Contatos: Walmir Urbano Kesseli
Joana Dark Fonseca Serafim
Telefone: (041)305-5447
...
A capacidade de geração de caixa, medida através da do EBITDA (Lucro antes dos Juros,
Impostos, Depreciação e Amortização)...
Lucro Líquido
A Empresa apresentou um Lucro Líquido de R$ 16,1 milhões, representando um Lucro de R$ 0,05
por lote de 1.0...
TIM TELE CELULAR SUL
BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO EM 31.03.1999
...
TIM TELE CELULA R SU L
D EM ON STRAÇÃO DO RESULTAD O CO NSOLIDADA EM 31.03.1999
(EM M ILHARES D E ...
of 5

Press Release 1 T99 Tele Celular Sul

Published on: Mar 4, 2016
Published in: Technology      Business      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Press Release 1 T99 Tele Celular Sul

  • 1. Contatos: Walmir Urbano Kesseli Joana Dark Fonseca Serafim Telefone: (041)305-5447 Fax: (041)305-3074 E-mail: joana.serafim@telecelularsul.com.br Homepage: www.telecelularsul.com.br TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 1999. Curitiba, 17 de maio de 1999 – A Tele Celular Sul Participações S.A. (BOVESPA: TCLS3 e TCLS6; NYSE: TSU), Empresa que controla a Telepar Celular S.A., Telesc Celular S.A. e CTMR Celular S.A., operadoras lideres na prestação de serviço móvel celular no Sul do Brasil, anunciou hoje os resultados referentes ao 1º trimestre de 1999. O Lucro Líquido registrado foi de R$ 16,1 milhões na Holding e no Consolidado (Legislação Societária). Resultado Consolidado No primeiro trimestre de 1999, a Receita Operacional Bruta atingiu R$ 182,7 milhões, representando um crescimento de 9% em relação ao 1º trimestre de 1998, que foi de R$ 167,7 milhões. O aumento foi resultante principalmente da expansão de 37% no número de assinantes da Companhia, ocorrido no período. No trimestre, o aumento da Receita não acompanhou o crescimento no número de assinantes em função da reestruturação nos preços dos serviços, iniciada em outubro de 1998. A habilitação reduziu 88%, a assinatura básica 30,5% e a utilização local 8%. Além disso, a Empresa isentou a habilitação e concedeu 100 minutos de utilização local gratuitos, temporariamente, como parte de sua estratégia de marketing . As vendas de Equipamentos, iniciadas no trimestre, representaram R$ 19,3 milhões ou seja; 11% da Receita Bruta. A tabela abaixo apresenta a composição da Receita Operacional Bruta do trimestre comparada a igual período do ano anterior: Em R$ Mil 1º Trim./99 1º Trim./98 Receitas Operacional Bruta 182.724 167.721 Venda de Aparelhos 19.306 -- Utilização 88.267 89.487 Aluguel 8.100 11.112 Assinatura 36.380 39.448 Uso da Rede 28.176 21.418 Habilitação 1.931 5.165 Serviços Adicionais 717 1.484 Outras (153) (393) Tributos e outras Deduções 37.202 36.988 Receita Operacional Líquida 145.522 130.733 1
  • 2. A capacidade de geração de caixa, medida através da do EBITDA (Lucro antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) foi de R$ 57,2 milhões, o que representa uma margem de 39,4% sobre a Receita Operacional Líquida. No primeiro trimestre de 1998, a margem foi de 51,2%. As mudanças introduzidas com a transição para o ambiente competitivo passam a refletir novos níveis EBITDA. Mudança do critério de depreciação A Empresa avaliou o atual estágio tecnológico de seus equipamentos e decidiu aplicar r novas taxas de depreciação. Consequentemente, os equipamentos de comutação e transmissão, principais itens do imobilizado, tiveram suas taxas ampliadas de 8% e 10% para 14%, respectivamente, resultando em um