Marineusa Santana Música: Brasileirinho Denise Severgnini Mardilê Fabre Mari Saes Vilma Cláudia Zin
Anita Malfatti A Boba, 1915/ 1916  óleo s/ tela 
Lasar Segall - Paisagem Brasileira, 1925.
Paisagem Toscana  Florença, 1964 - óleo sobre tela, 320 x 200 cm. ERNESTO FREDERICO SCHEFFEL
DJANIRA - Vendedores em um cais na Bahia (1959)
PRIMAVERA - óleo s/tela - Marco Bastos
ROSA No vermelho, há paixão intensa No branco, a paz profunda Em nós, uma rosa em equilíbrio Denise Severgnini ROSA COLORI...
Tapete Primaveril Relva -alcatifa de veludo Leito dos pés da donzela Que transita junto a ela Denise Severgnini Colibri Co...
Cais // Faina // Barcos//Tarefas//Ancorar A T  B  F  C N A A  A  A C R R  I   I O E C  N  Serviço seguro //ao povo lutador...
Família Na favela colorida Um casal, animais E o menino do presépio? Dia O sol alto da montanha Banha O cactos verde à dir...
ROSA//AMOR No vermelho, há paixão intensa// um sentimento  forte há amor No branco, a paz profunda//a singeleza Em nós, u...
ROSAS//AMIGAS Rainhas florais compondo amores//testemunhando Que  poetas apaixonados ofertam//sentimentos Às musas de seu...
Tapete Primaveril//Várzea Aveludada Relva -alcatifa de veludo// Tapete natural Leito dos pés da donzela//macio e suave Qu...
Núncia Primavera // Encantadora Inverno quedou-se//Tão lindamente Flores agradecem felizes//e alegremente Colorindo manhãs...
ROSA //FORMOSA F O R R M O S Abranda a dor...// Saudade das carícias // deixadas no tempo (1) A rosa em botão // multic...
Cenas comuns // Na vida Casas empilhadas // Pessoas sofridas Vidas torturadas  // Amores perdidos Mortes banalizadas // So...
Cenas comuns //  Na vida // Do brasileiro Casas empilhadas. // Pessoas sofridas. // Mentes alteradas. Vidas torturadas. //...
A BOBA Rosto bem diferente Sentimento latente Expressão de gente Denise Severgnini DESCASO Retorcidos, desgalhados Troncos...
CAIS C A I Serviço seguro//ao povo lutador //aos barcos, ancoradouro Denise Severgnini Desigualdade social Poucos com mui...
SÍNDROME DE DOWN D O W Na face caracterizada//há mudo riso//carinho preciso Denise Severgnini Vendedores Oferecem sonhos C...
A BOBA//A BELA Rosto bem diferente// pouco saliente Sentimento latente// sorriso entre dentes Expressão de gente//fisionom...
DESCASO//IRRESPONSABILIDADE Retorcidos, desgalhados//muito maltratados Troncos desolados//ao léu jogados Em cenários aban...
ROSA FORMOSA COR      F      O      R  R      M O C   S  Abranda a dor...// Saudade das carícias // deixadas no tempo (1) ...
Compreender...//Decifrar Por trás de ar sombrio,//visão de não vazio Pensamento flutua...//dita mente que atua Interpretar...
FLOR F L O Ricos matizes//abençoam olhar//basta saber apreciar Denise Severgnini Áugures //Vendedores Poetas da vida, doc...
A BOBA//A BELA // DONZELA Rosto bem diferente// pouco saliente // um ar inocente Sentimento latente// sorriso entre dentes...
DESCASO//IRRESPONSABILIDADE// IGNORÃNCIA Retorcidos, desgalhados//muito maltratados // soltos e espalhados Troncos desolad...
CAIS // FAINA F C A A I  I N Serviço seguro//ao povo lutador //aos barcos, ancoradouro.(1) Atividade no cais,//ancora n...
