Plano de DesenvolvimentoSocioeconômico da MacroÁrea de Influência da PonteSalvador-ItaparicaApresentação do projeto à ALBA...
Mais que uma ponte: um Plano de Desenvolvimento Regional O projeto de construção da ponte Salvador-Itaparica ...
Um Novo Horizonte Plano de desenvolvimento regional, compreendendo: ▪ Sistema viário abrindo conexão rápida e alternati...
Concepção da ponte – traçado básico |
Concepção da ponte – estrutura (em discussão) Vão central superdimensionado? ...
Concepção da Ponte – estrutura (em discussão) 3 x 3 faixas + ...
Concepção da Ponte – trecho móvel énecessário? Abertura cria um canal de 160 m e altura infinita, permitindo passagem d...
Trecho móvel: qual a melhor solução? |
O projeto prevê diversas intervenções no sistema viárioda região ...
Um Novo Horizonte ▪ Sistema viário abrindo conexão rápida e alternativa de Salvador com Recôncavo, Baixo Sul, Sul...
|
O projeto ajudará a (re)integrar Recôncavo com criação deum Anel Viário ...
Um benefício direto da construção da ponte é a redução das distâncias dediversos municípios da região à Salvador Redução...
Macro dimensões SVO é operação urbanística- imobiliária ...
Um Novo Horizonte ▪Reconfiguração urbana na RMS, Recôncavo e Baixo Sul ▪Requalificação do Centro Antigo de Salvador ▪...
Integração VLT/Metrô? ...
Articulação com novas avenidas Baía de Todos os Santos Implantação da...
Soluções ainda insatisfatórias para a cabeceiraem Salvador |
Soluções ainda insatisfatórias para a cabeceiraem Salvador |
Soluções ainda insatisfatórias para a cabeceiraem Salvador |
Como planejar aurbanização na Ilha? |
Como proteger outras cidades diretamente impactadas? |
Um Novo Horizonte ▪Consolidação da BTS como complexo industrial e portuário ▪Criação de novo polo industrial e logísti...
Os benefícios serão capturados por todos os municípiosda região Infraest...
O Projeto se insere num conjunto de macrointervenções que revolucionarão a logística baiana Ferrovias a d...
O Projeto reforçará a BTS como maior complexoportuário do Norte-Nordeste E estão sendo projetados mais 2 ou 3 TUP...
Outras macro dimensões SVO cria novo polo industrial e logístico SVO dará novo di...
Nas últimas décadas, o eixo Salvador/LitoralNorte concentrou 99% doinvestimento turístico na Bahia O projeto cri...
Para a implementação do projeto, estamos avançandoem diversas frentes Detalhamento técnico do projeto ▪ Elaboraç...
Criamos um cronograma detalhado para acompanharmosos avanços do projeto SINTÉTICO ...
Principais marcos do projeto Linha do ...
A McKinsey já foi contrata por diversos órgãos e entidades públicas deforma direta 1 ...
A McKinsey preenche os requisitos para a contratação direta porinexigibilidade de licitação Descrição e...
A McKinsey tem notório saber e vasta experiência local e DETALHE NAS ...
Entregamos 20+ projetos de planejamento de cidades nos últimos 5 anosem todo o mundo, inclusive o primeiro no Brasil está ...
Síntese das expertises exigidas no projeto por experiência apresentada (1/2) ...
Síntese das expertises exigidas no projeto por experiência apresentada (2/2) ...
of 37

Ponte Itaparica e Sistema Viário Oeste

Apresentação sobre a Ponte Itaparica e o Sistema Viário do Oeste feita pelo Secretário Jose Sergio Gabrielli na Assembléia Legislativa da Bahia.
