Contatos
Paulo Roberto Cruz Cozza
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores
Joana...
A Administração
“A Tele Celular Sul não apenas cresceu em 2001, mas também
assegurou ...
Receita Operacional
Em...
Custos e Despesas Operacionais
...
EBITDA
O EBITDA atingiu R$ 320,6 milhões, representando um incremento de 47%
EBITDA de ...
Eventos Subseqüentes
A Tele Celular Sul reajustou suas tarifas a partir 1º de fevereiro em 6,9%
Rede...
Dados Selecionados
4º 4º Acum. ...
TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A.
Balanços Patrimoniais em 31 de dezembro
...
TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A.
Balanços Patrimoniais em 31 de dezembro
...
TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A.
Demonstrações dos Resultados
...
TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES CELULAR S.A. - CONTROLADORA
Demonstraçõ...
TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. E
TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. E CONTROLA...
of 12

Press Release 4 T01 Tele Celular Sul

Published on: Mar 4, 2016
Published in: Business      Technology      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Press Release 4 T01 Tele Celular Sul

  • 1. Contatos Paulo Roberto Cruz Cozza Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Joana Dark Fonseca Serafim Relações com Investidores (41) 312-6862 jserafim@timsul.com.br Rafael J. Caron Bósio Relações com Investidores (41) 312-6623 rbosio@timsul.com.br Website http://www.timsul.com.br/tcf TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA OS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO QUARTO TRIMESTRE 2001 E RESULTADO ANUAL Curitiba, 1 de março de 2002 – A Tele Celular Sul Participações S.A. (BOVESPA: TCLS3 e TCLS4; NYSE: TSU), Empresa que controla a Telepar Celular S.A., Telesc Celular S.A. e CTMR Celular S.A., operadoras líderes na prestação de serviço móvel celular no Sul do Brasil, anuncia os resultados referentes ao 4º trimestre de 2001 e exercício social findado em 31.12.2001. Destaques de 2001 ü Consolidação da qualidade da rede, atingindo patamar competitivo comprovadamente superior. ü Criação de unidade de negócios voltada para o segmento corporativo (TIM Business), a qual conta com uma estrutura técnica operacional exclusiva: consultores treinados, Centro de Relacionamento ao Cliente dedicado e site independente na Internet. ü Evolução da Central de Atendimento dentro de uma visão de Centro de Relacionamento com o Cliente - CRC, segmentada de acordo com o valor do cliente, oferecendo produtos, serviços e soluções de comunicação móvel específicas. üInvestimentos na proteção da base de clientes de alto valor, através da criação do segmento especial. üConsolidação do esforço de construção da marca TIM, a qual é hoje Top of Mind em toda a Região Sul do Brasil. ü Lançamento dos serviços TIMnet. 1
  • 2. A Administração “A Tele Celular Sul não apenas cresceu em 2001, mas também assegurou a rentabilidade do negócio. A geração de resultado, pelo conceito EBITDA evoluiu 47%, em relação ao anterior, atingindo R$ 320,6 milhões. O lucro líquido foi de R$ 59,9 milhões, tendo quadruplicado em relação a 2000. Isto graças ao crescimento de 14% na receita bruta total e a redução das despesas de inadimplência, administrativas e de marketing. Prova concreta de nosso permanente empenho no sentido de aliar crescimento, inovação e rentabilidade”. Alvaro P. de Moraes Filho Presidente Em R$ mil 4º Trim/01 4º Trim/00 3º Trim/01 Acum. Acum. 2001 2000 Receita Bruta de Venda de Celulares 58.373 14.213 34.816 116.026 85.644 Receita Bruta de Serviços 235.328 220.046 216.851 940.320 840.438 Receita Operacional Bruta 293.701 234.259 251.667 1.056.346 926.082 Receita Líquida Total 