FLOR //DIVINA   D I  F V L I  O N  Ricos matizes//abençoam olhar//basta saber apreciar.(1) Atrai borboletas//perfume d...
Cais // Faina // Barcos B F C A A A R I I C N Serviço seguro //ao povo lutador // aos barcos ancoradouros (1) O Ativida...
Cais // Faina // Barcos//Tarefas T  B  F  C A A  A  A R R  I   I E C  N  Serviço seguro //ao povo lutador // aos barcos an...
Morro M O R R Onde mora//povo pobre//rico de amor Denise Severgnini Morro // Barraco B A M R O R R A R C Onde mora//povo p...
Paisagem urbana Da terra esguicha sangue. Do corpo exangue, Incredulidade. Mardilê Fabre Morro // Barraco//Sem teto    B S...
Rosas vermelhas Acendem centelhas Nos corações Vazios de emoções Mardilê Fabre De novo a vida Recomeça o ciclo: brotos, bo...
Primavera//Bela estação // De Aromas Renova-se a natureza//De maneira encantadora // trazendo uma paz compensadora O sol b...
Bahia ... jangadas a navegar ... acarajé a comprar ... felicidade no ar. Cláudia Zin Primavera... Fetiche para a visão. No...
FORMATADO POR: Rosa R O S Abranda a dor... // Saudade das carícias // deixadas no tempo... Mardilê Fabre
of 38

NAS TELAS BRASILEIRAS

NAS TELAS BRASILEIRAS
Published on: Mar 3, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - NAS TELAS BRASILEIRAS

  • 2. Marineusa Santana Música: Brasileirinho Denise Severgnini Mardilê Fabre Mari Saes Vilma Cláudia Zin
  • 3. Anita Malfatti A Boba, 1915/ 1916  óleo s/ tela
  • 4. Lasar Segall - Paisagem Brasileira, 1925.
  • 5. Paisagem Toscana  Florença, 1964 - óleo sobre tela, 320 x 200 cm. ERNESTO FREDERICO SCHEFFEL
  • 6. DJANIRA - Vendedores em um cais na Bahia (1959)
  • 7. PRIMAVERA - óleo s/tela - Marco Bastos
  • 8. ROSA No vermelho, há paixão intensa No branco, a paz profunda Em nós, uma rosa em equilíbrio Denise Severgnini ROSA COLORIDA Uma ternura contida Na flor oferecida Minha alma ganha vida Denise Severgnini ROSAS Rainhas florais compondo amores Que  poetas apaixonados ofertam Às musas de seus versos sentidos Denise Severgnini PRIMAVERA Flores em profusão Olhos emocionados Doces sensações olfativas Denise Severgnini
  • 9. Tapete Primaveril Relva -alcatifa de veludo Leito dos pés da donzela Que transita junto a ela Denise Severgnini Colibri Colibri vê a flor Primavera presente Alegria no ar Denise Severgnini Núncia Primavera Inverno quedou-se Flores agradecem felizes Colorindo manhãs Denise Severgnini Olhos esquivos Fogem dos meus Dirigem-se a Deus E me anunciam seu adeus. Mardilê Fabre
  • 10. Cais // Faina // Barcos//Tarefas//Ancorar A T  B  F  C N A A  A  A C R R  I   I O E C  N  Serviço seguro //ao povo lutador // aos barcos ancoradouros (1) R F O Atividade no cais // ancora navio // traz novidades (2) A A  Sentinelas // olham a faina // serenos no cais. (3) D Sós, mas ativos barcos//aguardam faina//para zarpar do cais. (4) O sol vela barco//Tarefas da faina //No cais ancorado (5) Letrix pleno compartilhado - 4 autores (1) Denise Severgnini (2) Mardilê Fabre (3) Vilma (4) Denise (5) Gilnei Nepomuceno
  • 11. Família Na favela colorida Um casal, animais E o menino do presépio? Dia O sol alto da montanha Banha O cactos verde à direita Coloridos Montanhas azuis Nuvens brancas Fundo para os casebres Vilma
