Nascida em Divinópolis, Minas Gerais, em 1935
Título:Babagem
Logo na abertura do livro, em Com Licença
Poética, ela já afi...
Comentários:
O livro Bagagem, foi a primeira publicação
de Adélia Prado, de 1976, por indicação de
Carlos Drummond de Andr...
INFORMAÇÕES:
Nascida em Divinópolis, Minas Gerais, em
1935, a poeta e educadora Adélia Prado
lançou seu primeiro livro, Ba...
O tronco
Nascido em 1915, morreu em 1997, na sua cidade natal.
O Tronco (1956). Este segundo livro
enfoca a disputa pelo p...
Comentários:
O livro o tronco , gostei muito dele , apesar
de não achar comentários nesse tópico ,
eu achei ele muito inte...
Os escravos:
Nascido em 1847 na cidade de Curralinho,voltou para a báhia , aonde morreu com 24 anos.
À carreira literária ...
Comentários:
No poema O Navio Negreiro, uma das
estrofes mais famosas ilustra esses
procedimentos: "Senhor Deus dos
desgra...
Mar Absoluto
Cecília Meireles (1901-1964)
É Mar Absoluto, que dá título à coletânea
e exemplifica o "fluxo de inspiração
e...
Comentários:
Nesse poema, o tema do mar, que já
aparecera em Viagem (1939) e Vaga
Música (1942), e as imagens por ele
prod...
Zero
Nascido em 1936,morreu no ano 2006
Concluído em 1969, foi recusado por
quatro editoras e lançado inicialmente na
Itál...
público por sua forma desabusada e
irreverente.
Comentários:
O romance Zero, do jornalista paulista de
Araraquara Ignácio ...
O Analista de Bagé
Nascido em 1936 ,morreu no ano 2000
Poucos personagens, em toda a história da
literatura brasileira, al...
Comentários:
Gigolô das Palavras (1982). O autor se
tornou ainda mais conhecido pelo público
quando passou a assinar uma p...
Tremor de Terra
Nascido em Ituiutaba, em 1942 , morreu no ano de 2007
Escrever diálogos é, talvez, o maior
desafio de qual...
Comentários:Livro relativamente bom, um
mestre na arte de criar diálogos em contos
curtos de fabulosa eficiência narrativa...
Memórias Póstumas de Brás Cubas
Brás Cubas nasceu no dia 20 de outubro de 1805
O romance Memórias Póstumas de Brás
Cubas (...
Comentários:
A infância de Brás Cubas, como a de todo
membro da sociedade patriarcal brasileira
da época, é marcada por pr...
Casmurro, publicados nos anos de 1960,
são referência para os estudiosos. Antes
dela, o historiador das letras Samuel
Putn...
Memórias de um Sargento de Milícias
Manuel Antônio de Almeida (1831-1861)
Passada em sua cidade natal, na época de
d. João...
mais do que se costuma dizer, a certa
atmosfera cômica e popularesca de seu
tempo". O coloquialismo, o humor, os tipos
hum...
Memórias de um Sargento de Milícias tem,
de fato, elementos coincidentes com a
escola literária que anos mais tarde se
fir...
sugerem que a infância pobre expôs-lhe
um universo que a literatura poderia
explorar com mais precisão.
Galvez, Imperador ...
capítulos diminutos que poderiam muito
bem ser cenas justapostas, a história do
espanhol Luiz Galvez Rodrigues de Aria
ser...
of 23

Nascida em divinópolis

Published on: Mar 3, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Nascida em divinópolis

  • 1. Nascida em Divinópolis, Minas Gerais, em 1935 Título:Babagem Logo na abertura do livro, em Com Licença Poética, ela já afirma: "Vai ser coxo na vida é maldição pra homem./ Mulher é desdobrável. Eu sou", em referência ao Poema de Sete Faces (1930), no qual o escritor recebe a intimação do anjo torto para ser gauche na vida. Já em Agora, ó José, a figura criada pelo poeta mineiro recebe uma dose de encorajamento, diante das agruras da vida. Adélia, diferentemente de seu conterrâneo.
