RESULTADOS CONSOLIDADOS DO
QUARTO TRIMESTRE 2002 E RESULTADO ANUAL
1
Contatos
Paulo Roberto Cruz Cozza
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores
...
A Administração
“A estratégia estabelecida pela Tele Celular Sul - TIM Sul foi
...
Em 2002, a Receita oriunda do tráfego permaneceu praticamente estável em
relação ao ano anterior. O AR...
No ano as despesas comerciais no montante de R$ 140,9 milhões reduziram
9,1% em relação a 2001. No 4T02, ...
Em 2002, as despesas com Depreciação e Amortização, incluindo a
amortização do ágio da privatização, foram ...
Investimento
Em 2002, foram investidos R$ 68,7 milhões, sendo R$ 46,9 milhões no 4T02,
a...
Fatos Relevantes
Serviço Móvel Pessoal (SMP)
Em 10 de dezembro de 2002, a administração da Tele Celular Sul an...
Dados Selecionados
4T02 4T01 3T02 2002 200...
TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A.
BALANÇOS PATRIMONIAIS
...
TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A.
BALANÇOS PATRIMONIAIS
...
DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS
31 de dezembro dem 2002 e 2001
...
of 12

Press Release 4 T02 Tele Celular Sul

Published on: Mar 4, 2016
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Press Release 4 T02 Tele Celular Sul

  • 1. RESULTADOS CONSOLIDADOS DO QUARTO TRIMESTRE 2002 E RESULTADO ANUAL 1
  • 2. Contatos Paulo Roberto Cruz Cozza Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Joana Dark Fonseca Serafim Relações com Investidores (41) 312-6862 jserafim@timsul.com.br Rafael J. Caron Bósio Relações com Investidores Investor Relations +55 41 9976-0668 rbosio@timsul.com.br Website http://tsu.infoinvest.com.br/ TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA OS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2002 E RESULTADO ANUAL Curitiba, 12 de Fevereiro de 2003 – A Tele Celular Sul Participações S.A. (BOVESPA: TCLS3 e TCLS4; NYSE: TSU), Empresa que controla a Telepar Celular S.A., Telesc Celular S.A. e CTMR Celular S.A., operadoras líderes na prestação de serviço móvel celular no Sul do Brasil, anuncia os resultados referentes ao 4º trimestre de 2002 e resultado anual. Destaques ü Ênfase na rentabilidade, resultando no EBITDA de R$ 81,6 milhões no quarto trimestre e R$352,4 milhões em 2002, e margens EBITDA de 42,1% e 47,1% sobre a receita líquida de serviços em ambos períodos. ü Lucro líquido de R$ 17,3 milhões no 4º trimestre/2002 e de R$ 65,8 milhões acumulado em 2002. ü Contínuo controle de custos. ü Baixo nível de endividamento e forte geração de caixa. ü Campanhas promocionais focadas no estímulo ao consumo. ü Incremento nos serviços de valor adicionado – VAS 2
  • 3. A Administração “A estratégia estabelecida pela Tele Celular Sul - TIM Sul foi cumprida de maneira completa e bem-sucedida. Mantivemos o foco na inovação de serviços e satisfação dos clientes, na qualificação da base de assinantes e no controle de custos (principalmente o de aquisição de novos clientes), resguardando a saúde econômico-financeira da Companhia e proporcionando uma elevada geração de caixa”. Alvaro P. de Moraes Filho Presidente Dados Selecionados Em R$ mil 4T02 4T01 % 3T02 Acum. Acum. % 4T02/4T01 2002 2001 Acum. Receita Bruta de Venda de Celulares 70.996 58.373 21,6% 45.136 174.879 116.026 50,7% Receita Bruta de Serviços 248.053 235.328 5,4% 243.617 971.069 940.320 3,3% Receita Bruta Total 319.049 293.701 8,6% 288.753 1.145.948 1.056.346 8,5% Receita Líquida Total 251.921 227.332 10,8% 226.550 891.264 791.429 12,6% EBITDA 81.630 78.962 3,4% 93.033 352.416 320.611 9,9% Margem EBITDA 32,4% 34,7% -6,7% 41,1% 39,5% 40,5% -2,4% Margem EBITDA (s/ Rec. Líq. de Serv.) 42,1% 44,4% -5,0% 49,0% 47,1% 45,8% 2,8% Lucro Líquido 17.343 16.851 2,9% 18.437 65.774 59.889 9,8% Lucro Líquido por 1.000 ações – R$ 0,05 0,05 1,2% 0,04 0,19 0,17 11,8% Lucro por ADR (10.000 ações) – R$ 0,51 0,50 1,2% 0,40 1,90 1,70 11,8% Fluxo de Caixa (Free Cash Flow) 67.848 26.090 160,1% 101.241 345.242 105.152 228,3% Receita Operacional A receita bruta em 2002 foi de R$ 1.145,9 milhões, comparada com Incremento na R$ 1.056,3 milhões em 2001, um crescimento de 8,5%. No 4T02 a receita receita de bruta atingiu R$ 319,0 milhões, 8,6% superior a do 4T01. A expansão venda celulares verificada em ambos períodos esta relacionada ao incremento da base de clientes e da venda de aparelhos. Desde agosto de 2001, a Companhia comercializa celulares diretamente às revendas credenciadas. Receita Bruta Operacional Total - 2002 Receita Bruta Operacional Total - 2001 R$ 1.145,9 milhões R$ 1.056,3 milhões 932,1 15,1 948,6 5,8 174,8 116,0 Tráfego 2,4 7,4 Tráfego VAS VAS Venda de Mercadorias Venda de Mercadorias Outras Outras 3
  • 4. Em 2002, a Receita oriunda do tráfego permaneceu praticamente estável em relação ao ano anterior. O ARPU (Receita Líquida Média por Assinante) foi de R$ 38 no ano e no 4T02 e R$ 39 em 2001. Expansão da A Receita de VAS (Value Added Service) foi de R$ 15,1 milhões, triplicando receita de VAS em relação ao ano anterior. No ano, a Receita de Outros, que incluem principalmente os serviços de bloqueio de chamada, troca de serviços, emissão de 2ª via de fatura, etc., representou R$ 7,4 milhões. Custos Em R$ mil 4T02 4T01 % 3T02 Acum. Acum. % 4T02/4T01 2002 2001 Acum. 1 Custo dos Serviços 44.300 40.915 8,3% 39.713 160.824 143.989 11,7% Custo das Vendas de Celulares 67.644 45.107 50,0% 44.347 161.197 111.923 44,0% Total dos Custos 111.944 86.022 30,1% 84.060 322.021 255.912 25,8% Nota: (1) Não inclui a depreciação. Em 2002, o custo dos serviços foi de R$ 160,8 milhões, expandindo 11,7% em relação ao ano anterior. No 4T02, o custo foi de R$ 44,3 milhões, 8,3% acima do verificado no 4T01. Tais incrementos estão principalmente relacionados ao aumento dos custos de interconexão, tendo em vista a expansão da base de assinantes, e a conseqüente maior utilização da rede de outras operadoras pelos clientes da Companhia. Adicionalmente, as tarifas de interconexão foram reajustadas ao longo do ano. O custo de vendas de celulares registrado em 2002 foi de R$ 161,1 milhões, comparado com R$ 111,9 milhões em 2001. No 4T02, O custo totalizou R$ 67,6 milhões, 50% superior ao do 4T01. Os aumentos resultam do incremento das vendas de celulares, tendo em vista que em 2002 a Companhia passou a efetuar a venda de aparelhos celulares diretamente as suas revendas credenciadas, atividade esta anteriormente terceirizada. Despesas Comerciais e Gerais Administrativas Gerais 4T02 4T01 % 3T02 Acum. Acum. % 4T02/4T01 2002 2001 Acum. Despesas Comerciais 1 e 2 38.116 43.574 -12,5% 33.136 140.883 155.061 -9,1% 2e3 Despesas Gerais e Adm. - G&A 18.889 20.603 -8,3% 14.498 61.532 57.016 7,9% Sub-Total 57.005 64.177 -11,2% 47.634 202.415 212.077 -4,6% Notas: (1) não Inclui as despesas com inadimplência; (2) não inclui a depreciação e amortização e (3) ajuste nos trimestres, os quais passaram a incluir a “participação nos empregados”, anteriormente classificada como despesa “não operacional”. 4
  • 5. No ano as despesas comerciais no montante de R$ 140,9 milhões reduziram 9,1% em relação a 2001. No 4T02, as despesas comerciais foram 12,5% inferiores as do 4T01, no entanto 15,0% superiores as do 3T02, em função das promoções específicas de final de ano, período em que se verifica pico nas vendas dos produtos e serviços. As despesas gerais e administrativas atingiram R$ 61,7 milhões em 2002, um incremento de 7,9% em relação a 2001. Os aumentos verificados estão basicamente relacionados ao incremento nas despesas com tecnologia da informação. No 4T02, estas mesmas despesas representaram R$ 18,9 milhões, 8,3% inferiores as do 4T01. Ao longo de 2002, as despesas com inadimplência foram de R$ 30,7 milhões, representando 2,7% da receita bruta total, comparada a 1,7% em 2001. Esses valores estão em