227.332 177.305 196.235 791.429 716.887 EBITDA 78.962 67.393 84.435 320.611 218.727 Margem EBITDA 35% 38% 43% 40% 31% Margem EBITDA (sem vendas de 44% 41% 49% 46% 34% celulares) Lucro Líquido 16.851 8.246 10.878 59.889 15.368 Lucro Líquido por 1.000 ações – R$ 0,05 0,02 0,03 0,17 0,04 Lucro por ADR (10.000 ações) – R$ 0,50 0,20 0,30 1,70 0,40 Market Share A Tele Celular Sul encerrou 2001 com a participação no mercado estimada em 66%, mantendo sua posição competitiva no mercado. A taxa de penetração total na área de concessão foi de aproximadamente 16%. Ao final de 2001, a Companhia possuía 1,6 milhões de clientes, dos quais 62% usuários do serviço pré-pago. No ano foram cancelados 88,0 mil assinantes da base total, com o objetivo de manter a base depurada dos efeitos da inadimplência. A Companhia possui cobertura em 232 municípios e mais de 1.700 km de rodovias. Os serviços da operadora estão disponíveis a 78% da população total da região onde atua, o que equivale a aproximadamente 11,6 milhões de pessoas. 2
  • 3. Receita Operacional Em R$ mil Acum. Acum. 4º Trim./01 4º Trim./00 3º Trim./01 2001 2000 Receita Líquida de Serviços 177.960 165.077 173.369 700.355 642.921 Receita Líquida de Vendas 49.372 12.228 22.866 91.074 73.966 Receita Líquida Total 227.332 177.305 196.235 791.429 716.887 A Receita Líquida Total registrada em 2001 foi de R$ 791,4 milhões, representando o crescimento de 10% - ou 18% deduzidos os efeitos da inadimplência, em relação ao ano anterior. No quarto trimestre de 2001, a Receita Líquida foi de R$ 227,3 milhões, sendo 28% superior à verificada no 4º trimestre/2000. Ao final do ano, a Receita Líquida resultante da vendas de aparelhos celulares acumulou R$ 91,0 milhões. Cabe ressaltar, que 116% de incremento na a partir de agosto de 2001 a Companhia passou a comercializar Receita de Venda diretamente os aparelhos celulares junto às suas revendas de Aparelhos credenciadas, atividade anteriormente terceirizada. Este fato Celulares no 4º trim./01 justifica os incrementos em relação ao ano anterior, e principalmente, no 4º trimestre/2001 em comparação com o 3º trimestre de 2001. O ARPU (Receita Média por Cliente Líquida) foi de R$ 39,0 em 2001 mantendo-se praticamente estável ao longo do ano. O decréscimo em relação a 2000 reflete o forte crescimento dos serviços pré-pago. Os minutos de uso por cliente (MOU) atingiram 115 ao final de 2001, comparado com 123 em 2000, a redução resulta do incremento da participação dos clientes pré-pagos na base total. No 4º trimestre/2001, o MOU foi de 118 e o incremento em relação ao 3º trimestre/01 resultada da maior utilização dos visitantes, principalmente no mês de dezembro, tendo em vista período de férias. Composição da Receita Bruta Receita Bruta Operacional Total - 2001 Receita Bruta Operacional Total - 2000 R$ 1.056,3 milhões R$ 926,0 milhões Vendas de Vendas de Outras Aparelhos Aparelhos Crescimento 8,2 Interconexão 116,0 85,6 de 14% na 246,4 Receita Bruta 306,8 Interconexão 3,2 Outras 178,3 447,0 182,1 408,7 Assinatura Utilização Utilização Assinatura 3
  • 4. Custos e Despesas Operacionais Em R$ mil 4º Trim./01 4º Trim./00 3º Trim./01 Acum. Acum. 2000 2001 Custo de Serviços e Mercadorias 125.164 104.086 101.970 406.033 419.366 Custos dos Serviços 80.057 88.068 70.737 294.110 316.436 Custos de Mercadorias (venda de celulares) 45.107 16.018 31.233 111.923 102.930 Despesas Comerciais 49.408 33.273 45.268 181.424 171.941 Despesas Gerais e Administrativas 19.387 11.747 15.127 67.780 48.349 TOTAL 193.959 149.106 162.365 655.237 639.656 Inadimplência (Despesas com Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa e Perdas) 2.883 1.773 6.481 18.335 59.051 Os custos e despesas operacionais (despesas de comercialização