Published on: Mar 4, 2016
Published in: Investor Relations      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Ponte Itaparica e Sistema Viário Oeste

  • 1. Plano de DesenvolvimentoSocioeconômico da MacroÁrea de Influência da PonteSalvador-ItaparicaApresentação do projeto à ALBAAssembleia Legislativa da BahiaSalvador, 26 de março de 2013
  • 2. Mais que uma ponte: um Plano de Desenvolvimento Regional O projeto de construção da ponte Salvador-Itaparica é O projeto de construção da ponte Salvador-Itaparica é parte de um plano de desenvolvimento, ambientalmente parte de um plano de desenvolvimento, ambientalmente responsável, que deve impulsionar o crescimento de responsável, que deve impulsionar o crescimento de várias regiões do estado e melhorar a qualidade de vida várias regiões do estado e melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas de milhões de pessoas Desenvolvimento Desenvolvimento Planejamento urbano Planejamento urbano Desenvolvimento social Desenvolvimento social econômico econômico e de infraestrutura e de infraestrutura Respeito sócio-ambiental e democracia participativa Respeito sócio-ambiental e democracia participativa | 2
  • 3. Um Novo Horizonte Plano de desenvolvimento regional, compreendendo: ▪ Sistema viário abrindo conexão rápida e alternativa de Salvador com Recôncavo, Baixo Sul, Sul e Oeste ▪ Reconfiguração urbana na RMS, Recôncavo e Baixo Sul ▪ Requalificação do Centro Antigo de Salvador ▪ Equacionamento da mobilidade na RMS ▪ Consolidação da BTS como complexo industrial e portuário ▪ Criação de novo polo industrial e logístico no Recôncavo, a partir de São Roque ▪ Desenvolvimento dos territórios do Recôncavo, Baixo Sul e Litoral Sul |
  • 4. Concepção da ponte – traçado básico |
  • 5. Concepção da ponte – estrutura (em discussão) Vão central superdimensionado? Pilares simples? Necessidade de sondagens físicas: fundações = 40% custo Navegabilidade Custo x Estética 75m para as Pontes de Aproximação Custo de operação e 200m para as Pontes de Acesso manutenção, além do custo de 300m + 750m + 300m para a Ponte construção Principal? Qualidade do serviço no tempo Altura 70m: suficiente? |
  • 6. Concepção da Ponte – estrutura (em discussão) 3 x 3 faixas + Acostamentos? Ou 2 x 2 faixas + Acostamentos? VLT? |
  • 7. Concepção da Ponte – trecho móvel énecessário? Abertura cria um canal de 160 m e altura infinita, permitindo passagem de plataformas e outros grandes equipamentos |
  • 8. Trecho móvel: qual a melhor solução? |
  • 9. O projeto prevê diversas intervenções no sistema viárioda região Construir Qualificação do trecho BR - 32 BR entre Castro Alves e BRs 4 -2 42 -1 16 -10 1 BR BR Construção de trecho entre Santo Antônio de Jesus e Castro Alves Castro Alves Sto. Antonio de Jesus Nazaré Duplicação da BA-001, em Qualificação do trecho da Vera Cruz, incluindo a BA-001 entre Nazaré e ponte do funil Santo Antônio de Jesus | 9
  • 10. Um Novo Horizonte ▪ Sistema viário abrindo conexão rápida e alternativa de Salvador com Recôncavo, Baixo Sul, Sul e Oeste ▪ Desafogando o único grande acesso atual, a BR-324 |
  • 11. |
  • 12. O projeto ajudará a (re)integrar Recôncavo com criação deum Anel Viário ▪ Fechamento do “anel viário” do Recôncavo, integrando toda a região ▪ Qualificação das rodovias, melhorando o acesso à Salvador ▪ Minimização do tempo de viagem de Salvador à diversos municípios ▪ Incentivo à atração de novas indústrias para a região ▪ Maior eficiência logística e integração com os portos da BTS | 12
