dilemas e desafios de
quem quer inovar no Brasil
pesquisadores
Conciliar carreiras 1.
Pesquisar, publicar, orientar e dar aulas são atividades
que demandam muita dedicação e competênc...
2.
A inovação acontece através
das empresas
No ambiente da universidade a pesquisa proporciona
avanço do conhecimento,...
3.
Resistência dos pares/
academia
Ainda que seja uma tendência e receba apoio formal do
governo, pesquisadores que de...
A cultura do mercado 4.
Sem julgamento de valor, a academia e o mercado
funcionam com atributos, regras e critérios
ext...
Finalizar a pesquisa e
5. des
envolvimento Qualquer pesquisador sabe que as fronteiras da
ciência estão sempre se ampli...
Ganhar dinheiro 6.
Nossa universidade pública e cultura religiosa, entre
outros elementos, reforçaram ao longo do tempo ...
7.
Compartilhar e delegar
responsabilidades
Ao se deparar com o ambiente organizacional, seja de
uma startup ou de uma...
Gerir pessoas 8.
Levar uma nova tecnologia ao mercado não é trabalho
para um homem só. Os desafios requerem
habilidades...
Veja também, os dilemas de:
- Startups
- Grandes empresas
Se
interessa
por
inovação?
www.troposlab.com
O Tropos Lab é uma empresa do Grupo Instituto Inovação
of 11

Dilemas e desafios de quem quer inovar: pesquisadores

Dilemas e desafios de quem quer inovar no Brasil - Pesquisadores, faz parte de uma série de 3 publicações originadas em 2011 no Instituto Inovação. O material apresente 8 pontos considerados desafios para acadêmicos colocarem suas pesquisas no mercado.
Published on: Mar 4, 2016
Published in: Science      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Dilemas e desafios de quem quer inovar: pesquisadores

  • 1. dilemas e desafios de quem quer inovar no Brasil pesquisadores
  • 2. Conciliar carreiras 1. Pesquisar, publicar, orientar e dar aulas são atividades que demandam muita dedicação e competência dos pesquisadores. Inserir nesse contexto uma atividade empreendedora voltada para inovação – seja como iniciativa pessoal, seja em parceria com empresas, requer ainda mais dedicação e outros tipos de competências. Para conciliar todos esses elementos o pesquisador precisa ser movido por um sonho ou objetivo forte o suficiente para manter sua energia.
  • 3. 2. A inovação acontece através das empresas No ambiente da universidade a pesquisa proporciona avanço do conhecimento, novas tecnologias, descobertas e invenções. Consideramos inovação os conhecimentos que chegam até o mercado, o que significa serem materializados, por exemplo, em produtos ou processos que poderão ser comercializados. De toda forma, o pesquisador que deseja inovar, deve considerar em seu caminho a interação com empresas ou empreender seu negócio.
  • 4. 3. Resistência dos pares/ academia Ainda que seja uma tendência e receba apoio formal do governo, pesquisadores que decidem empreender se deparam com esse desafio: conviver com críticas, acusações e resistências veladas ou explícitas de seus pares na universidade. Por outro lado, também é comum que, depois de receber reconhecimento da sociedade pelos benefícios que sua tecnologia gerou, esse pesquisador recupere um novo status e reconhecimento de seus pares, uma vez que a universidade começa a entender a importância desse tipo de iniciativa.
  • 5. A cultura do mercado 4. Sem julgamento de valor, a academia e o mercado funcionam com atributos, regras e critérios extremamente diferentes. Um dos maiores desafios dos pesquisadores é lidar com o ritmo e o foco representados por cronogramas e recursos vindos do mercado. A expectativa é de que os altos investimentos feitos na pesquisa se transformem o quanto antes em produtos, que gerem valor e receita para a empresa, onde o conhecimento não se justifica enquanto fim.
  • 6. Finalizar a pesquisa e 5. des envolvimento Qualquer pesquisador sabe que as fronteiras da ciência estão sempre se ampliando e que dificilmente chegará o dia em que já saberemos tudo sobre qualquer assunto. Para empresas o processo de pesquisa e desenvolvimento precisa ser concluído, ainda que todas as respostas não tenham sido encontradas. Versões “beta” nos mostram que o que está pronto para ir para o mercado pode ser uma pequena amostra do conceito do produto. A continuidade da pesquisa deve seguir para levar a novas versões mais completas e maduras.
  • 7. Ganhar dinheiro 6. Nossa universidade pública e cultura religiosa, entre outros elementos, reforçaram ao longo do tempo uma visão negativa do dinheiro. Quando uma tecnologia que surgiu na universidade se transforma em oportunidade de negócio, conflitos pessoais e institucionais imediatamente surgem. Do ponto de vista ético, a propriedade intelectual resguarda a universidade, mas do ponto de vista pessoal, o pesquisador encontra muita resistência interna em aceitar que não é errado ganhar dinheiro com seu conhecimento. .
  • 8. 7. Compartilhar e delegar responsabilidades Ao se deparar com o ambiente organizacional, seja de uma startup ou de uma empresa parceira, o pesquisador entra em um ambiente gerido de forma diferente de seu laboratório. Espera-se que a gestão seja assumida por outra pessoa, enquanto o pesquisador foca no que é sua maior competência e paixão. Assim, é necessário transformar o tipo de liderança exercida pelo pesquisador que deve permitir-se não ser o melhor em tudo, compartilhando responsabilidades e confiando na equipe
  • 9. Gerir pessoas 8. Levar uma nova tecnologia ao mercado não é trabalho para um homem só. Os desafios requerem habilidades e conhecimentos diversos e um único tipo de disposição: o da realização. Isso significa gerir uma equipe de alta capacidade, atraindo, retendo e inspirando essas pessoas a compartilhar o sonho do pesquisador.
  • 10. Veja também, os dilemas de: - Startups - Grandes empresas Se interessa por inovação? www.troposlab.com
  • 11. O Tropos Lab é uma empresa do Grupo Instituto Inovação

Related Documents