linha com os padrões da indústria nacional. Cabe relembrar, que em 2001, a Companhia ampliou os seus procedimentos de arrecadação, o que resultou na expressiva recuperação de débitos vencidos em períodos anteriores. Outro fator a ser considerado é o incremento da provisão das vendas de aparelhos, uma vez que a Companhia, desde agosto de 2001, passou a vender celulares diretamente às revendas. Inadimplência (R$ Milhões) 2,9 9,9 8,4 5,4 7,1 4T01 1T02 2T02 3T02 4T02 O Custo de Aquisição por Assinante (SAC) no 4T02 foi de R$ 108, reduzindo SAC 2,0% em relação ao mesmo período do ano anterior e mantendo-se muito permanece abaixo do SAC médio de 2001, que foi de R$ 161, isto mesmo em um cenário sobre controle de forte desvalorização cambial. Em relação ao trimestre anterior, o SAC aumentou em 18,9%, devido às promoções específicas de fim de ano, período que apresenta oportunidade de incremento de vendas. Custo de Aquisição (R$) 110 100 81 91 108 4T01 1T02 2T02 3T02 4T02 5
  • 6. Em 2002, as despesas com Depreciação e Amortização, incluindo a amortização do ágio da privatização, foram de R$ 227,0 milhões, valor 13,5% superior ao do ano anterior, tendo em vista os investimentos realizados em períodos recentes. EBITDA 2002: Ao final de 2002, o EBITDA atingiu R$ 352,4 milhões, representando um Margem incremento de 10,0% em relação a 2001. A margem EBITDA foi de 47,1% EBITDA de sobre a receita líquida de serviços. 47,1% sobre a Receita de Serviços O EBITDA atingiu R$ 81,6 milhões no 4T02 e margem EBITDA de 42,1% sobre a receita líquida de serviços. EBITDA e Margem EBITDA 49% 49% 48% 49% 50% 45% 44% 120 42% 43% 45% 41% 42% 100 41% 45% 40% 41% 32% 35% 80 30% 60 20% 40 76,4 80,8 84,4 79,0 93,7 84,1 93,0 81,6 10% 20 0 0% 1T01 2T01 3T01 4T01 1T02 2T02 3T02 4T02 R$ milhões Margem EBITDA (% ) sobre rec. Líq. Total Margem EBITDA (% ) sobre rec. Líq. Serviços Lucro Líquido Crescimento 4T02 4T01 3T02 Acum. Acum. dos lucros em 2002 2002 2001 Lucro Líquido 17.343 16.851 18.437 65.774 59.889 Lucro Líquido por 1.000 ações – R$ 0,051 0,050 0,040 0,190 0,170 Em 2002, o lucro líquido totalizou R$ 65,8 milhões, um crescimento de 9,8% em relação ao ano de 2001. O 4T02 registrou o lucro de R$ 17,3 milhões, 2,9% acima dos resultados do 4T01. 6
  • 7. Investimento Em 2002, foram investidos R$ 68,7 milhões, sendo R$ 46,9 milhões no 4T02, através das empresas controladas, os quais foram destinados principalmente à ampliação da cobertura e tecnologia da informação. (Free Flow) Fluxo de Caixa (Free Cash Flow) Fluxo de caixa O fluxo de caixa em 2002 foi de R$ 345,2 milhões, 228% superior aos R$ positivo 105,2 milhões registrado em 2001. Endividamento Em 31 de dezembro de 2002, a dívida da Companhia totalizava R$ 440,5 milhões, comparado a um caixa de R$ 432,8 milhões, resultando no saldo positivo de R$ 119,4 milhões, um dos mais baixos níveis de endividamento do setor de telefonia celular no Brasil A dívida inclui basicamente os financiamentos junto ao Eximbank (Export and Import Bank of United States - R$ 39,1 milhões), BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - R$ 69,3 milhões) e a emissão de debêntures simples não conversíveis em ações (R$ 208,8 milhões). Da dívida total, o montante de R$ 41,6 milhões representa empréstimos em dólar, os quais foram totalmente cobertos por operações de hedge, como forma de proteção quanto à oscilação cambial. Em 2002, as despesas financeiras líquidas representaram R$ 18,9 milhões, uma redução de 57% em relação a 2001. No 4T02 foi registrado o montante líquido de R$ 4,1 milhões comparado a R$ 8,7 milhões no 4T01. A redução nos períodos se deu basicamente em função da representativa receita financeira resultante da remuneração das disponibilidades de caixa. Mercado A Companhia encerrou o ano com 1.723.660 assinantes, sendo 508.616 pós- pago e 1.215.044 pré-pago, representando 30% e 70%, respectivamente. O crescimento foi de 22% na base de pré-pago e de 7% na base total de clientes. Em termos de adições brutas, foram conquistados 395.111 clientes pré-pago e 107.528 clientes pós-pago, crescimentos de 10% e 18%, respectivamente, com relação às conquistas de 2001, sem comprometer a rentabilidade da Companhia. Ao final do quarto trimestre 2002, a participação no mercado foi estimada em 61% e a taxa total de penetração de 18%. A Companhia possui cobertura em 248 municípios e mais de 2,3 mil km, de rodovias. Os serviços estão disponíveis a 81% da população total da região onde atua. 7
