PET – Conexões de SaberesAcesso, permanência e pós-permanência na UFRB Políticas públicas e juventude: ...
APRESENTAÇÃO O presente trabalho traz reflexões relacionados a juventude e aspossíveis políticas públicas da mesmas. As ...
JUVENTUDE E EDUCAÇÃO: A necessidade de novos caminhos de diálogo Juventude e Educação;O homem é um ser r...
 Juventude e Políticas Públicas na Contemporaneidade• Analises dos Jovens através: das faltas de perspectivas, taxas des...
EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: As novas formas de exclusão social• Os diversos níveis de desigualdade na qualifica...
 Iniciativas do governo Federal para a inclusão tecnológico:• Projeto „Cidadão Conectado: Computador para todos‟ (2005);...
Proporção de moradores com acesso a computadores por Estados % ...
CONSIDERAÇÕES FINAISPensar em politicas publicas para a juventude, deve antes, compreender a juventudecom um sujeito capaz...
Referencias Biográficas:Politicas públicas e juventude/ organização Jorge Luiz Barbosa, Joilson de Souza eSilva, Ana Inês ...
of 9

Políticas Públicas e Juventude

Slide do livro: Políticas Públicas e Juventude
Published on: Mar 4, 2016
Published in: Education      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Políticas Públicas e Juventude

  • 1. PET – Conexões de SaberesAcesso, permanência e pós-permanência na UFRB Políticas públicas e juventude: Coleção Grandes temas Programa Conexões de Saberes Natanael C. Rocha Graduando em História – UFRB Tutora: Rita Dias de Cássia
  • 2. APRESENTAÇÃO O presente trabalho traz reflexões relacionados a juventude e aspossíveis políticas públicas da mesmas. As reflexões são inspiradas em experiências desenvolvidas emObservatórios de Favelas do Rio de Janeiro. É desenvolvida a partir de uma articulação entre o Ministério deEducação e o Programa conexões de Saberes: diálogo entre auniversidade e as comunidades populares (2004). Projeto teve como ponto de partida o reconhecimento de umaserie de variáveis que dificultam o acesso e a permanência dosestudantes de origem popular no ensino superior.
  • 3. JUVENTUDE E EDUCAÇÃO: A necessidade de novos caminhos de diálogo Juventude e Educação;O homem é um ser repleto de carências e imperfeições e depende da educaçãopara suprir suas carências e assim despertar em si a autonomia e consciênciade que precisa. (Furter 1990) Educação e Espaços sociais;A escola não é o único lugar onde o aprendizado ocorre . ( FREIRE, Paulo.1996) Protagonismo Juvenil;• Politicas públicas e Juventude: Objeto/ Sujeito.• Participação política dos jovens no Brasil: vinculado a sindicatos, partidos políticos, grêmios etc.• Ideia de liberdade: como ser livre no mundo onde a liberdade parece ser para poucos?• Programa Conexões de Saberes: exercício da cidadania através do protagonismo.
  • 4.  Juventude e Políticas Públicas na Contemporaneidade• Analises dos Jovens através: das faltas de perspectivas, taxas desemprego, envolvimento nas drogas etc. “Ser jovem hoje não é fácil Se por acaso acontece algo Nós somos sempre o culpados...” (Trecho: Rodrigo, Grupo hip hop Malcriados; Politicas Públicas e Juventude, 2010, p.101-102)• Projetos: Agente Jovem e Projeto Rondon.“ ... atores capazes de agir sobre o meio em que vivem e exercitar suacidadania.” (Politicas públicas e juventude, 2010, p.57)• Reflexão acerca das politicas públicas: assistencialismo/ instrumento de superação das desigualdades sociais.• Possibilidades através do Desenvolvimento de Talentos, isto é, viabilizando oficinas em espaços populares. (grafite e artesanato na periferia da cidade de Manaus – AM).
  • 5. EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: As novas formas de exclusão social• Os diversos níveis de desigualdade na qualificação da educação;( Não se resume na simples divisão entre ensino público e privado, maiscompreender também o ensino público com um conjunto heterogêneo).• As tendências de universalização das novas tecnologias.• A democratização do acesso a informação.• A socialização das tecnologias de informação e comunicação se faz “urgente” ( destaca os bolsistas do Programa “ Conexões de Saberes/UNIRIO).• Aspectos econômicos - um dos fatores que colaboram para a exclusão digital e por, conseguinte, a exclusão social de grupos menos favorecidos.
  • 6.  Iniciativas do governo Federal para a inclusão tecnológico:• Projeto „Cidadão Conectado: Computador para todos‟ (2005);• Pesquisa „Iniciativa e Projeto de Inclusão Digital no Brasil‟ (2007) – IBICT;• Níveis de iniciativas publicas e privadas para a Inclusão Digital (PID) no Brasil – sudeste 38%; nordeste 35%; sul 13%; norte 8%; centro oeste 7%.• Apesar de todos as ações governamentais e não- governamentais, os dados de exclusão de exclusão digital no Brasil é alarmante.
  • 7. Proporção de moradores com acesso a computadores por Estados % ESTADOS 27,87Distrito Federal 17,98São Paulo 15,51Rio de Janeiro 5,41Pernambuco 5,32Rio Grande do Norte 5,18Sergipe 4,61Ceará 4,61Bahia 4,44Paraíba 3,60Alagoas 2,78PiauíFonte: CPS/FGV Censo demográfico 2000/IBGEMaranhão 2,05
  • 8. CONSIDERAÇÕES FINAISPensar em politicas publicas para a juventude, deve antes, compreender a juventudecom um sujeito capaz de transformar seus espaço social. Não somente detectara-locomo um problema social, como alguns conservadores temam em reafirmar, masproporciona-los os direitos que os cabem. As diversas experiências do programaConexões de Saberes, traz as realidades de jovens de meios populares, e suasligações com a universidade, percebendo que a não somente a universidade/escola,é capaz de transmitir conhecimento, mas todos os espaços que formam o serhumano. Este trabalho da enfoque para a importância de democratizar o acesso astecnologias de informação, levando em consideração as múltiplas realidades dajuventude. Contudo, este trabalho visa com transformar juntos com outros jovens arealidade estabelecida. Pois como o próprio Freire destaca.“Nossas lutas de hoje não significa que necessariamente conquistaremos mudanças, massem que haja essa luta, hoje, talvez as gerações futuras tenham de lutar muito mais. Ahistória não termina em nós: ela segue adiante”. ( FREIRE, Paulo; 2001).
  • 9. Referencias Biográficas:Politicas públicas e juventude/ organização Jorge Luiz Barbosa, Joilson de Souza eSilva, Ana Inês Souza. – Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro,Pró - Reitoria de Extensão, 2010. 262 p.; il.; 24cm. – ( Coleção grandes temas).Parceria: Observatório de Favela do Rio de Janeiro.1. Politicas públicas – Brasil. 2. Juventude – Politica governamental – Brasil. I. Barbosa,Jorge Luiz org. II. Silva, Joilson de Souza, Ana Inês, org. IV. Programa Conexões deSaberes: Diálogo entre a Universidade e as Comunidades Populares. VI. Observatório deFavelas do Rio de Janeiro.