  • 2. Comentários: O livro Bagagem, foi a primeira publicação de Adélia Prado, de 1976, por indicação de Carlos Drummond de Andrade. Declaração da autora sobre a obra: "Meu primeiro livro foi feito num entusiasmo de fundação e descoberta nesta felicidade. Emoções para mim inseparáveis da criação, ainda que nascidas, muitas vezes, do sofrimento”.
  • 3. INFORMAÇÕES: Nascida em Divinópolis, Minas Gerais, em 1935, a poeta e educadora Adélia Prado lançou seu primeiro livro, Bagagem, já na maturidade, em 1976. Foi indicada a um editor por Carlos Drummond de Andrade, que viu nela um "fenômeno poético". Tornou-se conhecida e admirada rapidamente. Tanto que, apenas um ano depois, voltava à cena com seu segundo livro, O Coração Disparado (1977), ao qual se seguiram muitas outras publicações.
  • 4. O tronco Nascido em 1915, morreu em 1997, na sua cidade natal. O Tronco (1956). Este segundo livro enfoca a disputa pelo poder numa vila do extremo norte de Goiás, o Duro, último reduto da família Melo. Conhecidos pelo despotismo com que governam a região que fundaram, os Melos são combatidos por toda parte.
  • 5. Comentários: O livro o tronco , gostei muito dele , apesar de não achar comentários nesse tópico , eu achei ele muito interessante só pelo resumo. Informações: O idealista Vicente Lemes, parente dos Melos e nomeado coletor por influência deles, luta para restabelecer a paz. Mas a intervenção da Força Estadual precipita uma luta bárbara que, sem assegurar o cumprimento das leis, prejudicará ambas as partes.
  • 6. Os escravos: Nascido em 1847 na cidade de Curralinho,voltou para a báhia , aonde morreu com 24 anos. À carreira literária e a vida pessoal do baiano Castro Alves ficaram marcadas pelo ímpeto e pela enérgica entrega aos ideais abolicionistas. Passou para a história como "Poeta dos Escravos", já que dedicou boa parte de sua produção poética à temática do negro e dos horrores da escravidão, reunida postumamente em Os Escravos (1883)
  • 7. Comentários: No poema O Navio Negreiro, uma das estrofes mais famosas ilustra esses procedimentos: "Senhor Deus dos desgraçados!/ Dizei-me vós, Senhor Deus!/ Se é loucura... se é verdade/ Tanto horror perante os céus? Informações: Sua obra também se fez de uma poesia lírica à altura dos melhores poetas românticos. A paixão por Eugênia Câmara inspirou-lhe versos de alta carga erótico- sentimental. Essa face da produção do autor se encontra em Espumas Flutuantes, único livro que publicou em vida.
  • 8. Mar Absoluto Cecília Meireles (1901-1964) É Mar Absoluto, que dá título à coletânea e exemplifica o "fluxo de inspiração espontâneo e disciplinado" atribuído a ela pelo crítico Otto Maria Carpeaux. Estudante de música especializada em voz e violino, a poeta compunha seus versos com o uso de abundantes assonâncias, aliterações e outros recursos sonoros e rítmicos.
  • 9. Comentários: Nesse poema, o tema do mar, que já aparecera em Viagem (1939) e Vaga Música (1942), e as imagens por ele produzidas transmitem a subjetividade mutável do eu-lírico: "Foi desde sempre o mar,/ E multidões passadas me empurravam/ como o barco esquecido. (...) Informações: Cecília tinha muito pouco em comum com qualquer uma das vertentes modernistas e outros autores que lhe eram contemporâneos.
