CURSO DE PREVENÇÃO E COMBATE A
INCÊNDIO
Aplicado em conformidade com a NBR 14.276/2007
www.megabrasil.net
Direitos autor...
HISTÓRICO DO FOGO
O nosso planeta já foi uma massa
incandescente, que passou por um processo de
resfriamento, até chegar à...
FUNÇÕES DO BRIGADISTA
• Atuar na prevenção observando atos e condições
inseguras.
• Observar as datas de validade e condiç...
Definições segundo a NBR 14276/2007 - ABNT
COMBUSTÃO
Combustão é uma reação química, na qual uma substância
combustível reage com o oxigênio, ativada pelo calor (ele...
PONTOS NOTÁVEIS DA COMBUSTÃO
CONDUÇÃO
CONVECÇÃO
IRRADIAÇÃO
PROJEÇÃO
CLASSES DE INCÊNDIO:
Os incêndios se classificam, basicamente, em 4 ( quatro ) classes a saber:
CLASSE
A
B
CRITÉRIO
Mater...
MÉTODOS DE EXTINÇÃO:
EXTINÇÃO:
Um incêndio, por exemplo, quando combatido desde o início,
pode ser facilmente apagado. Por...
FENÔMENOS NO INCÊNDIO:
INCÊNDIO:
a. FLASHOVER: Fenômeno onde ocorre o aquecimento de todos os materiais
FLASHOVER:
combust...
FLASHOVER
BACKDRAFT
BOILOVER
AGENTES EXTINTORES:
EXTINTORES:
São substâncias das quais se realiza o
abafamento, resfriamento ou a quebra da cadeia
da c...
TIPOS DE APARELHOS EXTINTORES E SEU MANUSEIO
São aparelhos destinados a extinguir princípios de incêndio, e não constituem...
TIPOS DE APARELHOS EXTINTORES:
ÁGUA – GÁS
É somente pressurizado por ocasião do uso, contendo em sua parte
interna ou exte...
ÁGUA PRESSURIZADA
Contém água diretamente pressurizada por Nitrogênio
Portátil – 10 ( dez ) litros
MANUSEIO DOS EXTINTORES...
EXTINTOR DE ESPUMA:
ESPUMA:
Espuma Química: São constituídos de duas câmaras cilíndricas:
Química:
cilíndricas:
uma extern...
Espuma Mecânica:
São constituídos de um cilindro contendo 10%
de Espuma Hidrogenada e 90% de água,
sendo pressurizado com ...
EXTINTOR DE GÁS CARBÔNICO ( CO2 ):
CO2
Retire a trava de segurança, segure o mangote pelo “punho”.
“punho”.
Direcione o di...
Extintor de PQS/PQSA
O extintor de PQS (pó químico seco) é um equipamento que usa por
base o Bicarbonato de Sódio. Assim c...
Esguicho Rockwood
Consiste em um tipo de esguicho onde o operador poderá realizar uma prévia
escolha na forma de neblinage...
Esguicho NPU
Esguicho KR
LEMBRE-SE:
“O INCÊNDIO SÓ OCORRE ONDE A PREVENÇÃO FALHA!”.
Prevencao combate incendio curso basico2011
Prevencao combate incendio curso basico2011
Prevencao combate incendio curso basico2011
Prevencao combate incendio curso basico2011
Prevencao combate incendio curso basico2011
Prevencao combate incendio curso basico2011
Prevencao combate incendio curso basico2011
of 31

Prevencao combate incendio curso basico2011

Published on: Mar 4, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Prevencao combate incendio curso basico2011

  • 1. CURSO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO Aplicado em conformidade com a NBR 14.276/2007 www.megabrasil.net Direitos autorais reservados a Mega Brasil®
  • 2. HISTÓRICO DO FOGO O nosso planeta já foi uma massa incandescente, que passou por um processo de resfriamento, até chegar à formação que conhecemos. Dessa forma, o fogo existe desde o início da formação da Terra, passando a coexistir com o homem depois do seu aparecimento. Presume-se que os primeiros contatos, que os primitivos habitantes tiveram com o fogo, foram através de manifestações naturais como os raios que provocam grandes incêndios florestais. Na sua evolução, o homem primitivo passou a utilizar o fogo como parte integrante da sua vida. O fogo colhido dos eventos naturais e, mais tarde, obtido intencionalmente através da fricção de pedras, foi utilizado na iluminação e aquecimento das cavernas e no cozimento da sua comida.
  • 3. FUNÇÕES DO BRIGADISTA • Atuar na prevenção observando atos e condições inseguras. • Observar as datas de validade e condições de uso dos extintores. • Conduzir pessoas de seu setor em segurança até o ponto de encontro. • Comunicar imediatamente ao Corpo de Bombeiros Militar sobre o sinistro. • Atuar nos princípios de incêndios através de mangueiras e extintores utilizando o devido EPI. • Atentar para a preservação das rotas de fuga. • Ter conhecimento pleno do Plano de Emergências da empresa. • Participar dos treinamentos.
