os instintosprimitivos e sensações, transformando-os em maiores sentimentos de amorem harmonia com as leis de Deus.Instintos Sensações SentimentosReencarnações
  • 16.  Cada ser humano é responsável pela busca do seu equilíbrio, dasua harmonia. O Espiritismo auxilia no tratamento daconsciência humana, lhe apresentando novos valores, educandoo Espírito. O processo educativo do Espírito irá transformar vícios emvirtudes. Estudamos que os vícios e as virtudes acionam as mesmas áreasno cérebro e que é possível ter prazer com as duas situações. Desta forma, como acionar a vontade para eliminar umvício se a pessoa se compraz com este vício?EDUCAÇÃO DO ESPÍRITO
  • 17. Tendencias doPassadoEnfermidadesObsessõesExpansão da CriseDesordens FísicasJustificativasAuto-piedadeMáscarasAcommodaçãoSentimentos escondidosCulpaRancorEmployee Morale, Productivity, TurnoverDisputasProjeçõesCONSCIENTE E INCONSCIENTEConscienteInconsciente
  • 18.  As pessoas apegam-se aos sentimentos inferiores como se fosseum bem. É um tipo de posse que não querem perder porque estãocom eles a milênios.EDUCAÇÃO DO ESPÍRITOSentimentos Inferiores Sentimentos SuperioresÓdio AmorEgoísmo AltruísmoMaldade BondadeRessentimento PerdãoOrgulho HumildadeSofrimento Felicidade Neste caso, a vontade não é simplesmente força de vontade, masinclui fases necessárias: motivação, deliberação, decisão,afirmação, planjemaneto e execução.
  • 19.  Hans Selye dividiu toda reação de Estresse em três estágios. O primeiroestágio, é a chamada Reação de Alarme, durante a qual o organismoreconhece o estressor e começa ativando o sistema neuroendocrino. Depois dessa primeira reação de alarme existem mais duas fasefisiológicas no Estresse, a Adaptação e o Esgotamento.SÍNDROME GERAL DE ADAPTAÇÃOReação de Alarme Adaptação EsgotamentoFisiologia do Estresse As reações de estresse resultam, pois, de esforços de adaptação. Noentanto, se a reação ao agressor for muito intensa ou se o agente doestresse for muito potente e/ou prolongado, poderá haver, comoconsequência, doença ou maior predisposição ao desenvolvimento dedoenças.O Estresse e a Doenças Psicosomáticas - Revista de Psicofisiologia
  • 20. SÍNDROME GERAL DE ADAPTAÇÃO
  • 21.  Seyle propôs que as doenças de adaptação são predominantementeconsequências do excesso de reações de submissão. Isto pode ser mais facilmente comprovado nas doenças em quenotoriamente há um componente de esforço de adaptação, como, porexemplo, nas úlceras digestivas, nas alterações da pressão arterial, criseshemorroidicas, alterações inflamatórias do aparelho gastrintestinal,alterações metabólicas várias etc. Basicamente, existem três categorias de acontecimentos estressantes. Naprimeira categoria encontram-se aqueles que impõem grandesexigências à capacidade de enfrentamento de uma pessoa e ocorrem compouca freqüência, como por exemplo, a morte de um ente querido, a perdade um emprego, ser aprisionado etc. Os pequenos acontecimentosestressantes, chamados de problemas do cotidiano constituem a segundacategoria e acontecem com maior frequência na vida das pessoas. Naterceira categoria encontram-se os conflitos contínuos da vida:problemas de casais, desemprego prolongado,dificuldade de educar osfilhos, etc.SÍNDROME GERAL DE ADAPTAÇÃOO Estresse e a Doenças Psicosomáticas - Revista de Psicofisiologia
  • 22. VONTADE INTELIGENTE Quando a vontade for insuficiente para debelar assituações danosas para a pessoa, como os víciosdiversos, e ela deseja extirpar conscientemente estecomportamento de sua vida, é necessária a utilização deoutra função psíquica: a inteligência. A inteligência amparando a vontade, lhe apontaráalguns caminhos para a erradicação de seus problemas,como dirigir a mente para outros valores melhores e quelhe darão um prazer muito maior do que os utilizadosno momento. O prazer da liberdade é muito maior do que daescravidão.Educação dos Sentimentos – Jason de Camargo
  • 23. SOLIFICANDO VIRTUDES Pestalozzi procurava desenvolver atividades práticascom o objetivo de solidificar o conhecimento adquirido.Somente aprenderemos, de fato, a pensar, pensando,dizia ele. Da mesma forma, só aprederemos as virtudespraticando-as. E é a prática repetida das mesmas, queirá solidificá-las em nós. A repetição exaustiva e diária da bondade iráproduzir uma pessoa bondosa e assim por diante. A técnica é essa para qualquer virtude: aprende-la,analisá-la e repeti-la nas atividades práticas docontidiano. Utilizando a vontade fortalecida pela inteligência.Educação dos Sentimentos – Jason de Camargo
  • 24. CONCLUSÃO Por esta razão necessitamos nascer, morrer, renascer,voltar a morrer e ainda renascer, até que, pelarepetição, tenhamos interiorizado o conjunto devirtudes que fazem um Espírito perfeito. Através da reencarnação, efetuamos nossa jornadaeducativa, ampliando a cada etapa nossa condiçãoconsciencial. Ao alcançarmos esta condição, não teremos mais quepensar em fazer o Bem, simplesmente, exteriozaremosbondade e todas as demais qualidades apresentadaspor Jesus.
  • 25. ALGUNS ANOS DEPOIS EM SÃO PAULO... Certa noite, eu participava de um trabalho de atendimentoespiritual. Ao final dos trabalhos da noite, conversávamos como dirigente espiritual sobre os atendimentos. Neste momento, lembraças do Pedro Henrique me vieram amente. Gostaria de perguntar sobre ele, mais não queriaabusar da boa-vontade do Espírito ali presente. Iniciei umalonga pergunta, que ia sem direção, com receio de tocar noassunto. De repente, fui gentilmente interrompido, e ele me perguntou:Você quer saber do seu filho? Respondi que sim, meio envergonhado. Após um instante de introspecção ele me disse : Ele está muitobem. Tudo correu dentro do previsto, até mesmo o período dodesencarne. Todos nos alegramos quando um irmão retornacom Deus no coração.

Related Documents