30
42 | Economia | Jornal de Negócios | Quinta-Feira, 4 de Junho de 2009
Especial Eleições europeias
...
Jornal de Negócios || Quinta-Feira, 4 de Junho de 2009 || Economia || 43
...
of 2

Políticos e Internet: las elecciones europeas 2009

Los políticos cometen el error de pensar que Internet es un fin 04.06.2009. (JORNAL DE NEGOCIOS, PORTUGAL) Entrevista-reportaje realizada al asesor de comunicación Yuri Morejon sobre marketing político, política 2.0 y elecciones europeas en el contexto portugués. + información en http://www.yurimorejon.com
Published on: Mar 4, 2016
Published in: News & Politics      Technology      
Source: www.slideshare.net


Transcripts - Políticos e Internet: las elecciones europeas 2009

  • 1. 30 42 | Economia | Jornal de Negócios | Quinta-Feira, 4 de Junho de 2009 Especial Eleições europeias O ‘twitter’ de Vital Na página de Paulo Campanha está mais Moreira, candidato do PS às europeias, estava Rangel na rede social ‘facebook’, o cabeça-de- online, mas o sucesso a ser “seguido” por 407 cibernautas (contagem lista do PSD contava com 832 “apoiantes”, não dispensa beijinhos até às 17h de ontem). às 17h de ontem. Europeias são o primeiro teste eleitoral àInternet, onde partidos tentammobilizare darproximidade àpolítica. ANTÓNIO LARGUESA O candidato não tem um contacto visual cialistasatécontrataramaBlueSta- directo com quem vê te Digital, que desenvolveu acam- PE dá bastidores da o cartaz. Sendo de panha online e multimédia de Ba- eleição no ‘twitter’ centro-esquerda, rackObama,naesperançaderepli- aparecer sem gravata car um modelo de sucesso que ga- é sintomático, dá rantaarenovaçãodamaioriaabso- Nas vésperas das eleições, o valor acrescentado. É NosEUAresultou,masporcápode lutanas legislativas. Parlamento Europeu criou interessante vir nuncachegarahaverumaresposta Masaplataformavirtual–como um perfil na rede social assinado com a sua definitiva.Pelosim,pelonão,ospar- símbolo da democratização da in- Twitter, que envia informação própria letra, como tidos nacionais aproveitam a “bo- formação – é também um meio de actualizada dos preparativos para a um compromisso. O leia” dacandidaturademocratade excelência para a promoção dos noite eleitoral nas 22 línguas oficiais slogan ‘Nós europeus’, Obamaparainauguraraeradapo- partidos mais pequenos, sem tem- da União Europeia. Estes “tweets” é curto e directo, mas lítica2.0 num ano com três idas às po de antenanatelevisão, excepto “Especial Eleições” contêm notícias devia ser é inclusivo urnas. Se pode ajudar a mobilizar oobrigatórioporleiduranteascam- e novidades dos “bastidores” sobre para atrair votos dos um eleitorado já identificado com panhas.Éna“Net”queoPNRespa- a corrida às urnas, e terão também outros partidos. Usa um candidato, os especialistas não lhaháváriosanososseusideaisna- informação actualizada sobre as as letras maiúsculas acreditam que a Internet decida cionalistas, e foi online que, por projecções e resultados na noite de quando está provado eleições.Ainfluênciadaredeainda exemplo, o Movimento Esperança domingo. Pode seguir em português que minúsculas lêem- sóchegaauma franjaminoritáriado Portugal ganhou forçae se organi- em twitter.com/EU_Elections_PT. Se se melhor. eleitorado–portradiçãomaisjovem zou para concorrer às europeias preferir uma noite “offline”, o eurbano–equemvotadesejaumpo- com aambição de eleger Laurinda gabinete do Parlamento Europeu líticodoquotidiano. Alves como eurodeputada. em Lisboa (Largo Jean Monnet) Os sites e blogues já entram no abre portas às 19.30, transmitindo, catálogo da pré-história da ‘Net’ – O perigo da “imagem artificial” em tempo real desde