  • 10. Zero Nascido em 1936,morreu no ano 2006 Concluído em 1969, foi recusado por quatro editoras e lançado inicialmente na Itália em 1974. Publicado no Brasil no ano seguinte, foi proibido em 1976 pelo Ministério da Justiça, do então presidente Ernesto Geisel. A obra só seria liberada em 1979, com o abrandamento do regime. Verdadeiro pastiche urbano com altas doses de humor, política e erotismo, o livro espantou a crítica. Em seguida encantou o
  • 11. público por sua forma desabusada e irreverente. Comentários: O romance Zero, do jornalista paulista de Araraquara Ignácio de Loyola Lopes Brandão, foi um dos muitos que sofreram as conseqüências da censura imposta pela ditadura militar. Recomendo ler.. Informações: Nascido em 1936, autor de mais de 20 livros, entre romances, coletânea de contos e crônicas, Brandão é um dos escritores contemporâneos brasileiros mais difundidos no exterior, com obras publicadas na Itália, nos Estados Unidos, na França, em Portugal. Seu primeiro romance, Bebel que a Cidade Comeu, saiu em 1968. Também lançou Não Verás País Nenhum (1981) e A Veia Bailarina (1997).
  • 12. O Analista de Bagé Nascido em 1936 ,morreu no ano 2000 Poucos personagens, em toda a história da literatura brasileira, alcançaram a repercussão e a admiração popular como o analista de Bagé, que se declara "freudiano de colá decalco” e "mais ortodoxo do que rótulo de Maizena”. Apenas oito meses depois que Luis Fernando Verissimo lançou O Analista de Bagé, em 1981, a obra atingiu a marca da 50a edição e de 160 mil exemplares vendidos.
  • 13. Comentários: Gigolô das Palavras (1982). O autor se tornou ainda mais conhecido pelo público quando passou a assinar uma página na revista Veja, em 1982. Seus livros estão entre os mais vendidos do Brasil. Muito bom. Informações: Nascido em 1936, filho do escritor Erico Verissimo, Luis Fernando é gaúcho de Porto Alegre e um dos mais conhecidos cronistas contemporâneos do país. Cursou o Instituto Porto Alegre e a Theodore Roosevelt High School, em Washington. Começou a carreira na imprensa em 1966, trabalhando no jornal Zero Hora. Foi tradutor, redator publicitário e quase se dedicou a tocar saxofone.
  • 14. Tremor de Terra Nascido em Ituiutaba, em 1942 , morreu no ano de 2007 Escrever diálogos é, talvez, o maior desafio de qualquer pessoa que resolva seguir os caminhos da literatura. Aparentemente simples, o diálogo exige do autor uma precisão de cirurgião, pois, ao menor descuido, pode cair na banalidade ou no rebuscamento inverossímil.
  • 15. Comentários:Livro relativamente bom, um mestre na arte de criar diálogos em contos curtos de fabulosa eficiência narrativa. Informações: Nascido em Ituiutaba, em 1942, Vilela formou-se em filosofia em Belo Horizonte. Trabalhou como redator e repórter do Jornal da Tarde. Lançou-se na literatura em 1967 com o livro Tremor de Terra e, de lá para cá, tornou-se referência na prosa contemporânea. Enquanto alguns autores levam tempo para aprimorar a escrita, Vilela conseguiu esse feito quando tinha apenas 24 anos.
  • 16. Memórias Póstumas de Brás Cubas Brás Cubas nasceu no dia 20 de outubro de 1805 O romance Memórias Póstumas de Brás Cubas (de 1881), de Machado de Assis, foi o texto que inaugurou o padrão moderno nas letras nacionais. Bebendo nas águas tanto do Realismo quanto do Romantismo, com influência de prosadores ingleses e franceses do século 18, mas, sobretudo, escrevendo com grande independência e originalidade, Machado de Assis criou com este livro a ponte que uniu o passado ao futuro na nossa literatura.
  • 17. Comentários: A infância de Brás Cubas, como a de todo membro da sociedade patriarcal brasileira da época, é marcada por privilégios e caprichos patrocinados pelos pais. O garoto tinha como “brinquedo” de estimação o negrinho Prudêncio, que lhe servia de montaria e para maus-tratos em geral. Na escola, Brás era amigo de traquinagem de Quincas Borbas, que aparecerá no futuro defendendo o humanitismo, misto da teoria darwinista com o borbismo: “Aos vencedores, as batatas”, ou seja: só os mais fortes e aptos devem sobreviver. Informações: Não é de hoje que a crítica internacional se debruça sobre a obra de Machado. Os estudos da americana Helen Caldwell, Machado de Assis e O Otelo Brasileiro de Machado de Assis, este último sobre Dom
  • 18. Casmurro, publicados nos anos de 1960, são referência para os estudiosos. Antes dela, o historiador das letras Samuel Putnam estabelecera, já em 1948, a semelhança entre o escritor e o romancista americano Henry James. O problema é que, até mais recentemente, a língua constituíra um entrave à "descoberta" internacional de Machado. A estudiosa Caldwell mostra que, em 1960, havia apenas três traduções em inglês, em edições modestas da década anterior, de romances do autor. Conforme indica o subtítulo de uma estudiosa atual de Machado, a professora Daphne Patai, da Universidade de Massachussets, o escritor sofreu a sina de ser "um mestre escrevendo numa língua ‘ menor’ ".