acréscimo de R$ 5,8 milhões nos custos. Os Custos de Vendas e Serviços Prestados foram de R$ 75, 6 milhões, que excluído o Custo com Vendas de Aparelhos, equivalente a R$ R$ 21,8 milhões, representa um aumento de 20%, em relação ao trimestre do ano anterior. Este acréscimo ocorreu principalmente pela alteração nas taxas de depreciação. As Despesas de Comercialização dos Serviços e as Gerais e Administrativas foram R$ 19,3 milhões e R$ 14,8 milhões, o que representa um aumento de 12% e 4% em relação a igual trimestre do ano anterior, devendo portanto, ser considerando que em 1999 a Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa esta sendo incluída como Despesa de Comercialização dos Serviços, enquanto que em 1998, a mesma foi alocada em Despesas Gerais e Administrativas. A Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa foi de R$ 10,0 milhões, representando 5% da Receita Operacional Bruta. A tabela abaixo apresenta a composição dos Custos dos Serviços Prestados e Venda de Mercadorias, as Despesas de Comercialização e Gerais Administrativas: R$ mil 1º Trim./99 1º Trim./98 Pessoal e Encargos 4.135 2.765 Materiais 563 159 Serviços de Terceiros 34.282 34.750 Alugueis/Arrendamento/Seguros 14.074 11.491 Depreciação/Amortização 19.771 11.190 Outras Despesas Operacionais 5.041 14.769 Custo de Venda de Mercadorias 21.899 0 Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa 10.025 1.910 Total 109.790 77.034 Desvalorização Cambial O primeiro trimestre de 1999, sofreu o impacto da desvalorização do Real e da mudança na política cambial brasileira, que permitiu a livre flutuação da taxa de câmbio. Como resultado, as Despesas Financeiras foram de R$ 28,6 milhões. No final do trimestre, Empresa iniciou processo de contratação de operações de hedge para seus passivos. O endividamento total foi de R$ 87,4 milhões, o qual refere-se à dividas contraídas em períodos anteriores e denominadas em dólares. 2
  • 3. Lucro Líquido A Empresa apresentou um Lucro Líquido de R$ 16,1 milhões, representando um Lucro de R$ 0,05 por lote de 1.000 ações. Investimentos Dando continuidade ao seu programa de expansão e modernização, a Empresa investiu R$ 8,1 milhões, ampliando o número de assinantes, a densidade e a quantidade de municípios atendidos. No trimestre 55% da rede foi digitalizada. Estes investimentos foram financiados principalmente com recursos próprios. Encerramos o primeiro trimestre de 1999 com aproximadamente 98% de Market Share. 1º Trim./99 Assinantes 665.708 Taxa de Penetração 5% Municípios Atendidos 191 Receita Média por Assinante (ARPU) 1 R$ 95,00 Minuto por assinante 175 Empregados 385 Nota: (1) Com base na Receita Bruta e inclusa a venda de aparelhos. Acionistas Controladores Em 26 de março de 1999, a Bitel Participações S.A. adquiriu as ações da Tele Celular Sul que estavam em poder da UGB Participações S.A., tornando-se a acionista majoritária da empresa com 51,8% das ações com direito a voto. Perspectivas Mesmo diante do difícil cenário macroeconômico apresentado no primeiro trimestre de 1999, a Tele Celular Sul conquistou 55.327 novos clientes e deu continuidade ao processo de digitalização da sua rede, consolidando assim, ainda mais sua posição de líder em um ambiente de crescente competição. Como parte do objetivo de desenvolver novos produtos a Empresa lançou no dia 22 de abril último, o serviço pré-pago, denominado Pronto, no qual se adquire, antecipadamente, créditos telefônicos que possibilitam realizar ligações. Estatísticas macroeconômicas mais recentes apontam alguns sinais positivos com o País recuperando a credibilidade internacional. Estamos confiantes no contínuo crescimento da Empresa. 3