  • 13. Um benefício direto da construção da ponte é a redução das distâncias dediversos municípios da região à Salvador Redução das distâncias à Salvador12 % Os territórios do Recôncavo, Baixo Sul, Vale do Jiquiriçá e Litoral Sul estarão entre os mais beneficiados com o novo acesso viário à Salvador, o que deve estimular o desenvolvimento socioeconômico na região1 Distância sem ponte calculada como distância rodoviária (BR-101) das cidades analisadas até o porto de Salvador.2 Distância com ponte calculada como distância rodoviária até Mar Grande, Vera Cruz (entrada da futura ponte) + 12km (comprimento aproximado | 13 da ponte)
  • 14. Macro dimensões SVO é operação urbanística- imobiliária SVO deve estar associado às soluções de mobilidade urbana para Salvador SVO é chave para dinamização do Centro Antigo |
  • 15. Um Novo Horizonte ▪Reconfiguração urbana na RMS, Recôncavo e Baixo Sul ▪Requalificação do Centro Antigo de Salvador ▪Equacionamento da mobilidade na RMS ▪ Integração VLT/Metrô? ▪ Articulação com novas avenidas ▪ Soluções para chegada na Cidade Baixa |
  • 16. Integração VLT/Metrô? Lauro de Freitas Lauro de Freitas Aeroporto Aeroporto Bairro da Paz Bairro da Paz Flamboyant Flamboyant Mussurunga Mussurunga Pirajá Pirajá Pituaçu Pituaçu Tamburugy Tamburugy Juá Juá Retiro Retiro CAB CAB Acesso Norte Acesso Norte Detran Detran Imbuí ImbuíCampo da PólvoraCampo da Pólvora Pernambués Pernambués Rodoviária Rodoviária Lapa Brotas Brotas Lapa Bonocô Bonocô |
  • 17. Articulação com novas avenidas Baía de Todos os Santos Implantação da Av. 29 de Março LAURO DE Duplicação da Av. FREITAS Orlando Gomes CAJAZEIRAS AEROPORTO Duplicação da Av. Gal Costa Duplicação da Av. Pinto de Aguiar Ligação Lobato/Pirajá t ico lân At no ea Oc Metrô IGUATEMI LAPA Trem MOSAICO ORTOIMAGENS 2010 CONDER/INFORMS |
  • 18. Soluções ainda insatisfatórias para a cabeceiraem Salvador |
  • 19. Soluções ainda insatisfatórias para a cabeceiraem Salvador |
  • 20. Soluções ainda insatisfatórias para a cabeceiraem Salvador |
  • 21. Como planejar aurbanização na Ilha? |
  • 22. Como proteger outras cidades diretamente impactadas? |
  • 23. Um Novo Horizonte ▪Consolidação da BTS como complexo industrial e portuário ▪Criação de novo polo industrial e logístico no Recôncavo, a partir de São Roque ▪Possibilidade de criação de nova retroárea para o Porto de Salvador ▪Desenvolvimento dos territórios do Recôncavo, Baixo Sul e Litoral Sul |
  • 24. Os benefícios serão capturados por todos os municípiosda região Infraestrutura básica Logística Atração de empresas Saúde, educação Cultura, lazer Turismo Trabalho e renda | 24
  • 25. O Projeto se insere num conjunto de macrointervenções que revolucionarão a logística baiana Ferrovias a dinamizar com novo marco regulatório (FCA) Hidrovia do São Francisco (PAC) Eixo Oeste 101 242 Complexo RMS-BTS 116 Complexo Itabuna-Ilhéus Ferrovia de Integração Oeste-Leste (PAC) |
  • 26. O Projeto reforçará a BTS como maior complexoportuário do Norte-Nordeste E estão sendo projetados mais 2 ou 3 TUPs BASE NAVAL DOW DIAS BRANCO TEMADRE FORD Estaleiros de São Roque Porto de Aratu TRBA USIBA/GERDAU Porto de Salvador |
  • 27. Outras macro dimensões SVO cria novo polo industrial e logístico SVO dará novo dinamismo ao eixo litorâneo Sul |
  • 28. Nas últimas décadas, o eixo Salvador/LitoralNorte concentrou 99% doinvestimento turístico na Bahia O projeto cria um novo eixo para Veraneio e Investimento Turístico: Recôncavo/Litoral Sul |