  • 12. ROSA//AMOR No vermelho, há paixão intensa// um sentimento  forte há amor No branco, a paz profunda//a singeleza Em nós, uma rosa em equilíbrio//um forte amor Denise Severgnini//Marineusa Santana ROSA COLORIDA//ROSA ENCANTADORA Uma ternura contida// ternura sentida Na flor oferecida// carinhosamente recebida Minha alma ganha vida// Vida em abundância Denise Severgnini//Marineusa Santana
  • 13. ROSAS//AMIGAS Rainhas florais compondo amores//testemunhando Que  poetas apaixonados ofertam//sentimentos Às musas de seus versos sentidos//verdadeiros Denise Severgnini//Marineusa Santana PRIMAVERA//ESTAÇÂO LINDA Flores em profusão//Animando o coração Olhos emocionados// encantados Doces sensações olfativas//e inebriados de perfume Denise Severgnini//marineusa Santana
  • 14. Tapete Primaveril//Várzea Aveludada Relva -alcatifa de veludo// Tapete natural Leito dos pés da donzela//macio e suave Que transita junto a ela//delicado e perfumado Denise Severgnini//Marineusa Santana Colibri//Ave Sensível Colibri vê a flor/Sente-se atraído Primavera presente//lhe anima o perfume Alegria no ar// ao pousar de vôo em vôo Denise Severgnini//Marineusa Santana
  • 15. Núncia Primavera // Encantadora Inverno quedou-se//Tão lindamente Flores agradecem felizes//e alegremente Colorindo manhãs//alegrando muita gente Denise Severgnini//Marineusa Santana Cenas comuns Casas empilhadas Vidas torturadas Mortes banalizadas Mardilê Fabre Barcos à vela ancorados. Calados. Vilma Porto No porto aporto. vejo a baiana. Vilma Feira Velho de chapéu. Guarda - chuva preto, protege. Vilma
  • 16. ROSA //FORMOSA F O R R M O S Abranda a dor...// Saudade das carícias // deixadas no tempo (1) A rosa em botão // multicor //  vitral  (2)   Letrix pleno compartilhado, 2 autores. 1. Mardilê Fabre 2.Vilma
  • 17. Cenas comuns // Na vida Casas empilhadas // Pessoas sofridas Vidas torturadas  // Amores perdidos Mortes banalizadas // Sonhos partidos Mardilê Fabre // Mari saes Porto //Vida No porto// Gente vai e vem... aporto. // Na frente do tabuleiro, vejo a baiana. // Rendas e babados... Vilma // Mardilê Fabre Barcos // Parados à vela // à espera ancorados. // Na tarde quente, Calados. // Dormentes. Vilma // Mardilê Fabre Feira //No cais Velho de chapéu. // Homem galante, Guarda -chuva preto, // Na mão elegante protege. // Sol abrasador. Vilma // Mardilê Fabre
  • 18. Cenas comuns //  Na vida // Do brasileiro Casas empilhadas. // Pessoas sofridas. // Mentes alteradas. Vidas torturadas. // Amores perdidos // No cotidiano. Mortes banalizadas .// Sonhos partidos. // Balas extraviadas. Mardilê Fabre // MariSaes // Vilma Abandono Refletidos na água, Troncos vêem com mágoa Descaso com a natureza. Mardilê Fabre
  • 19. A BOBA Rosto bem diferente Sentimento latente Expressão de gente Denise Severgnini DESCASO Retorcidos, desgalhados Troncos desolados Em cenários abandonados Denise Severgnini PAISAGEM BRASILEIRA Sobem os morros Casas sobrepostas Misérias expostas Denise Severgnini
  • 20. CAIS C A I Serviço seguro//ao povo lutador //aos barcos, ancoradouro Denise Severgnini Desigualdade social Poucos com muito Muitos com pouco Onde está o equilíbrio? Denise Severgnini
