PROCEDIMENTO
OPERACIONAL
PADRÃO DE
ENFERMAGEM
POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013
Revisão: 00 PÁG:1
IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE ...
PROCEDIMENTO
OPERACIONAL
PADRÃO DE
ENFERMAGEM
POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013
Revisão: 00 PÁG:2
IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE ...
PROCEDIMENTO
OPERACIONAL
PADRÃO DE
ENFERMAGEM
POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013
Revisão: 00 PÁG:3
IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE ...
PROCEDIMENTO
OPERACIONAL
PADRÃO DE
ENFERMAGEM
POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013
Revisão: 00 PÁG:4
IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE ...
PROCEDIMENTO
OPERACIONAL
PADRÃO DE
ENFERMAGEM
POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013
Revisão: 00 PÁG:5
IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE ...
PROCEDIMENTO
OPERACIONAL
PADRÃO DE
ENFERMAGEM
POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013
Revisão: 00 PÁG:6
IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE ...
PROCEDIMENTO
OPERACIONAL
PADRÃO DE
ENFERMAGEM
POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013
Revisão: 00 PÁG:7
IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE ...
of 7

Pop cic 041_identificação_de_paciente_internado

Published on: Mar 4, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Pop cic 041_identificação_de_paciente_internado

  • 1. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013 Revisão: 00 PÁG:1 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE INTERNADO ELABORAÇÃO: Enfª.(s): Graciete S. Marques, Eliane Passos, Elisabete Novello, Paula Monteiro, Cláudia Elizabeth VALIDAÇÃO: Núcleo de Segurança do Paciente do HUPE REVISÃO: APROVAÇÃO:Enfo Rogério Marques de Souza CONCEITO Consiste no procedimento pelo qual se previne a ocorrência de erros de identificação do paciente, através da utilização de uma pulseira com três dados de identificação padronizados pela instituição, aplicado nas unidades de internação do HUPE. FINALIDADE  Atender a meta internacional de Segurança de Identificação do Paciente respaldada pelo Programa Nacional de Segurança do Paciente.  Garantir a correta identificação do paciente, a fim de reduzir a ocorrência de eventos adversos relacionados. INDICAÇÕES  No momento da admissão do paciente na unidade de internação hospitalar. RESPONSÁVEL PELA COLOCAÇÃO RESPONSÁVEL PELA MANUTENÇÃO HORA DE ENF Equipe de Enfermagem Equipe multidisciplinar ---
  • 2. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013 Revisão: 00 PÁG:2 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE INTERNADO ELABORAÇÃO: Enfª.(s): Graciete S. Marques, Eliane Passos, Elisabete Novello, Paula Monteiro, Cláudia Elizabeth VALIDAÇÃO: Núcleo de Segurança do Paciente do HUPE REVISÃO: APROVAÇÃO:Enfo Rogério Marques de Souza MATERIAL/EQUIPAMENTOS  Kit fornecido pelo Setor de Matrícula e Internação, contendo: Pulseira de material resinado/ de cor branca sem/com cola nas extremidades (de acordo com o fabricante) ( vide anexo 1), e lacre plástico (de acordo com o fabricante)  Ficha de Internação Hospitalar que consta de 6 folhas: dados do paciente e internação; ficha de exames; resumo de alta; resumo de alta para Autorização de Internação Hospitalar (AIH); serviço de documentação médica e AIH. DESCRIÇÃO TÉCNICA Atualmente cabe a equipe de enfermagem da unidade de internação: 1. Apresentar-se ao paciente e/ou acompanhante; 2. Confirmar no momento da admissão com o paciente ou com o responsável pela internação se a pulseira corresponde ao mesmo com as seguintes informações: nome completo, número do prontuário e data de nascimento; 3. Identificar se a pulseira está com os dados acima e o código de barras legível; 4. Orientar o paciente e/ou acompanhante quanto à finalidade da sua identificação e a necessidade de seu uso durante todo o período de internação; 5. Colocar a pulseira no membro do paciente seguindo o sentido horário conforme a seqüência: punho direito, punho esquerdo, tornozelo esquerdo, tornozelo direito, respeitando cada particularidade ( vide anexo 2); 6. Registrar no prontuário o local da colocação da pulseira;