  • 8. Fatos Relevantes Serviço Móvel Pessoal (SMP) Em 10 de dezembro de 2002, a administração da Tele Celular Sul anunciou que, dando cumprimento à deliberação das assembléias gerais de TELEPAR e TELESC ocorridas em 19 de novembro de 2002, e de CTMR ocorrida em 21 de novembro de 2002, as Operadoras assinaram, em 10 de dezembro de 2002, o Termo de Migração dos instrumentos de concessão do Serviço Móvel Celular (SMC) para o regime regulatório do Serviço Móvel Pessoal (SMP), junto a Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel. Anatel autoriza reajuste de tarifas A Anatel autorizou as operadoras controladas pela Tele Celular Sul a reajustar em 21,96% a tarifa de uso (VU-M), que passa de R$ 0,2823 para R$ 0,3443 (ambas líquidas de impostos). As novas tarifas passam vigorar a partir de 06/02/2003. Os planos e serviços também foram reajustados a partir de 11/02/03. O reajuste médio foi de 7,8%, estando abaixo do máximo autorizado pela Anatel (21,96%), tendo em vista as condições de mercado, mantendo assim, a manter a competitividade no mercado. ______________________________________________________________ “Este comunicado contém declarações de previsão e/ou estimativas futuras. Tais expectativas são baseadas em uma série de suposições. Estas expectativas estão sujeitas a riscos e incertezas inerentes às projeções e/ou estimativas futuras. Os resultados poderão diferir materialmente das expectativas expressadas nas declarações de previsão e/ou estimativa futuras se um ou mais das suposições e expectativas provarem ser inexatas ou não realizadas.” 8
  • 9. Dados Selecionados 4T02 4T01 3T02 2002 2001 Assinantes Total 1.723.660 1.603.913 1.660.164 1.723.660 1.603.913 Pós-pago 508.616 605.592 499.536 508.616 605.592 Pré-pago 1.215.044 998.321 1.160.628 1.215.044 998.321 População estimada da região (milhões) 15 15 15 15 15 Municípios Atendidos 248 232 235 248 232 Penetração Total estimada 18% 16% 17% 18% 16% Market share 61% 66% 63% 61% 66% Marginal Market Share 52% 46% 51% 53% 48% ARPU TOTAL1 R$ 38 R$ 38 R$ 38 R$ 38 R$ 39 MOU TOTAL 99 118 99 98 115 SAC R$ 108 R$ 110 R$ 91 R$ 96 R$ 161 Investimentos (milhões) 47 54 8 69 158 Adições Brutas 163.473 131.870 135.628 502.639 449.320 Adições Líquidas 63.496 69.347 24.886 119.747 187.429 Churn 6% 4% 7% 23% 17% Pontos de vendas (incluso lojas próprias) 917 937 844 917 937 Empregados Totais 1.015 1.233 1.107 1.015 1.233 Nota: (1) Receita |Líquida média por cliente. (2) Calculado sobre a base média de clientes. Cálculo do EBITDA 4T02 4T01 3T02 2002 2001 Receita Operac. Líquida de Serviços 193.688 177.960 189.798 749.006 700.355 Receita Operacional Líquida de Vendas 58.233 49.372 36.752 142.258 91.074 Receita Líquida Total 251.921 227.332 226.550 891.264 791.429 1 Lucro (Prejuízo) operacional 19.625 16.585 34.840 106.450 76.203 Depreciação/amort. diferido 51.194 46.914 49.376 199.978 173.042 Amortização do ágio da privatização 6.756 6.744 7.638 27.029 26.961 Receitas financeiras (28.583) (22.098) (73.071) (143.560) (61.638) Despesas financeiras 32.638 30.817 74.250 162.519 106.043 EBITDA 81.630 78.962 93.033 352.416 320.611 Margem EBITDA (%) 32,4% 34,7% 41,1% 39,5% 40,5% Margem EBITDA (%) s/ Rrec. Líq. de Serv. 42,1% 44,4% 49,0% 47,1% 45,8% . Nota: (1) Incluí equivalência patrimonial da TIMnet. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 9