  • 4. Definições segundo a NBR 14276/2007 - ABNT
  • 5. COMBUSTÃO Combustão é uma reação química, na qual uma substância combustível reage com o oxigênio, ativada pelo calor (elevação de temperatura), emitindo energia luminosa (fogo), mais calor e outros produtos. Triângulo do Fogo O Triângulo do Fogo é uma forma didática,criada para melhor ilustrar a reação química da combustão onde cada ponta do triângulo representa um elemento participante desta reação. Para que exista Fogo, três elementos são necessários: •Combustível •Oxigênio •Calor (Condição Favorável)
  • 6. PONTOS NOTÁVEIS DA COMBUSTÃO
  • 7. CONDUÇÃO CONVECÇÃO IRRADIAÇÃO PROJEÇÃO
  • 8. CLASSES DE INCÊNDIO: Os incêndios se classificam, basicamente, em 4 ( quatro ) classes a saber: CLASSE A B CRITÉRIO Materiais q ue queimam em superfície e profundidade, deixando apenas resíduos. Líquidos inflamáveis que queimam em superfície e não deixam resíduos. EXEMPLOS ELEMENTO Madeira, papel, tecidos, Água ou etc. espuma Tintas, vernizes, Espuma, pó solventes, etc. químico e CO2. Máquinas,equipamentos Pó químico, e aparelhos elétricos. CO2 e FM200 C Equipamentos elétricos energizados. D Materiais que requerem técnicas Sódio, potássio, especiais para o combate, a exemplo magnésio, cálcio, etc. de materiais pirofóricos. CLASSE “A” CLASSE “B” CLASSE “C” Areia seca. CLASSE “D”
  • 9. MÉTODOS DE EXTINÇÃO: EXTINÇÃO: Um incêndio, por exemplo, quando combatido desde o início, pode ser facilmente apagado. Porém se a resposta da brigada for apagado. lenta, só mesmo o CORPO DE BOMBEIROS o extingüirá. extingüirá. Existem 3 ( três ) métodos de extinção de incêndio, a saber: saber: RESFRIAMENTO – É o método mais usado em incêndios. incêndios. Consiste em retirar o calor que está queimando, abaixo do qual ele não queima ou emite vapores, que por efeito do calor, reagem com o Oxigênio produzindo a combustão. combustão. ISOLAMENTO – Pode dividir- se em duas partes: dividirpartes: 1- Retirada do material que está queimando. queimando. 2- Retirada do material que está próximo ao que está queimando. queimando. ABAFAMENTO – Processo de extinção de incêndio que consiste na redução ou retirada do Oxigênio. Oxigênio.
  • 10. FENÔMENOS NO INCÊNDIO: INCÊNDIO: a. FLASHOVER: Fenômeno onde ocorre o aquecimento de todos os materiais FLASHOVER: combustíveis do ambiente, ocorrendo uma inflamação instantânea. instantânea. b. BACKDRAFT: Fenômeno onde ocorre a falta de comburente no ambiente, geralmente BACKDRAFT: este, hermeticamente fechado. Quando o brigadista abre displiscentemente o local fechado. confinado, ocorre a entrada do comburente, resultando no fechamento da reação em cadeia. cadeia. c. BOIL OVER: Ocorre quando há um combate a incêndio com água em tanques de óleo. OVER: óleo. A água ferve por baixo do óleo, já que não se misturam, provocando um efeito de “gaiser”, gaiser”, jogando o óleo sobre a equipe de Brigadistas. Brigadistas. d. BLEVE (BOILING LIQUID EXPANDING VAPOR EXPLOSION): Ocorre quando há um EXPLOSION): ponto de aquecimento na parede do cilindro contendo gás ou vapor a alta pressão, ocorrendo uma liberação da válvula de alívio até a fratura da estrutura do tanque ocorrendo a explosão. explosão.
  • 11. FLASHOVER
  • 12. BACKDRAFT
  • 13. BOILOVER
  • 14. AGENTES EXTINTORES: EXTINTORES: São substâncias das quais se realiza o abafamento, resfriamento ou a quebra da cadeia da combustão dos materiais incendiados. incendiados. Os agentes extintores hoje comercializados são: são: ÁGUA GÁS CARBÔNICO (CO²) PÓ QUÍMICO SECO (PQS) ESPUMA MECÂNICA AGENTES HALOGENADOS (FM200, (FM200, ARGONITE, INERGEN, HALOTRON E OUTROS). OUTROS).