  • 19. Memórias de um Sargento de Milícias Manuel Antônio de Almeida (1831-1861) Passada em sua cidade natal, na época de d. João 6o, a história se concentra em Leonardo, o enjeitado "filho de uma pisadela e de um beliscão" entre Leonardo Pataca ("algibebe em Lisboa") e Maria da Hortaliça ("rechonchuda e bonitona") e criado por uma parteira e um barbeiro. Segundo o crítico Antonio Candido, Leonardo é "o primeiro grande malandro que entra na novelística brasileira, vindo de uma tradição folclórica e correspondendo,
  • 20. mais do que se costuma dizer, a certa atmosfera cômica e popularesca de seu tempo". O coloquialismo, o humor, os tipos humanos que Almeida recria do "tempo do rei", os costumes, as festas (folias, procissões, batizados), as peripécias do protagonista para livrar-se das punições de seu superior, o Major Vidigal, o compromisso dele com Luisinha e o caso com outra mulher, Vidinha, tudo se apresenta de modo dinâmico e ágil. Suas descrições são preciosas: "Chegou o dia de batizar-se o rapaz: foi madrinha a parteira; sobre o padrinho houve suas dúvidas: o Leonardo queria que fosse o Sr. juiz; porém teve de ceder a instâncias da Maria e da comadre, que queriam que fosse o barbeiro de defronte, que afinal foi adotado Comentários: Obra comumente aproximada por estudiosos ao Realismo-Naturalismo,
  • 21. Memórias de um Sargento de Milícias tem, de fato, elementos coincidentes com a escola literária que anos mais tarde se firmaria no Brasil Informações: A marca que Manuel Antônio de Almeida (1831-1861) deixaria na literatura brasileira se deve a um romance singular. Publicado entre 1852 e 1853 como folhetim do Correio Mercantil e em livro de dois volumes nos anos de 1854 e 1855 (assinado por "Um Brasileiro"), Memórias de um Sargento de Milícias parece situar- se mais temporal do que estruturalmente no Romantismo. Nascido no Rio de Janeiro e falecido em um naufrágio, esse médico de formação, sem pretensões literárias, deve ter encontrado na falta de compromisso com as letras a espontaneidade que marcou esta obra. Além disso, biógrafos de Almeida e análises sociológicas do seu romance
  • 22. sugerem que a infância pobre expôs-lhe um universo que a literatura poderia explorar com mais precisão. Galvez, Imperador do Acre Márcio Souza nasceu em 1946 Galvez, Imperador do Acre (1976) foi concebido inicialmente como roteiro de cinema. Dada a impossibilidade financeira de levá-lo às telas, o amazonense Márcio Souza resolveu publicá-lo em folhetim. A dinâmica cinematográfica da narrativa, contudo, não se perdeu. Construída em
  • 23. capítulos diminutos que poderiam muito bem ser cenas justapostas, a história do espanhol Luiz Galvez Rodrigues de Aria seria comédia histórica. Comentários: Personagem caricatural e burlesco, Galvez é um espanhol aventureiro que se mete no Norte brasileiro a fim de fazer fortuna rápida. Informações: Márcio Souza nasceu em 1946. Regionalista, utilizou fatos e personagem históricos reais para conferir veracidade à história. O próprio Galvez existiu de fato, ainda que seus excessos na personalidade sejam fruto da imaginação do autor. Anos depois, o romance Mad Maria (1980) daria continuação à saga histórica do Estado acreano.

Related Documents