  • 10. TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. BALANÇOS PATRIMONIAIS 31 de dezembro de 2002 e 2001 Em milhares de reais Controladora Consolidado 2002 2001 2002 2001 Ativo Circulante Disponibilidades 3.538 1.099 11.147 5.462 Títulos e valores mobiliários 5.388 9.843 421.687 134.397 Contas a receber de clientes 165.801 148.862 Estoques 15.573 21.856 Tributos a recuperar 1.414 4.900 42.386 30.853 Tributos diferidos 7.874 1.522 44.590 22.344 Juros sobre o capital próprio e dividendos 18.523 Outros ativos 645 832 4.607 12.423 18.859 36.719 705.791 376.197 Realizável a longo prazo Sociedades controladora e ligadas 3.150 3.176 Títulos e valores mobiliários 7.705 Sociedades coligadas Tributos a recuperar 4.667 5.268 Tributos diferidos 1.009 774 184.673 235.986 Depósitos judiciais 11.148 10.908 Outros ativos 36 14 774 1.889 4.195 3.964 208.967 254.051 Ativo permanente Investimentos 872.170 810.929 24.320 28.707 Imobilizado 79 96 655.949 775.575 Diferido 52.858 67.649 872.249 811.025 733.127 871.931 Total 895.303 851.708 1.647.885 1.502.179 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras 10
  • 11. TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. BALANÇOS PATRIMONIAIS 31 de dezembro de 2002 e 2001 Em milhares de reais Controladora Consolidado 2002 2001 2002 2001 Passivo e patrimônio líquido Circulante Fornecedores 2.777 2.330 123.677 63.389 Empréstimos e financiamentos 38.052 21.987 Debêntures 210.114 8.860 Obrigações trabalhistas 11.943 10.389 14.115 13.083 Impostos e contribuições a recolher 20 854 42.958 20.794 Juros sobre o capital próprio 16.415 20.450 17.697 26.636 Dividendos a pagar 12.285 1.755 12.489 2.184 Outras obrigações 3.565 5.247 24.968 14.548 47.005 41.025 484.070 171.481 Exigível a longo prazo Empréstimos e financiamentos 72.919 103.539 Debêntures 200.000 Impostos e contribuições a recolher 74.193 60.727 Complementação de aposentadoria 2.833 2.239 2.833 2.239 Provisão para contingências 135 40 8.951 6.095 Outras obrigações 75 75 2.968 2.354 158.896 372.675 Participações minoritárias 159.589 149.694 Patrimônio líquido Capital social 324.666 245.033 324.666 245.033 Reservas de capital 178.062 195.695 178.062 195.695 Reservas de lucros 342.602 367.601 342.602 367.601 845.330 808.329 845.330 808.329 Total 895.303 851.708 1.647.885 1.502.179 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 11
  • 12. DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS 31 de dezembro dem 2002 e 2001 Em milhares de reais Controladora Consolidado 2002 2001 2002 2001 Receita operacional bruta 1.145.948 1.056.346 Deduções da receita bruta (254.684) (264.917) Receita operacional líquida 891.264 791.429 Custo dos serviços prest. e merc. vendidas (486.383) (406.033) Lucro bruto 404.881 385.396 Receitas (despesas) operacionais Comercialização (185.446) (181.424) Gerais e administrativas (7.319) (6.018) (83.346) (71.909) Ganho ou Perda com Investimentos 62.265 62.580 (4.288) (1.888) Outras receitas (despesas) operacionais, líquidas 47 (973) (14.902) (15.584) 54.993 55.589 (287.982) (270.805) Lucro operacional antes dos resultados financeiros 54.993 55.589 116.899 114.591 Receitas (despesas) financeiras Receitas financeiras 4.908 27.062 121.310 45.278 Despesas financeiras (789) (22.717) (103.535) (72.045) Variações cambiais, líquidas 75 (223) (36.734) (17.638) 4.194 4.122 (18.959) (44.405) Lucro operacional 59.187 59.711 97.940 70.186 Receitas (despesas) não operacionais líquidas (256) (127) 10 Lucro antes dos tributos e das participações 59.187 59.455 97.813 70.196 Imposto de renda e contribuição social 6.587 434 (19.473) 672 Participações minoritárias (12.566) (10.979) Lucro líquido do exercício 65.774 59.889 65.774 59.889 Lucro por lote de mil ações em circulação (R$) 0,19 0,17 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 12

Related Documents