  • 15. TIPOS DE APARELHOS EXTINTORES E SEU MANUSEIO São aparelhos destinados a extinguir princípios de incêndio, e não constituem um sistema completo de proteção, pois só extinguem o fogo em seu ponto inicial. Os extintores podem ser classificados: QUANTO AO USO PORTÁTEIS • Para veículos; • Instalado em paredes. NÃO PORTÁTEIS • Sobre rodas; • Estacionários. QUANTO AO TIPO • Pressurizados (pressurização direta) • Com cilindro de gás propelente (pressurização indireta) QUANTO AO AGENTE EXTINTOR • ÁGUA • ESPUMA MECÂNICA • GÁS CARBÔNICO ( CO2 ) • PÓ QUÍMICO SECO (PQS) • AGENTES HALOGENADOS
  • 16. TIPOS DE APARELHOS EXTINTORES: ÁGUA – GÁS É somente pressurizado por ocasião do uso, contendo em sua parte interna ou externa uma ampola de CO2 ( Gás Carbônico ), de aproximadamente 50g ( cinqüenta gramas ). Portátil – 10 ( dez ) litros Carretas – 50 ( cinquenta ), 75 ( setenta e cinco ), 100 ( cem ) e 150 ( cento e cinqüenta ) litros. MANUSEIO DOS EXTINTORES DE ÁGUA – GÁS: Segurar o mangote e abrir a válvula da ampola, apontando o jato para a base do fogo.
  • 17. ÁGUA PRESSURIZADA Contém água diretamente pressurizada por Nitrogênio Portátil – 10 ( dez ) litros MANUSEIO DOS EXTINTORES DE ÁGUA PRESSURIZADA: Retire a trava de segurança, aponte o mangote para a base do fogo e aperte o gatilho. Cuidados: * NÃO USAR EM EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS * NÃO OBSTRUIR O LOCAL DO EXTINTOR * NÃO REPARAR DEFEITOS NO APARELHO
  • 18. EXTINTOR DE ESPUMA: ESPUMA: Espuma Química: São constituídos de duas câmaras cilíndricas: Química: cilíndricas: uma externa com tampa atarrachável ( volante ) e uma outra interna. Na interna. câmara externa é colocada uma solução de bicarbonato de sódio, chamada solução “A”, e na outra interna, é colocada uma solução de sulfato de alumínio, chamada solução “B”. “B”. Portáteis – 05 ( cinco ), 10 ( dez ) e 20 ( vinte ) litros. litros. Carretas – 50 ( cinqüenta ), 75 ( setenta e cinco ), 100 ( cem ) e 150 ( cento e cinqüenta ) litros. litros. OBS.: OBS.: Este tipo de aparelho extintor está obsoleto. obsoleto.
  • 19. Espuma Mecânica: São constituídos de um cilindro contendo 10% de Espuma Hidrogenada e 90% de água, sendo pressurizado com Nitrogênio. Bastante utilizado em embarcações. Portáteis –10 ( dez ) e 20 ( vinte ) litros. Carretas – 50 ( cinqüenta ), 75 ( setenta e cinco ), 100 ( cem ) e 150 ( cento e cinqüenta ) litros.
  • 20. EXTINTOR DE GÁS CARBÔNICO ( CO2 ): CO2 Retire a trava de segurança, segure o mangote pelo “punho”. “punho”. Direcione o difusor para o local do princípio de incêndio, e acione o gatilho do extintor, dirigindo o CO2 em movimentos circulares ou em CO2 “leque”, o que facilitará o resultado. resultado. Cuidados: Cuidados: * NUNCA SEGURAR O MANGOTE PELO DIFUSOR, POIS ESTE CONGELA DURANTE O ACIONAMENTO DO EXTINTOR, CAUSANDO QUEIMADURAS NO USUÁRIO POR RESFRIAMENTO. RESFRIAMENTO. * ANTES DE ACIONAR, INCLINE O EXTINTOR A 45º PARA 45º TESTÁTESTÁ-LO, POIS SUA VÁLVULA PODERÁ SE SOLTAR EM UM 1º MOMENTO, VINDO A ATINGIR O ROSTO DO OPERADOR. OPERADOR.
  • 21. Extintor de PQS/PQSA O extintor de PQS (pó químico seco) é um equipamento que usa por base o Bicarbonato de Sódio. Assim como o de Água, poderá ser Sódio. pressurizado (PQSP) ou à pressurizar (PQSA). Poderá também ser (PQSA). Portátil ou Sobre Rodas, com capacidade de até 150 Kg. Kg. O extintor de PQS / PQSA deverá ser empregado na base do fogo a fim de se obter um melhor desempenho do aparelho extintor. Possui extintor. grande eficiência na maioria das classes de incêndio. incêndio.
  • 22. Esguicho Rockwood Consiste em um tipo de esguicho onde o operador poderá realizar uma prévia escolha na forma de neblinagem e através de uma alça superior realizar a abertura e fechamento de forma imediata, reduzindo a quantidade de água gasta com maior eficiência no combate às chamas.
  • 23. Esguicho NPU Esguicho KR
  • 24. LEMBRE-SE: “O INCÊNDIO SÓ OCORRE ONDE A PREVENÇÃO FALHA!”.

Related Documents