  • 21. SÍNDROME DE DOWN D O W Na face caracterizada//há mudo riso//carinho preciso Denise Severgnini Vendedores Oferecem sonhos Convidam para ilusões Deixam compradores risonhos Mardilê Fabre Compreender... Por trás de ar sombrio, Pensamento flutua... Interpretar é desafio. Mardilê Fabre
  • 22. A BOBA//A BELA Rosto bem diferente// pouco saliente Sentimento latente// sorriso entre dentes Expressão de gente//fisionomia sorridente Denise Severgnini//Marineusa Santana PAISAGEM BRASILEIRA//PAISAGEM PERIGOSA Sobem os morros// Perigos expostos Casas sobrepostas//uma sobre a outra Misérias expostas// vidas inseguras Denise Severgnini//Marineusa Santana
  • 23. DESCASO//IRRESPONSABILIDADE Retorcidos, desgalhados//muito maltratados Troncos desolados//ao léu jogados Em cenários abandonados//pelos governantes ignorados Denise Severgnini/Marineusa Santana Abandono // Solidão Refletidos na água, // galhos aos céus, Troncos vêem com água  // as folhas perdidas Descaso com a natureza. // Árvores feridas. Mardilê Fabre // Vilma
  • 24. ROSA FORMOSA COR      F      O      R  R      M O C   S  Abranda a dor...// Saudade das carícias // deixadas no tempo (1) O  A   rosa em botão // multicor //  vitral  (2) Reflexo verdadeiro//da flor formosa//espectro cor- de –rosa (3) Letrix pleno compartilhado, 3 autores. 1. Mardilê Fabre 2. Vilma 3. Denise Severgnini
  • 25. Compreender...//Decifrar Por trás de ar sombrio,//visão de não vazio Pensamento flutua...//dita mente que atua Interpretar é desafio.//como correnteza do rio Mardilê Fabre//Denise Severgnini Tentação//Gula Ativa No tabuleiro da baiana,//delícias escandalosas Rebolam acarajés //animam salivas gulosas Ao som de axés//que bamboleiam em iguarias  apetitosas Mardilê Fabre//Denise Severgnini Tentação No tabuleiro da baiana, Rebolam acarajés Ao som de axés. Mardilê Fabre
  • 26. FLOR F L O Ricos matizes//abençoam olhar//basta saber apreciar Denise Severgnini Áugures //Vendedores Poetas da vida, docemente//Oferecem sonhos dedilham emoção latente//Convidam para ilusões aleivosa exultação contente//Deixam compradores risonhos Denise Severgnini//Mardilê Fabre
  • 27. A BOBA//A BELA // DONZELA Rosto bem diferente// pouco saliente // um ar inocente Sentimento latente// sorriso entre dentes    // muito envolvente Expressão de gente//fisionomia sorridente    // de quem está sempre contente. Denise Severgnini//Marineusa Santana// Mari Saes PAISAGEM BRASILEIRA//PAISAGEM PERIGOSA // PAISAGEM DRÁSTICA Sobem os morros// Perigos expostos // a qualquer hora Casas sobrepostas//uma sobre a outra // podem ruir Misérias expostas// vidas inseguras     // formando  o quadro da vida Denise Severgnini//Marineusa Santana// Mari Saes
  • 28. DESCASO//IRRESPONSABILIDADE// IGNORÃNCIA Retorcidos, desgalhados//muito maltratados // soltos e espalhados Troncos desolados//ao léu jogados             // sem qualquer cuidado Em cenários abandonados//pelos governantes ignorados // estão amontoados Denise Severgnini/Marineusa Santana// Mari Saes Abandono // Solidão // Desprezo Refletidos na água, // galhos aos céus, // esquecidos Troncos vêem com água  // as folhas perdidas // pelo chão Descaso com a natureza. // Árvores feridas.     // pelo homem Mardilê Fabre // Vilma// Mari Saes