  • 3. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013 Revisão: 00 PÁG:3 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE INTERNADO ELABORAÇÃO: Enfª.(s): Graciete S. Marques, Eliane Passos, Elisabete Novello, Paula Monteiro, Cláudia Elizabeth VALIDAÇÃO: Núcleo de Segurança do Paciente do HUPE REVISÃO: APROVAÇÃO:Enfo Rogério Marques de Souza 7. Checar a pulseira antes de qualquer atendimento ou procedimento, garantindo que é o paciente certo. CUIDADOS ESPECIAIS/ PLANO DE CONTINGÊNCIA  O fornecimento do kit de identificação é de responsabilidade do Setor de Matrícula e Internação;  A pulseira de identificação deve ser colocada pelo enfermeiro, na sua ausência cabe ao técnico de enfermagem o procedimento;  É de responsabilidade de toda equipe multiprofissional o comprometimento com o processo de identificação do paciente;  Em caso de apagarem-se os dados de registro, perda ou retirada da pulseira, solicitar reposição junto ao Setor de Matrícula e Internação, através de memorando feito pelo enfermeiro;  No caso do não fornecimento da pulseira de identificação no momento da admissão pelo Setor de Matrícula e Internação, este deverá encaminhá-la para a unidade de internação do paciente o mais rápido possível;  Em casos da ausência da pulseira de identificação padronizada, deve ser confeccionada outra em caráter provisório com adesivo impermeável ( esparadrapo) mantendo os dados de informação manuscritos com letra legível e caneta esferográfica azul ou preta até substituição pela pulseira definitiva;  No caso em que a identidade do paciente não esteja disponível no Setor de Matrícula e Internação e quando não houver a informação do nome completo, poderá ser utilizado o número do prontuário com as características físicas mais relevantes do paciente, incluindo sexo e etnia, devendo ser encaminhando ao serviço social a situação detectada com a
  • 4. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013 Revisão: 00 PÁG:4 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE INTERNADO ELABORAÇÃO: Enfª.(s): Graciete S. Marques, Eliane Passos, Elisabete Novello, Paula Monteiro, Cláudia Elizabeth VALIDAÇÃO: Núcleo de Segurança do Paciente do HUPE REVISÃO: APROVAÇÃO:Enfo Rogério Marques de Souza finalidade de resolução;  Avaliar a necessidade da realização de rodízio do membro, seguir conforme o item 5 da descrição técnica;  Nos casos de agenesia de membros, ou outras situações, como por exemplo: grandes queimados, mutilados e politraumatizados que impedem a sequência do item 5 da descrição técnica, o enfermeiro deve definir o local mais apropriado, de forma a manter visível a identificação, sem incômodo sem aderir diretamente  Nos casos de pacientes em anasarca, os quatro membros amputados ou impossibilitado de colocação de pulseira em quaisquer membros, deve ser colocado um crachá de identificação em material plástico com clipe removível (tipo jacaré) durante o dia ( vide anexo 3)e a noite trocado por uma etiqueta de identificação na roupa do mesmo, ambos com letra legível, contendo o nome completo, nº do prontuário e data de nascimento;  Toda equipe multiprofissional deve checar os dados registrados na pulseira antes de qualquer atendimento ou procedimento;  Ao executar o cuidado prescrito o profissional deve conferir os dados do paciente, perguntando-lhe o nome, ou ao seu acompanhante, checando as informações contidas na pulseira;  No centro cirúrgico, durante o trans operatório havendo a necessidade de se retirar a pulseira, uma nova pulseira deverá ser solicitada e colocada ainda nesta unidade;  Recomenda-se que em caso da retirada da pulseira, a mesma seja colocada pelo profissional que a retirou registrando a ocorrência no prontuário;  Em situações de transferências de pacientes de outro serviço de saúde checar se foi realizado a internação no HUPE e o fornecimento do Kit de identificação  Deve-se avaliar diariamente a área de identificação da pulseira de identificação padronizada ou a provisória com adesivo impermeável (esparadrapo) a fim de detectar falhas de elegibilidade;