e Gerais & Administrativas) totalizaram R$ 655,2 milhões, representando um incremento de 2% em relação a 2000. O acréscimo verificado deve-se basicamente a três fatores: a) expansão da base de clientes; b) aumento nos gastos com A Companhia depreciação, tendo em vista a aceleração dos investimentos nos retomou a períodos recentes; e c) incremento nos custos atrelados à venda comercialização de aparelhos celulares, devido à expansão das vendas de de aparelhos celulares para as equipamentos celulares. revendas Os Custos e Despesas Operacionais, deduzidos os gastos com depreciação e os custos com aparelhos, apresentaram redução de 6% em relação ao ano 2000, o que demonstra maior controle das despesas operacionais. 70% de Em 2001, as despesas com inadimplência foram de R$ 18,3 redução da milhões, comparada com R$ 59,1 milhões em 2000, representando inadimplência em 2001 2% e 6% da receita bruta total, respectivamente. O Custo de Aquisição por Assinante (SAC) em 2001 foi de R$161,0 SAC e, o incremento referente a 2000 (R$ 136,0) reflete principalmente de R$161,0 o impacto da desvalorização do real frente ao dólar nos preços dos em 2001 aparelhos celulares e o forte cenário competitivo. No 4º trimestre de 2001, o SAC foi reduzido para R$ 110,0. Os gastos com Depreciação e Amortização em 2001 acumularam R$ 200,0 milhões (incluindo a amortização do ágio no valor de R$ 26,9 milhões), representanto o incremento de 28% em relação a 2001. 4
  • 5. EBITDA O EBITDA atingiu R$ 320,6 milhões, representando um incremento de 47% EBITDA de em relação a 2000. A margem EBITDA foi de 40% sobre a receita líquida R$ 320,6 milhões em total – ou 46% sem a venda de aparelhos, comparada com as margens 2001 de 31% e 34%, registradas, respectivamente no ano de 2000. 100 45% 50% 360 40% 50% 41% 43% 38% 35% 300 40% 80 84,4 40% 31% 84,4 240 320,6 60 76,4 80,8 79.0 30% 30% 67,4 180 218,7 40 20% 20% 120 20 10% 60 10% 0 0% 0 0% 4T00 1T01 2T01 3T01 4T01 2001 2000 EBITDA EBITDA Margem EBITDA (%) R$ Milhões Margem EBITDA (%) R$ Milhões Lucro Líquido 4º Trim/01 4º Trim/00 3º Trim/01 Acum. Acum. 2001 2000 Lucro Líquido 16.851 8.246 10.878 59.889 15.368 Lucro Líquido por 1000 ações – R$ 0,05 0,02 0,03 0,17 0,04 Incremento da O lucro líquido foi de R$ 59,9 milhões, tendo quadruplicado em relação a lucratividade 2000. Isto graças ao crescimento de 14% na receita bruta total e a em 2001 redução das despesas de inadimplência, administrativas e de marketing. O 4º trimestre apresentou o Lucro Líquido de R$ 16,9 milhões, 55% superior ao resultado do 3º trimestre de 2001. Investimentos e Financiamentos A Tele Celular Sul investiu R$ 158,4 milhões, por meio de suas empresas controladas, na ampliação e modernização da sua rede celular, no desenvolvimento de sistemas de informática e na TIMnet.com, empresa provedora de conteúdos para a internet móvel. O programa de investimentos foi financiado praticamente com geração de caixa própria. Ao final de 2001, o endividamento líquido era de R$ 194,5 milhões, comparado com R$ 255,8 milhões em 2000. Do total dos débitos, o montante de R$ 59,8 milhões representa empréstimos em dólar, os quais foram totalmente cobertos por operações de hedge, como forma de proteção quanto à oscilação cambial. Adicionalmente, uma parcela específica do empréstimo junto ao BNDES, correspondente a R$ 15,8 milhões, esta sujeita a uma taxa de juros atrelada a “cesta de moedas” do Banco, a qual inclui o dólar. Para este caso específico não há nenhum instrumento de hedge disponível no mercado. 5