  • 29. CAIS // FAINA F C A A I  I N Serviço seguro//ao povo lutador //aos barcos, ancoradouro.(1) Atividade no cais,//ancora navio,//traz novidade.(2) Poetrix Pleno Compartilhado - 2 autores Denise Severgnini (1) Mardilê Fabre (2) Primavera Renova-se a natureza O sol beija flores Beija-flores enciumados. Mardilê Fabre
  • 30. FLOR //DIVINA   D I  F V L I  O N  Ricos matizes//abençoam olhar//basta saber apreciar.(1) Atrai borboletas//perfume da flor//alastra-se no ar.(2) Letrix Pleno Compartilhado - 2 autores Denise Severgnini (1) Mardilê Fabre (2)
  • 31. Cais // Faina // Barcos B F C A A A R I I C N Serviço seguro //ao povo lutador // aos barcos ancoradouros (1) O Atividade no cais // ancora navio // traz novidades (2) SENTINELAS // OLHAM A FAINA // SERENOS NO CAIS. (3) Letrix pleno compartilhado - 3 autores 1. Denise Severgnini 2. Mardilê Fabre 3.Vilma
  • 32. Cais // Faina // Barcos//Tarefas T  B  F  C A A  A  A R R  I   I E C  N  Serviço seguro //ao povo lutador // aos barcos ancoradouros (1) F O Atividade no cais // ancora navio // traz novidades (2) A  Sentinelas // olham a faina // serenos no cais. (3) Sós, mas ativos barcos//aguardam faina//para zarpar do cais. (4) Letrix pleno compartilhado - 3 autores (1) (4) Denise Severgnini (2) Mardilê Fabre (3) Vilma
  • 33. Morro M O R R Onde mora//povo pobre//rico de amor Denise Severgnini Morro // Barraco B A M R O R R A R C Onde mora//povo pobre//rico de amor.(1) O no morro,//coberto pelas estrelas,//banhado pelo luar.(2) Letrix Pleno Compartilhado - 2 autores Denise Severgnini (1) Mardilê Fabre (2)
  • 34. Paisagem urbana Da terra esguicha sangue. Do corpo exangue, Incredulidade. Mardilê Fabre Morro // Barraco//Sem teto    B S A  M E R  O M R  R T A  R E C  Onde mora//povo pobre//rico de amor.(1) T O no morro,//coberto pelas estrelas,//banhado pelo luar.(2) O barraco reflete sonho//descer o morro//asfalto promete (3) Letrix Pleno Compartilhado - 2 autores Denise Severgnini (1)(3) Mardilê Fabre (2)
  • 35. Rosas vermelhas Acendem centelhas Nos corações Vazios de emoções Mardilê Fabre De novo a vida Recomeça o ciclo: brotos, botões, filhotes... Apaixonam-se os meninotes... Mardilê Fabre Poças de lágrimas De tanto chorar, Árvores perderam o verde. Troncos nus em seu lugar... Mardilê Fabre Primavera//Bela estação Renova-se a natureza//De maneira encantadora O sol beija flores//frutos, folhas e ramagens Beija-flores enciumados.//são beleza inovadora Mardilê Fabre// Marineusa Santana
  • 36. Primavera//Bela estação // De Aromas Renova-se a natureza//De maneira encantadora // trazendo uma paz compensadora O sol beija flores//frutos, folhas e ramagens      // reverenciando as paisagens Beija-flores enciumados.//são beleza inovadora // num manhã  encantadora.... Mardilê Fabre// Marineusa Santana // Mari Saes VIVAS I D E I R A Sabe-se in vino veritás //na videira//vida em verdade Denise Severgnini
  • 37. Bahia ... jangadas a navegar ... acarajé a comprar ... felicidade no ar. Cláudia Zin Primavera... Fetiche para a visão. No ar, perfume de flor... e o coração, colorido de amor. Cláudia Zin O sol brilha no céu... Aqui na terra, asfalto quente, a vida é selva de concreto. Cláudia Zin
  • 38. FORMATADO POR: Rosa R O S Abranda a dor... // Saudade das carícias // deixadas no tempo... Mardilê Fabre

Related Documents