  • 5. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013 Revisão: 00 PÁG:5 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE INTERNADO ELABORAÇÃO: Enfª.(s): Graciete S. Marques, Eliane Passos, Elisabete Novello, Paula Monteiro, Cláudia Elizabeth VALIDAÇÃO: Núcleo de Segurança do Paciente do HUPE REVISÃO: APROVAÇÃO:Enfo Rogério Marques de Souza  Para os pacientes não internados ( ambulatório, sala do plantão geral e outros) deve seguir identificação especifica conforme orientação do Núcleo de Segurança; No setor de maternidade e Neonatal:  Ao nascer o recém-nato ( RN) deve receber uma identificação contendo dados manuscritos na pulseira com nome da mãe completo sem abreviação, data de nascimento, hora e sexo;  Após o nascimento deve-se encaminhar ao Setor de Matrícula e Internação a caderneta de nascimento do RN para que seja confeccionada a pulseira de identificação padronizada com prontuário do mesmo, nome da mãe e data do nascimento; que será colocada no RN, mantendo as duas pulseiras;  Em casos de gemelaridade é acrescido após o nome da mãe 1º , 2º gemelar e seqüencialmente;  No RN a pulseira deve ser colocada preferencialmente no tornozelo;  Para RN readmitido a pulseira de identificação deve conter o nome completo, nº do prontuário e data de nascimento;  A confirmação da informação contida na pulseira do RN deverá ser checada sempre que for feito qualquer procedimento;  A confirmação da informação contida na pulseira do RN e na pulseira da mãe deve ocorrer em todo o momento que o RN for entregue à mãe;  Caso a mãe não esteja internada, deverá ser solicitado documento que comprove sua identificação com a confirmação dos dados existentes na pulseira do RN, sempre que entregá-lo para a mãe;
  • 6. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013 Revisão: 00 PÁG:6 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE INTERNADO ELABORAÇÃO: Enfª.(s): Graciete S. Marques, Eliane Passos, Elisabete Novello, Paula Monteiro, Cláudia Elizabeth VALIDAÇÃO: Núcleo de Segurança do Paciente do HUPE REVISÃO: APROVAÇÃO:Enfo Rogério Marques de Souza  Na impossibilidade de entregar o RN para a mãe, este deve ser entregue ao seu responsável legal mediante a confirmação dos dados do responsável com documento de identificação deste;  Deve-se considerar a colocação da pulseira do RN fixada na incubadora, quando a pulseira não puder ser colocada no RN em casos especiais ( prematuridade, gravidade e outros) DOCUMENTOS CORRELATOS (NORMAS, RESOLUÇÕES, LEIS E ARTIGOS) BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Programa Nacional de Segurança do Paciente:.protocolo de identificação do paciente. PROQUALIS. Maio de 2013. Disponível em << http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/arquivos/pdf/2013/Mai/06/protocolos_CP_n6_2013.pdf>> acesso em nov de 2013 CONSÓRCIO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO; JOINT COMMISSION INTERNATIONAL. Padrões de Acreditação da Joint Commission Internacional para Hospitais. 4ª ed. [editado por] Consórcio Brasileiro de Acreditação de Sistemas e Serviços de Saúde. Rio de Janeiro: CBA, 2011 INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA (INTO); Rotina de Identificação Correta do Paciente 1 : Meta Internacional de Segurança: 2013 disponível em: << http://proqualis.net/identificacaodopaciente/?id=000002311>> acesso em nov de 2013 QUADRADO, Ellen Regina Sevilla; TRONCHIN, Daisy Maria Rizatto. Avaliação do protocolo de identificação do neonato de um hospital privado. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto , v. 20, n. 4, Aug. 2012 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692012000400005&lng=en&nrm=iso>. access on 07 Jan. 2014. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692012000400005. Tase TH, Lourenção DCA, Bianchini SM, Tronchin DMR. Identificação do paciente nas organizações de saúde: uma reflexão emergente. Rev Gaúcha Enferm. 2013;34(2):196-200.
  • 7. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO DE ENFERMAGEM POP CIC Nº 041 DATA: 23/12/2013 Revisão: 00 PÁG:7 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE INTERNADO ELABORAÇÃO: Enfª.(s): Graciete S. Marques, Eliane Passos, Elisabete Novello, Paula Monteiro, Cláudia Elizabeth VALIDAÇÃO: Núcleo de Segurança do Paciente do HUPE REVISÃO: APROVAÇÃO:Enfo Rogério Marques de Souza ANEXOS: IMAGENS 1- Imagem 1- Modelo de pulseira de identificação. Fonte: Google imagens <tipos de identificação hospitalar> acesso dez/2013 2- Imagem 2- Modelo de pulseira de identificação padronizada colocada no membro do paciente. Fonte: arquivo pessoal da COMPOPE-dez/ 2013 3- Imagem 3- Modelo de crachá de identificação de material plástico com clipe removível, utilizada nas situações de impossibilidades de colocação da pulseira padronizada. Fonte: Google imagens <tipos de identificação hospitalar> acesso dez/2013

Related Documents