  • 6. Eventos Subseqüentes A Tele Celular Sul reajustou suas tarifas a partir 1º de fevereiro em 6,9% Redefinição dos no Paraná e 4,5% em Santa Catarina. A diferença na aplicação dos planos de serviços e percentuais deve-se as variações tributárias existentes entre os dois reajuste tarifário Estados. Em conjunto com o reajuste, a Companhia lançou uma série de modificações nos planos, ampliando os benefícios aos clientes quanto à utilização, também utilizando ampla campanha publicitária visando estimular o uso. No mesmo período, a tarifa de uso de rede (TU-M) também foi reajustada de R$ 0,2552 por minuto para R$ 0,2823 (ambas líquidas de impostos). O reajuste é baseado na inflação acumulada no período de outubro de 2000 até dezembro de 2001. __________________________________________________________________ “Este comunicado contém declarações de previsão e/ou estimativas futuras. Tais expectativas são baseadas em uma série de suposições. Estas expectativas estão sujeitas a riscos e incertezas inerentes às projeções e/ou estimativas futuras. Os resultados poderão diferir materialmente das expectativas expressadas nas declarações de previsão e/ou estimativa futuras se um ou mais das suposições e expectativas provarem ser inexatas ou não realizadas.” 6
  • 7. Dados Selecionados 4º 4º Acum. Acum. 1º Trim./012º Trim./013º Trim./01 Trim./01 Trim./00 2001 2000 Assinantes Total 1.486.673 1.508.071 1.534.566 1.603.913 1.416.484 1.603.913 1.416.484 Pós-pago 736.534 669.992 625.022 605.592 757.478 605.592 757.478 Pré-pago 750.139 838.079 909.544 998.321 659.006 998.321 659.006 População estimada da região (milhões) 14,7 14,8 14,8 14,8 14,7 14,8 14,7 Municípios Atendidos 219 220 220 232 219 232 219 Penetração Total estimada 14% 14% 15% 16% 13% 16% 13% Market share 73% 71% 68% 66% 75% 66% 75% 1 ARPU TOTAL R$42 R$38 R$37 R$38 R$42 R$39 R$45 MOU TOTAL 119 111 104 118 121 115 123 SAC R$200 R$172 R$181 R$110 R$127 R$161 R$136 Investimentos (milhões) R$30 R$37 R$35 R$54 R$88 158 R$204 Adições Líquidas 70.189 21.398 26.495 69.347 131.964 187.429 382.218 2 3% 3% 3% 5% 12% 16% Churn 3% Churn (com clean up) 2 - 6% 5% 4% - 17% - Cancelamentos (clean up) - 39.949 34.176 13.815 - 87.940 - Pontos de vendas (incluso lojas próprias) 722 751 825 937 685 937 685 3 1.218 1.186 1.178 1.178 1.178 1.175 Empregados 1.215 Notas: (1) Receita média por assinante. (2) Calculado sobre a base média de assinantes. (3) Somente efetivos. Cálculo do EBITDA Em R$ mil 4º Trim/01 4º Trim/00 3º Trim/01 Acum. Acum. 2001 2000 Receita operacional líquida 227.332 177.305 196.235 791.429 716.887 Lucro (prejuízo) operacional 16.585 6.006 14.357 76.203 4.805 Depreciação 46.914 41.475 44.630 173.042 141.726 Amortização do ágio 6.744 6.732 6.745 26.961 14.292 Receitas financeiras (22.098) (8.800) (15.460) (61.638) (27.645) Despesas financeiras 30.817 21.980 34.163 106.043 85.549 EBITDA 78.962 67.393 84.435 320.611 218.727 Margem EBITDA (%) 35% 38% 43% 40% 31% Receita Operacional Em R$ mil 4º Trim./01 4º Trim./00 3º Trim./01 Acum. 2001 Acum. 2000 Vendas de Aparelhos 58.373 14.213 34.816 116.026 85.644 Utilização 106.135 104.378 95.954 447.071 408.722 Assinatura 44.952 42.996 45.480 178.275 182.075 Uso da Rede (Interconexâo) 80.530 70.767 74.453 306.811 246.394 Outras 3.711 1.905 964 8.163 3.247 Receita Operacional Bruta 293.701 234.259 251.667 1.056.346 926.082 Tributos e outras Deduções (66.369) (56.954) (55.432) (264.917) (209.195) Receita Operacional Líquida 227.332 177.305 196.235 791.429 716.887 Receita Operac. Líquida de Serviços 177.960 165.077 173.369 700.355 642.921 Receita Operacional Líquida de Vendas 49.372 12.228 22.866 91.074 73.966 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 7