  • 4. TIM TELE CELULAR SUL BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO EM 31.03.1999 (EM MILHARES DE REAIS) ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE 278.658 CIRCULANTE 183.608 DISPONIBILIDADE 86.163 PESSOAL, ENCARGOS E BENEFÍCIOS SOCIAIS 3.761 CAIXA E BANCOS 545 FORNECEDORES DE MATERIAIS E SERVIÇOS 29.410 APLICAÇÃO COM LIQUIDEZ IMEDIATA 85.618 TRIBUTOS INDIRETOS 14.883 DIREITOS REALIZÁVEIS 185.421 TRIBUTOS DIRETOS 5.302 CONTAS A RECEBER DE SERVIÇOS 95.343 EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS 75.455 PROVISÃO P/ CRÉDITOS LIQUID. DUVID. (24.277) DEBENTURISTAS - APLICAÇÕES FINANCEIRAS 282 TÍTULOS DE RENDA - TRIBUTOS A RECUPERAR 53.653 OBRIGAÇÕES C/ EMPRESAS DO STB - ESTOQUES PARA REVENDA 26.835 CONSIGNAÇÕES A FAVOR DE TERCEIROS 4.773 OUTROS VALORES A RECUPERAR 20.751 ADMINISTRAÇÃO ESTRANGEIRA - OUTROS DIREITOS 12.834 PARTICIPAÇÕES NO RESULTADO 42.057 DESPESAS DO PERÍODO SEGUINTE 7.074 PROVISÃO P/ CONTINGÊNCIAS 2.708 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 662 OUTRAS OBRIGAÇÕES 5.259 TRIBUTOS A RECUPERAR 599 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 14.550 OUTROS DIREITOS 63 ENCARGOS E BENEFÍCIOS SOCIAIS - PROVISÃO P/ COMPLEMENTAÇÃO DE APOSENTADORIA 2.549 ATIVO PERMANENTE 611.471 TRIBUTOS INDIRETOS - INVESTIMENTOS 20 TRIBUTOS DIRETOS - OUTROS INVESTIMENTOS 20 DEBENTURISTAS - IMOBILIZADO 611.068 OBRIGAÇÕES C/ EMPRESAS DO STB - BENS E INSTALAÇÕES EM SERVIÇO 639.892 CONSIGNAÇÕES A FAVOR DE TERCEIROS - BENS E INSTALAÇÕES EM ANDAMENTO 138.717 PROVISÃO P/ CONTINGÊNCIAS 200 DEPRECIAÇÕES E AMORTIZAÇÕES ACUMULADAS (167.541) OUTRAS OBRIGAÇÕES - DIFERIDO 383 RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS - NO CAPITAL SOCIAL 115.925 TOTAL DO ATIVO 890.791 NAS RESERVAS E LUCROS ACUMULADOS 19.715 PATRIMÔNIO LÍQUIDO / RECURSOS CAPITALIZÁVEIS 556.993 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 556.918 CAPITAL SOCIAL 175.872 CORREÇÃO MONETÁRIA DO CAPITAL REALIZADO - RESERVAS DE CAPITAL - RESERVAS DE REAVALIAÇÃO - RESERVAS DE LUCROS 157.435 LUCROS ACUMULADOS 223.611 AÇÕES EM TESOURARIA - RECURSOS CAPITALIZÁVEIS 75 RECURSOS DO AUTOFINANCIAMENTO - RECURSOS DA UNIÃO - RECURSOS DO SISTEMA TELEBRÁS - OUTROS RECURSOS CAPITALIZÁVEIS - TOTAL DO PASSIVO 890.791 4
  • 5. TIM TELE CELULA R SU L D EM ON STRAÇÃO DO RESULTAD O CO NSOLIDADA EM 31.03.1999 (EM M ILHARES D E R EAIS) RECEITA O PER ACIO NAL BRUTA 182.724 DEDUÇÕ ES DA RECEITA BRUTA (37.202) ICM S / PASEP / CO FINS E O UTRO S (37.202) RECEITA O PER ACIO NAL LÍQ UIDA 145.522 CUSTO DOS SERVIÇOS PR ESTADO S (75.614) LUCRO BRUTO 69.908 RECEITAS (DESPESAS) O PERACIONAIS (50.624) COM ERCIALIZAÇÃO DO S SER VIÇO S (19.302) DESPESAS GERAIS E ADM INISTRATIVAS (14.775) PESQUISA E DESENVO LVIM ENTO (95) PRO VISÃO PARA C ONTINGÊNCIAS (4) RECEITAS FINANCEIRAS 10.400 DESPESAS FINANCEIR AS (28.617) OUTR AS DESPESAS OPERACIO NAIS (1.853) OUTR AS RECEITAS O PER ACIO NAIS 3.622 LUCRO O PER ACIO NAL 19.284 RESULTAD O ANTES DAS D EDUÇ ÕES/ ADIÇÕ ES 19.284 DEDUCO ES/ ADIÇÕES AO R ESU LTADO (6.572) PRO VISÃO PARA IMPOSTO DE R ENDA (4.848) PRO VISÃO PARA C ONTR IBUIÇ ÃO SO CIAL (1.505) PAR TICIPAÇÃO DE EM PREG ADO S (219) LUCRO AN TES PARTICIP. M INO RITÁRIA 12.712 PAR TICIPAÇÃO M INO RITÁRIA 3.345 LUC RO D O PERÍODO 16.057 5

Related Documents