  • 29. Para a implementação do projeto, estamos avançandoem diversas frentes Detalhamento técnico do projeto ▪ Elaboração dos estudos técnicos – Projeto de engenharia – Impacto ambiental – Cultural e paisagístico – Estudos urbanísticos ▪ Detalhamento do plano de desenvolvimento regional – Potencial da região – Atração de empresas âncoras – Educação e capacitação ▪ Planejamento do modelo de desenvolvimento socioeconômico e imobiliário da Ilha – Masterplan urbanístico para a Ilha – Infraestrutura necessária ▪ Modelagem econômico-financeira da ponte – Custos e receitas estimados do projeto – Forma de financiamento | 29
  • 30. Criamos um cronograma detalhado para acompanharmosos avanços do projeto SINTÉTICO 2013 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 1 2 3 Gestão de partes Gestão de partes Plano de gestão de partes interessadas1.1 interessadas e interessadas e e comunicação social Implementação dos planos comunicação comunicação social social Definição de aspirações, Proposta de valor, lista de programas1.2 Desenvolvimento Desenvolvimento mapeamento de investimentos, e diretrizes das mudanças na socioeconomico socioeconomico setores e empresas regulação Edital e contratação dos estudos Execução dos estudos urbanísticos, revisão dos1.3 Desenvolvimento Desenvolvimento urbanísticos planos diretores e aprovação dos novos PDDUs urbanístico urbanístico Equacionamento fundiário Edital e contratação dos serviços de engenharia Execução do projeto de engenharia, visão da1.4 Infraestrutura infraestrutura necessária e estratégia para execução Infraestrutura Modelagem da concessão1.5 Impactos Edital e contratação dos estudos de impacto Execução do EIA-RIMA e estudos Aprovação dos estudos Impactos ambiental (EIA-RIMA) e cultural/ paisagístico cultural/ paisagístico e obtenção da LP1.6 Modelo econômico Plano master financeiro para implementação do plano de Modelo econômico desenvolvimento socioeconômico Macro governança, Mapas da est. org.1.7 Modelagem Modelagem Governança para modelos alternativos diretrizes e institucional institucional condução do projeto e necessidades capacitação Equipe, kick-off, cronograma1.8 Gestão do projeto Relatório final Relatório final Gestão do projeto preliminar, nivelamento Acompanhamento, integração e controle da execução do projeto Acompanhamento, integração e controle da execução do projeto | 30
  • 31. Principais marcos do projeto Linha do tempo 2013 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 1 2 3 Contratação da consultoria Evento de assinatura do MOU Publicação de editais para contratação de estudos urbanísticos, de impacto ambiental, e projeto de engenharia Início dos estudos técnicos Diretrizes urbanísticas Projeto de engenharia Obtenção da Licença-Prévia Edital de concessão | 31
  • 32. A McKinsey já foi contrata por diversos órgãos e entidades públicas deforma direta 1 2 3 4 5 Tipo de Tipo de Base legal Base legal Ano Ano Publicação Publicação Projeto Projeto contratação contratação Prefeitura do Rio Prefeitura do Rio ▪ Direta sem ▪ Inexigibilidade: art. ▪ 2011 ▪ Diário do Mun. ▪ Planejamento de Janeiro de Janeiro licitação 25, II, Lei 8.666/93 do RJ estratégico ▪ Direta sem ▪ Inexigibilidade: art. ▪ 2012 ▪ Diário Oficial ▪ Confidencial Banco do Brasil Banco do Brasil licitação 25, II, Lei 8.666/93 da União Caixa Econ. Caixa Econ. ▪ Direta sem ▪ Inexigibilidade: art. ▪ 2012 ▪ Diário Oficial ▪ Modelo de Federal Federal licitação 25, II, Lei 8.666/93 da União gestão ▪ Direta sem ▪ Inexigibilidade: art. ▪ 2009 ▪ Diário Oficial ▪ Benchmarking CEMIG CEMIG licitação 25, caput, Lei de MG internacional 8.666/93 ▪ Direta sem ▪ Inexigibilidade: ▪ 2002-2012 ▪ Site da ▪ Vários projetos Petrobrás Petrobrás licitação Decreto 2.745/98 Petrobrás e da Transpetro Governo do Governo do ▪ Direta sem ▪ Dispensa: art. 24, ▪ 2007-2009 ▪ Diário Oficial ▪ Educação Estado de MG licitação XIII, Lei 8.666/93 de MG Estado de MG ▪ NA ▪ BNDES FEP ▪ 2009 ▪ Diário Oficial ▪ Setor aéreo BNDES BNDES da União brasileiroFONTE: Analise da equipe | 32
