Uma das maiores emoções da minha vida
de homem público foi, sem dúvida, o dia em que
acordei por volta das 6h, como faço s...
of 1

Porta de Entrada para o Futuro

Published on: Mar 4, 2016
Published in: News & Politics      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Porta de Entrada para o Futuro

  • 1. Uma das maiores emoções da minha vida de homem público foi, sem dúvida, o dia em que acordei por volta das 6h, como faço sempre, e olhei, estampada na capa do Jornal MINUANO a foto de um rapaz negro, com a esposa e o filho, na frente de sua humilde casa, que tinha uma faixa na parede com os seguintes dizeres: “Valeu, André Luís”. Aquela foto sintetizava o resultado concreto do programa “Porta de Entrada”, que criamos na Prefeitura de Bagé. Emoção maior, talvez, só quando nasceu minha filha Fernanda. André Luís, beneficiário do Bolsa Família, filho do Chitão, entregador do jornal Correio do Sul, comemorava, com orgulho, seu ingresso na Faculdade de Ciências Contábeis da Urcamp. O Porta de Entrada nasceu durante uma viagem que fiz ao Chile, convidado pelo Ministério do Desenvolvimento Social, como reconhecimento pela excelente gestão que a Márcia, como coordenadora voluntária do Programa Cidadão Bageense (Prociba), e sua equipe faziam no Bolsa Família. Recebemos, inclusive, prêmio pela gestão inovadora que aplicamos. F o m o s c o n h e c e r o programa Chile Solidariedade, similar ao Bolsa Família, e participar de debates sobre os mecanismos que precisavam ser adotados para fazer da transferência de renda um trampolim para a emancipação dos beneficiados, visando romper a dependência financeira que tinham do Estado. O nosso ministro do Desenvolvimento Social de então, Patrus Ananias, dizia que tínhamos que encontrar uma “porta de saída”. Não concordei muito com o termo, pois me lembra um ditado antigo que diz que “a porta de saída é a serventia da casa”. Acreditava que deveríamos procurar uma “porta de entrada” para uma vida melhor. E, para mim, nada melhor do que a educação, o estudo, o conhecimento, para que uma pessoa possa se emancipar. A educação tem o poder da transformação e da conquista da autonomia. É, sem dúvida, a mais radical das oportunidades para a libertação dos pobres e oprimidos. Começava a elaborar um projeto para oportunizar aos pobres da minha cidade a possibilidade de acesso ao ensino superior. Queria ver mais moradores da periferia sentados nos bancos da nossa Urcamp. Faltavam os recursos financeiros Conhecedor da sensibilidade social do então reitor Arno Cunha, propus transformar as dívidas que a Urcamp tinha para com o município em bolsas de estudo. Recebíamos uma b o n i fi c a ç ã o fi n a n c e i r a d o governo Federal p e l o acompanhamento que fazíamos do B o l s a F a m í l i a , e s t i m u l a n d o a s mães manterem as c a d e r n e t a s d e vacina dos filhos atualizados, as crianças estudando, enfim cumprindo os requisitos do programa. Buscamos apoio do Sindicato das Empresas de Transporte (Semtro), liderado pela nossa parceria Maria da Graça Anversa, e obtivemos passe livre para os beneficiados frequentar a universidade. Estava montado o Programa Porta de Entrada (Propen) que, depois, serviria de referência para outros municípios. Não fosse este programa, muitos dos beneficiados jamais frequentariam uma universidade. Jamais poderiam colocar na parede de suas casas, nos bairros de Bagé, uma faixa como aquela do André Luís. Sonhamos juntos e transformamos este sonho em realidade. Uma Porta de Entrada para o Futuro *Esse texto faz parte de Memórias de Um Tempo, uma série publicada no Jornal Minuano de Bagé, em que procurei resgatar fatos de nossa gestão de oito anos na Prefeitura Municipal.

Related Documents