Bruxelas, apesardo PSD terinovado ao criar “Éumacontradiçãoqueumcandi- diversos debates e o anúncio das uma página para os diversos actos datoquequeiragovernarumpovo, sondagens, resultados e dos novos eleitorais de 2009 – juntando-se não queiraounão estejadisposto a eurodeputados nos 27 países da UE. mecanismosmaisrecentescomoo misturar-secomaspessoasquevai Youtube,Hi5,Facebook,Twitterou governar e conhecer de perto as Flickr.Ferramentaseredessociais suas inquietudes”, refere YuriMo- ondenãobastaestar,masondeaco- rejón,especialistaemcomunicação municaçãotemdeserbidireccional políticaeeleitoral.Sobretudonum equaseíntimacomoscibernautas. tempoemqueseligamenosàideo- AInternetnãoéumfim,masum logia, acrescenta, “interessa-lhes meio,lembramosespecialistasem que o candidato seja próximo, ho- comunicaçãopolítica[verentrevis- nesto e normal”. O objectivo é cla- tanapáginaseguinte],depoucova- ro:criarumaidentificação,quenão lendo aum político ter 3.000 ami- resultase“oeleitornãotiverapos- gosno‘Facebook’senãoosalimen- sibilidadedeoconhecerevernarua, tacom informação atractivae me- eseocandidatonãoovaisaudarnos nos politizada. “UsaraNetsomen- comícios,dardoisbeijosefalardois te paradivulgar ideias e políticas é minutos sobre o seuproblema”. comocomprarumPorscheparaan- A presidente do PSD, Ferreira darnacidade:umaparatosodesper- Leite,járeconheceuque“setivesse dício”,resumiuPauloQuerido,jor- nestemomentoquefazerumcomí- nalistaespecializadonarede,naseu cioseriaamaiordasviolências”que webzinepessoal(pauloquerido.pt). lhepediriam,dando“graçasaDeus” PauloRangeltem832apoiantes por ter acabado a era dos grandes no‘Facebook’,asmensagensde140 ajuntamentos populares. Ao Negó- caracteres de Vital Moreira no cios, Morejón, director daYescom ‘Twitter’ chegam directamente a Consulting,quetrabalhouemcam- 407cibernautas.Com115“amigos” panhas naEspanhae AméricaLa- e187comentáriosaoperfildapági- tina, apenas vê nadeclaração duas na,acomunista“FestadoAvante!” virtudes: sinceridade e honestida- Quatro linhas de texto é demasiado, ainda por cima em maiúsculas. O lema é contundente e duro, e o ponto final, tão globalizou-seno‘hi5’–umaredeso- de. Porém, sublinha, “um assessor visível, como que fecha em força a ideia e joga com o símbolo do CDS. A fotografia tirada de baixo dá sensação que é cial aque acederam 3,2 milhões de nãopodenemdevemudaraperso- maior, mas uma imagem arrogante. Os braços cruzados não são a melhor pose, não se vêem as mãos, fecha-se sobre portuguesesnoanopassado,segun- nalidade de um candidato”, que ele próprio. A pose de homem de negócios produz mais repulsa do que confiança. Positiva a inclusão da página web doumestudodaMarktest.Eosso- deve serautêntico. e a referência às europeias. Devia aparecer o seu nome, especialmente se não é muito conhecido no País.
  • 2. Jornal de Negócios || Quinta-Feira, 4 de Junho de 2009 || Economia || 43 Jornal de Negócios Quinta-Feira, 4 de Junho de 2009 Economia 31 O S C A R TA Z E S ‘ V I S T O S’ P O R Q U E M S A B E P E R G U N TA S A . . . q YU R I M O R E J Ó N ESPECIALISTA EM COMUNICAÇÃO POLÍTICA E CAMPANHAS ELEITORAIS O slogan é inclusivo, mas não diz grande coisa. Assina com a sua letra, compromete-se com o que promove. O fato de Políticos cometem o erro riscas não é adequado, resulta como distante para os jovens, tal como a expressão demasiado séria. Fala para todos os portugueses mas a imagem é muito orientada para o centro-direita. É positivo aparecer a página web, que tenha algo de pensar que a Net é um fim inovador. A postura do corpo é ameaçadora. Devia ver-se melhor as mãos e não mostrar tanto as mangas da camisa. Os partidos