  • 33. A McKinsey preenche os requisitos para a contratação direta porinexigibilidade de licitação Descrição e base legal Como comprovar... 1 ▪ Os serviços devem ser incomuns e ▪ Nota técnica elaborada pela área técnica da entidade Natureza com elevado grau de especificidade contratante singular dos (cf. acórdão 658/2010 – Plenário/TCU ▪ Estudos preliminares e demais relatórios já serviços ▪ Base legal: inciso II do art. 25 da construídos Lei 8.666/93 ▪ Documentação da McKinsey que descreva detalhadamente o conteúdo do trabalho 2 ▪ McKinsey deve comprovar que possui ▪ Atestados e demais cartas de referência de clientes Notória conhecimentos e experiências na da McKinsey especialização execução do objeto singular ▪ Publicações em revistas especializadas da McKinsey ▪ Base legal: inciso II do art. 25 da ▪ Pesquisas de instituições independentes Lei 8.666/93 ▪ Publicações ténicas nacionais e internacionais ▪ Parecer jurídico Marçal Justen Filho específico para a McKinsey 3 ▪ Os serviços de consultoria são ▪ Jurisprudência do Tribunal de Contas da União Enquadramen- classificados como “serviços técnicos ▪ Doutrina jurídica: Comentários à Lei 8.666/93 to dos profissionais especializados” ▪ Parecer jurídico Marçal Justen Filho específico para serviços ▪ Base legal: inciso III do art. 13 da a McKinsey Lei 8.666/93 4 ▪ Por não haver competição, deve-se ▪ Atestados, contratos e demais documentos da comprovar que os preços são McKinsey que citam os preços praticados com Justificativa condizentes com o mercado clientes públicos de preço ▪ Base legal: inciso III do art. 26 da ▪ Relatório de uma autitoria profissional e Lei 8.666/93 independente sobre o preço praticado pela McKinsey para clientes privados, sem revelar seus nomesFONTE: Análise da equipe | 33
  • 34. A McKinsey tem notório saber e vasta experiência local e DETALHE NAS CREDENCIAIS global na equalização de desafios desta natureza ▪ Nossos clientes – 90 das 100 maiores empresas globais Consultoria estratégica líder – 8 das 10 maiores empresas Brasileiras no Mundo e no Brasil ▪ Nossas pessoas – No mundo, 9.000 consultores – No Brasil, maior que a soma dos concorrentes e única em Salvador ▪ Servimos instituições governamentais em mais de 50 Países (incluindo 19 dos Histórico de projetos de alto países do G20) impacto para o Setor ▪ Realizamos 200+ projetos por ano em desenvolvimento econômico, Público no Mundo e no infraestrutura, e financiamento para Governos de todo mundo Brasil ▪ Apoiamos às diversas esferas e entidades Públicas do Brasil nos seus desafios mais complexos (ex.: Olimpíadas, Estratégia, Concessões de Infraestrutura, Educação, Gestão Pública, Aviação, Telecomunicações) ▪ Apoiamos Governo Federal, Governos Estaduais (ex. Minas Gerais) e Governos Municipais (ex. Cidade do Rio de Janeiro) ▪ Realizamos 200+ projetos por ano em infraestrutura e desenvolvimento Vasta experiência em imobiliário para 260+ clientes projetos de ▪ Entregamos 20+ projetos de planejamento de cidades nos últimos 5 anos em desenvolvimento urbano, todo o mundo, inclusive o primeiro no Brasil está em curso infraestrutura e imobiliário Pesquisas, publicações e ▪ 280+ pesquisas e artigos nos últimas 5 anos em desenvolvimento iniciativas de geração e socioeconômico e imobiliário, infraestrutura, concessões e PPPs disseminação de ▪ Pesquisa atual sobre melhores práticas de planejamento urbano em grandes conhecimento nos temas metrópoles globais relevantes ao projeto ▪ Iniciativas de geração de conhecimento: MGI, Urban China Initiative, McKinsey Center for Government, Global Infrastructure Initiative | 34