  • 8. TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. Balanços Patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Controladora Consolidado 2001 2000 2001 2000 Ativo Circulante Disponibilidades 1.099 225 5.462 8.008 Títulos e valores mobiliários 9.843 134.397 89.001 Contas a receber de clientes 148.862 127.638 Estoques 21.856 12.365 Sociedades controladora e ligadas Sociedades coligadas Tributos diferidos e a recuperar 6.422 4.069 53.197 47.184 Juros sobre o Capital Próprio a receber 17.664 7.878 Dividendos a receber 859 2.489 Contas a receber por alienação de bens 10.660 Outros ativos 832 1.553 12.423 17.319 36.719 16.214 376.197 312.175 Realizável a longo prazo Sociedades controladora e ligadas 3.176 27.928 Sociedades coligadas Tributos diferidos e a recuperar 774 725 241.254 246.909 Depósitos judiciais 10.908 10.683 Outros ativos 14 1.889 1.762 3.964 28.653 254.051 259.354 Ativo permanente Investimentos 810.929 760.837 28.707 16.273 Imobilizado 96 108 775.575 837.165 Diferido 67.649 36.586 811.025 760.945 871.931 890.024 Total 851.708 805.812 1.502.179 1.461.553 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 8
  • 9. TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. Balanços Patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Controladora Consolidado 2001 2000 2001 2000 Passivo e patrimônio líquido Circulante Fornecedores 2.330 3.122 63.389 98.724 Empréstimos e financiamentos 21.987 31.348 Debêntures 8.860 7.674 Obrigações Trabalhistas 10.389 6.033 13.083 9.190 Impostos e contribuições a recolher 854 2.877 20.794 28.245 Juros sobre o capital próprio 20.450 4.882 26.636 8.909 Dividendos a pagar 1.755 9.626 2.184 10.313 Sociedades controladora e ligadas 5.899 Outras obrigações 5.247 1.085 14.548 4.735 41.025 33.524 171.481 199.138 Exigível a longo prazo Empréstimos e financiamentos 103.539 113.763 Debêntures 200.000 200.000 Impostos e contribuições a recolher 60.727 32.367 Complementação de aposentadoria 2.239 2.132 2.239 2.174 Provisão para contingências 40 6.095 1.517 Outras obrigações 75 75 75 75 2.354 2.207 372.675 349.896 Participações minoritárias 149.694 142.438 Patrimônio líquido Capital social 245.033 175.772 245.033 175.772 Reservas de capital 195.695 205.603 195.695 205.603 Reservas de lucros 367.601 111.740 367.601 111.740 Lucros acumulados 276.966 276.966 808.329 770.081 808.329 770.081 Total 851.708 805.812 1.502.179 1.461.553 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 9
  • 10. TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. Demonstrações dos Resultados Exercícios findos em 31 de dezembro Em milhares de reais Controladora Consolidado 2001 2000 2001 2000 Receita operacional bruta 1.056.346 926.082 Deduções da receita bruta (264.917) (209.195) Receita operacional líquida 791.429 716.887 Custo dos serviços prestados e das mercadorias vendidas (406.033) (364.468) Lucro bruto 385.396 352.419 Receitas (despesas) operacionais Comercialização (181.424) (201.150) Gerais e administrativas (2.819) (2.990) (67.780) (74.038) Resultado de equivalência patrimonial 62.580 8.175 (1.888) Outras despesas operacionais, líquidas (973) (2.027) (15.584) (14.522) 58.788 3.158 (266.676) (289.710) Lucro operacional antes dos resultados financeiros 58.788 3.158 118.720 62.709 Receitas (despesas) financeiras Receitas financeiras 27.062 3.134 45.278 17.463 Despesas financeiras (22.717) (2.097) (72.045) (62.619) Variações cambiais, líquidas (223) 15.529 (17.638) (12.748) 4.122 16.566 (44.405) (57.904) Lucro operacional 62.910 19.724 74.315 4.805 Receitas (despesas) não operacionais líquidas (256) 2.130 10 3.507 Lucro antes dos tributos e das participações 62.654 21.854 74.325 8.312 Imposto de renda e contribuição social 434 (4.997) 672 6.320 Participação dos empregados (3.199) (1.489) (4.129) (2.262) Participações minoritárias 0 (10.979) 2.998 Lucro líquido do exercício 59.889 15.368 59.889 15.368 Lucro por lote de mil ações em circulação (R$) 0,17 0,05 0,00 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 10