portugueses estão a rado.OspolíticossabemqueaNet apostarnasredessociaisdaInter- é necessáriaparachegar amuita net nestas eleições em 2009. Bas- gente,queéolugarondeseinfor- taestarali ou éprecisoalgomais? mamcadavez mais, o lugaronde NãobastaapenasestarnaNet. mais gente entra em contacto Napolítica“2.0”éummuitobom com outras através das redes so- instrumentoparaocandidatoen- ciais. Mas há políticos que tem trar em contacto com o eleitor, 2000,3000amigosnoFacebook, onde há uma conversação, um massenãoháessarelaçãoemque contactobidireccionalentreeles. um propõe e outro sugere, não Nãosófalaocandidatoeoeleitor serve paranada. Porvezes os po- escuta, como eratradição napo- líticos cometemo erro de pensar lítica,aquioeleitorevotantesen- que aNeté umfim, não ummeio te-se escutado porque pode par- de chegaramais gente. ticipar, propor, conversare criti- carocandidato.Háumainter-re- Como é que os partidos políticos laçãofacilitadapelaInternet,que devem mostrarocandidato? ainda por cima é gratuita. É um Devem mostrá-lo como ele é, bom instrumento para chegar a humanizando-o.Numtempoem um tipo de eleitor que normal- que as pessoas não sentem afei- mente não lê noticias, não vê te- çãopelapolítica,queasideologias lejornais,maséumdeterminado jánãosãotãodeterminantespara tipo de eleitor, não todo o eleito- decidirovoto,ondeémaisimpor- tante aprópriaeconomiado que aideologia, elas jánão crêemnos políticos. O que muitos eleitores valorizam é que o político esteja próximoetenhapossibilidadede falarcomelepelaInternet.Eque se assemelhe a um cidadão nor- mal.Comosepodefazerisso?Por exemplo,dandoaconhecerocan- didato com questões que ele não revela,porquenoseupapeldepo- líticosófaladecoisassérias,dapo- lítica em geral, de macroecono- mia. Quais são os seus gostos, o que é que ele gosta de fazer nos seus tempos livres, que livros lê, que música ouve, que desportos faz?Porqueseeunãogostodapo- lítica,evejoquedeterminadocan- didato gostade fazer ‘jogging’ ou A ironia, humor e jogo de palavras de andar de bicicletaou de ouvir diferencia para chegar às pessoas. Metallica,eu,quenãogostodepo- É mais dirigido aos jovens, usando a lítica, vejo que esta pessoa está expressão informal “porreiro”. Ilustra próxima,queénormal,quegosta com duas pessoas muito conhecidas. das mesmas coisas que eu, já se Com humor chega a muito mais estáaromperumabarreira. gente do que falando do “interesse nacional”, que é abstracto. O uso da E há uma técnica para a difusão palavra “crise” é directo, pois afecta dessanovainformação? a todos no dia-a-dia. Usar Barroso Não se pode enviar informa- não garante votos, mas ridiculizar o ção igual para toda a gente. No primeiro-ministro e candidato do PS fundo todos querem algo perso- nas legislativas, pode valer votos. nalizado,comosefosseumarela- Utiliza minúsculas, é mais fácil de ler e eficaz. Aparece sorridente, a olhar nos olhos ao eleitor, aparece E fá-lo em forma de pergunta, çãodirecta,realeprivadaentreo o seu nome. O logo é velho e arcaico – não há marca própria da coligação – mas não se pode mudar. convida a reflectir e a agir em candidato e o eleitor. Tem de ser A página web não aparece. O slogan não diz grande coisa, mas em baixo resume-se em quatro pontos consequência. também informação atractiva e as suas prioridades. “Justiça social” é a chave. Sem o logo não diria que é um cartaz do partido menos politizada do que o nor- comunista, poderia ser de um social-democrata moderado. Ilda não tem imagem de pessoa tradicional mal, tem que estar tudo muito de esquerda. Vendo o cartaz de longe, o fio ao pescoço pode parecer um crucifixo. mais simplificado.

Related Documents