  • 35. Entregamos 20+ projetos de planejamento de cidades nos últimos 5 anosem todo o mundo, inclusive o primeiro no Brasil está em curso ▪ 1 Utilizar o pleno potencial de 6th of October e Sheikh Zayed ▪ 2 Desenvolver novo Distrito Governamental para o Egito ▪ 3 Estratégia de crescimento e recursos de atração de investimentos em Wuhan ▪ 4 Estratégia de zoneamento e melhor prática global para a zona econômica de Xangai ▪ 5 Estratégia de crescimento e plano de implementação em Xi’an ▪ 6 Estratégia de crescimento no parque de software de Xiamen ▪ 7 Estratégia distrital de Huangpu para atrair e reter modernas empresas de serviço ▪ 8 Reposicionamento da Nanjing Road - a maior avenida comercial da China 9 ▪ Criação de uma estratégia e plano de negócios para o CBD de Pequim 10 ▪ Criação de uma estratégia e plano de negócios para o CBD de Wuhan 11 ▪ Posicionamento estratégico e plano de negócios para a cidade automobilística internacional de Xangai 12 Estratégia de desenvolvimento do varejo de Xangai ▪ 13 Estratégia de varejo para a periferia de Xangai ▪ 14 Conduzindo Baoding para a produtividade urbana e um crescimento econômico ▪ sustentável 15 Desenv. de cidade econômica na Arábia Saudita - I ▪ 16 Desenv. de cidade econômica na Arábia Saudita - II ▪ 17 Desenv. de uma estratégia de comércio e logística para um país do Oriente Médio ▪ 18 Cidade Tecnológica de Fianças Internacionais de Gujarat (GIFT) ▪ 19 Desenvolver uma visão para a nova Hyderabad ▪ 20 Planejamento de uma nova cidade em Pernambuco (4.000 ha) ▪ 21 Planejamento da rede de transportes de Moscou ▪ | 35
  • 36. Síntese das expertises exigidas no projeto por experiência apresentada (1/2) Estratégia de Estratégia de Atração de Estratégia de Estratégia de Estruturação de regulamentação Gestão das desenvolvimento empresas desenvolvimento estrutura física instituições de urbana, fundiária e do Modelagem partes Gestão econômico âncoras humano social e social governança ambiente de negócios econômica interessadas integrada6th of October e Sheikh Zayed      Novo Distrito Governamentalpara o Egito       Wuhan        Zona econômica de Xangai         Xian         Xiamen         Distrito de Huangpu         Reposicionamento da NanjingRoad      CBD de Pequim         CBD de Wuhan         Cidade automobilísticainternacional de Xangai       | 36
  • 37. Síntese das expertises exigidas no projeto por experiência apresentada (2/2) Estratégia de Estratégia de Atração de Estratégia de Estratégia de Estruturação de regulamentação Gestão das desenvolvimento empresas desenvolvimento estrutura física instituições de urbana, fundiária e do Modelagem partes Gestão econômico âncoras humano social e social governança ambiente de negócios econômica interessadas integradaVarejo de Xangai      Periferia de Xangai      Baoding       Cidade econômica no Reino daArábia Saudita         Cidade econômica no Reino daArábia Saudita         Estrat. de comércio e logísticapara um país do Oriente Médio     Gujarat (GIFT)         Nova Hyderabad         Desenvolvimento urbanoimobiliário em Pernambuco         Planejando a rede detransportes de Moscou       | 37

Related Documents