  • 11. TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES CELULAR S.A. - CONTROLADORA Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido Em milhares de reais Capital Reservas Social de Capital Reservas de lucros Reserva de Reserva Reserva Reserva lucros Capital especial Reserva de lucros a especial p/ para Lucros social de ágio legal realizar dividendos expansão acumulados Total Saldos em 31 de dezembro de 1999 175.872 16.744 126.655 241.695 560.966 . Redução parcial do capital social (100) 100 . Ágio incorporado de controladora 205.503 205.503 . Lucro líquido do exercício 15.368 15.368 . Realização parcial da reserva de lucros a realizar (32.427) 32.427 Destinações do lucro do exercício: . Reserva legal 768 (768) . Juros sobre o capital próprio (2.515) (2.515) . Dividendos (9.241) (9.241) Saldos em 31 de dezembro de 2000 175.772 205.603 17.512 94.228 276.966 770.081 . Aumento do capital social 69.261 (9.908) (59.353) . Lucro líquido do exercício 59.889 59.889 . Realização da reserva de lucros a realizar (94.228) 94.228 . Reserva especial para dividendos 19.257 (19.257) . Reserva de lucros para expansão 327.838 (327.838) Destinações do lucro do exercício: . Reserva legal 2.994 (2.994) . Juros sobre o capital próprio (20.782) (20.782) . Dividendos (859) (859) Saldos em 31 de dezembro de 2001 245.033 195.695 20.506 19.257 327.838 808.329 Valor Patrimonial da Ação R$ (por lote de mil ações) 2,39 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 11
  • 12. TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. E TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. E CONTROLADAS Demonstrações das Origens e Aplicações de Recursos Exercícios findos em 31 de dezembro Em milhares de reais Controladora Consolidado 2001 2000 2001 2000 Origens de recursos Das Operações Lucro líquido do exercício 59.889 15.368 59.889 15.368 Despesas (receitas) que não afetam o capital de giro Depreciação e amortização 1.706 12 174.733 156.089 Amortização do diferido - ágio 7.217 Variação cambial, monetária e juros do realizável a longo prazo (1.787) (16.733) Variação cambial, monetária e juros do exigível a longo prazo 12.519 6.475 Constituição / reversão de provisão para contingências 40 (502) 4.578 (2.003) Resultado de equivalência patrimonial (62.580) (8.175) 1.888 Valor residual do ativo permanente baixado 883 372 Complementação de aposentadoria 107 293 65 294 Participações minoritárias 10.979 (2.998) Ganho ou perda em investimento 255 (2.130) (2.130) Efeitos da não consolidação TIMNET (4.736) De terceiros Aumento do exigível a longo prazo 23.436 341.886 Transferência do realizável a longo prazo para o circulante 26.526 176.175 19.093 18.597 Total das origens 24.156 164.308 310.544 531.950 Aplicações de recursos No realizável a longo prazo Sociedades controladas 51.877 Tributos diferidos e a recuperar 50 19.614 32.814 Depósitos judiciais 225 902 Outros 1.168 2.156 No permanente Investimento - ágio - Investimento 10.686 116.863 11.100 Imobilizado 3 90 101.684 180.524 Diferido 413 45.615 23.786 Dividendos e juros sobre o capital próprio 21.641 11.756 Transferência do exigível a longo prazo para o circulante 17.818 19.588 Total das aplicações 11.152 168.830 218.865 271.526 Aumento (redução) do capital circulante 13.004 (4.522) 91.679 260.424 Variação do capital circulante líquido Capital circulante final: Ativo circulante 36.719 16.214 376.197 312.175 Passivo circulante 41.025 33.524 171.481 199.138 (4.306) (17.310) 204.716 113.037 Menos capital circulante inicial (17.310) (12.788) 113.037 (147.387) Aumento (redução) do capital circulante 13.004 (4.522) 91.679 260.424 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 12

Related Documents